Amado(a) Irmã(o),

Eu quero falar com você sobre o que é preciso fazer para andar em vitória, usando a fé que vai causar mudanças em situações impossíveis, até que todas as circunstâncias se alinhem à Palavra de Deus.

A oração é um exercício espiritual que nos faz crescer e exercer autoridade sobre todo o poder das trevas.

Saiba que o diabo não pode tirar nossa salvação; muito menos conseguirá tirar o Espírito Santo de dentro de nós. Mas, se nós permitirmos, ele pode muito bem nos distrair, tirando-nos da oração.

Vamos ver, então, o que a Palavra de Deus nos diz em Salmos 27:1-4:

O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei? Quando malfeitores me sobrevêm para me destruir, meus opressores e   inimigos, eles é que tropeçam e caem. Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança. Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na casa do Senhor, para contemplar a sua beleza, e meditar no seu templo.

No Evangelho de João, capítulo 8, Jesus diz que se permanecermos em Sua Palavra, ela trará mudanças para nossas vidas e então não seremos mais escravos do pecado: seremos totalmente libertos. Diz também que sermos filhos é habitarmos na casa do Senhor “para sempre”. Veja, é isso que o salmista, o Rei Davi, está falando em Salmos 27:4.

Uma das coisas que o Senhor quer é que busquemos em primeiro lugar o Reino de Deus e aí contemplemos a Sua beleza.

Se tivéssemos aprendido desde crianças a respeito do quanto Deus nos ama – e Ele nos ama do mesmo jeito que Ele ama a Jesus –, você acha que teríamos tanta dificuldade em crermos sobre o amor de Deus por nós e no fato de que Ele jamais nos abandonará?

Mas, agora que somos adultos, colocamos Jesus tão longe de nossas vidas como se houvesse um abismo entre nós. Foi sobre isso que Jesus falou em Lucas 16:26, a respeito de Lázaro e do homem rico: havia mesmo um abismo entre o homem no inferno e os santos que estavam no Seio do Pai Abraão. Infelizmente, é isso que criamos: um abismo entre nós e Deus, e concluímos que Deus ama mais a Jesus do que a nós. Entretanto, Ele nos amou antes da fundação do mundo.

Vejamos, então, João 17:22-24,  que diz:

Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim. Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo.

No final do versículo 24, Jesus diz: “Pai, a minha vontade é que onde eu estou […]”. Veja, Ele não disse onde estarei, mas sim onde estou agora. Este é o posicionamento de Filho e o caráter do Pai. E como filhos Dele, isso vale também para nós.

Ainda no mesmo versículo, Jesus diz: “[…] para que vejam a minha glória […]”. E é também a glória de Deus que o rei Davi cita no versículo 4 de Salmos 27:  “[…] que eu possa morar na casa do Senhor, para contemplar a sua beleza […]”. Neste caso, beleza e glória são sinônimos: ou seja, o salmista anseia tomar conhecimento da glória Dele, que é a mesma que ressuscitou Jesus dos mortos, para a honra do Pai, através da vida Dele.

Pense nisso, na época em que essas palavras foram escritas era impossível um indivíduo qualquer entrar na presença do rei na hora que bem entendesse; até mesmo a esposa do rei tinha de pedir permissão para entrar na presença dele. No entanto, naquela época, o rei Davi anseava por estar na presença da glória de Deus.

Veja o versículo 5 de Salmos 27:

Pois, no dia da adversidade, ele me ocultou no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo, me acolherá; elevar-me-á sobre uma rocha.

Isso significa que as portas para estarmos na presença de Deus estão abertas: “[…] ele me acolheu no seu pavilhão […]”. Ou seja, podemos falar com o pai a qualquer hora, como falamos com outra pessoa.

Observe essa passagem em Hebreus 4:16:

Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

A porta está aberta, nem foi preciso bater porque ela já está aberta e é só entrar. Ele já está lá esperando por você. Achegue-se confiadamente.

Como demora para entendermos que Deus está lá em Seu Trono nos esperando a qualquer hora! É um prazer para Ele nos receber de braços abertos! Podemos entrar em Sua Presença sem condenação nenhuma. E como precisamos da graça abundante Dele para aceitarmos isso em nosso íntimo!

É por isso que as pessoas não recebem respostas de oração: porque não creem que Deus está ouvindo e que somos muito bem-vindos em Sua presença SEMPRE. Muitos cristãos pensam que a salvação é tudo o que precisam e não sabem que têm direito à plena vida aqui na Terra também.

Agora, vamos examinar Mateus 7:24, que diz:

Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha.

Sabemos que a rocha é a Palavra de Deus. E é a esta rocha que o salmista se referiu em Salmos 27:5: “[…] elevar-me-á sobre uma rocha.”

Veja Mateus 16:13-18, que diz:

Indo Jesus para os lados de Cesareia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem:  João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas.
Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro,  disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.
Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

Entenda aqui pedra como sinônimo de rocha. E rocha como “revelação, entendimento, compreensão”. Lembre-se do versículo 5 de Salmos 27, que está em concordância com o que Jesus disse a Pedro.

Quando nós nos estabelecemos na Palavra de Deus, ela produz em nosso interior o que dizemos a respeito dela. Precisamos ter cuidado para não colocar um pé na rocha e outro na areia. O que eu quero dizer com isso é: posso ler a Palavra, memorizá-la, mas isso não quer dizer que a compreendo.

Jesus disse que vamos conhecer a Verdade. Mas quantas pessoas são capazes de citar a Bíblia toda, e mesmo assim não conseguem crer na oração em línguas? Quantos outros não creem que a cura das doenças é para agora ou ainda pensam “só se Deus quiser”? E essas são verdades que a Palavra de Deus contém! Quanto mais nós temos conhecimento da Palavra, quanto mais a praticamos, mais proteção temos em nossas vidas.

Às vezes pedimos coisas para Deus, pedimos para Ele agir em nossas vidas, sendo que todas as respostas já estão estabelecidas por Ele; o que falta é o nosso entendimento da Palavra. A resposta de Deus para nossas situações está baseada totalmente no que a Palavra de Deus diz e não no que pedimos.

Voltemos para Salmos 27. Primeiramente, devo praticar o que está escrito no versículo 4 (“buscar contemplar a beleza do Senhor”) para, então, o versículo 5 se tornar realidade em minha vida, ou seja, para a Palavra se manifestar em minha vida. Só Jesus vai estar o tempo todo conosco e isso tem a ver com o confiar Nele totalmente.

Perceba que mesmo praticando os cinco primeiros versículos de Salmos 27, no versículo 6 o inimigo ainda está lá nos atacando, rodeando. Esse ataque pode ser na área financeira, problemas no emprego, ou desentendimentos com o marido ou a esposa, ou com os filhos, com vizinhos, ou até mesmo uma enfermidade física. Então, se diante dos problemas, praticarmos os versículos de 1 a 5, a nossa cabeça vai se erguer acima do inimigo (versículo 6) porque estaremos sentados na rocha da Palavra de Deus que nunca falha, é constante em nossa vida. É aí que veremos nossa libertação.

O versículo 6 diz que nós cantamos e adoramos a Deus porque estamos sentados na Palavra de Deus, ou seja, já estamos acima dos nossos problemas e é por isso que conseguimos adorar ao Senhor. Quando chegarmos nesta fase, não vamos andar em depressão, não vamos mais reclamar de nada (muito menos dos problemas, que não se acabam…). Já estaremos vivendo em vitória e o dia virá em que nossos inimigos vão se submeter a nós, conforme Jesus disse em Lucas 10:19-20:

Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum. Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.

Um bom exemplo de alguém que aprendeu a viver feliz em qualquer situação é o apóstolo Paulo. Veja Filipenses 4:11-13:

Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com  o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

E isso é o mesmo que relata o versículo 6 de Salmos 27: não importa o que aconteça, vamos viver de acordo com o que a Palavra está nos dizendo aqui, mesmo quando as emoções dizem que o problema é grande demais e o inimigo tenta nos fazer parar. Vamos decidir praticar os versículos de 1 a 5 para vivermos todos os dias o versículo 6.

Procure então, meu amigo, um momento em seu dia para buscar a Deus e comece hoje mesmo a praticar o que Salmos 27 diz e você verá que não é difícil, pois você tem a graça de Deus para lhe ajudar. E quando o diabo vier te distrair, fazendo-o pensar que é difícil e que não vai dar, ou que não há solução, não desista! Você PODE viver em vitória, sentado na Palavra de Deus.

Graça e Paz,

Ana Maria Dias