Amado(a) Irmão(a),

Neste mês, quero compartilhar com você a importância de ouvirmos a voz de Deus para sermos protegidos contra os enganos do inimigo. Sabemos que o próprio Deus nos protege, Ele disse que tem cuidado de nós (1 Pedro 5:7); entretanto, precisamos nos entregar a Ele e segui-lo, reconhecendo sua voz  e seus mandamentos.

Vamos começar essa carta com o versículo 27 de João 10: As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Ainda neste mesmo capítulo de João, no versículo 5, podemos ler: […] mas de modo nenhum seguirão o estranho; antes, fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. Aqui Jesus está nos ensinando os princípios do Reino de Deus, dizendo que somos as ovelhas. Ele é o Pastor e, se ouvirmos a Sua voz, não haverá nada de contraditório quanto aos dons do espírito nem quanto a nossa herança. Entretanto, nos dias de hoje, quando olhamos para o Corpo de Cristo, vemos pessoas seguindo outras vozes. Veja: são crentes que nasceram de novo e não deveriam se submeter aos enganos do diabo. Não estou dizendo que essas pessoas dão ouvidos a alguém que diz para não andarem com Jesus, não é isso. Mas essas pessoas aceitam e seguem um erro doutrinário.

Vamos continuar em João 10, versículos 1 a 6:

Em verdade, em verdade vos digo: o que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão salteador. Aquele, porém, que entra pela porta, esse é o pastor das ovelhas. Para este o porteiro abre, as ovelhas ouvem a sua voz, ele chama pelo nome as suas próprias ovelhas e as conduz para fora. Depois de fazer sair todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e elas o seguem, porque lhe reconhecem a voz; mas de modo nenhum seguirão o estranho; antes, fugirão dele porque não conhecem a voz dos estranhos.

Para entender com propriedade essa fala de Jesus, precisamos voltar para o capítulo anterior. Vejamos, então, em João 9, os versículos de 39 a 41:

         Prosseguiu Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não veem vejam, e os que veem se tornem cegos. Alguns dentre os fariseus que estavam perto dele perguntaram-lhe: Acaso também nós somos cegos? Respondeu-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado algum; mas, porque agora dizeis: Nós vemos, subsiste o vosso pecado.

Jesus se dirige aos fariseus porque era suposto que eles soubessem tudo sobre a Lei e, com isso, saberiam quem era Jesus. Ao vê-lo, deveriam reconhecê-lo como o Messias. Mas, pelo contrário, rejeitaram-no e, por isso, Jesus disse que eram cegos. O fato é que os fariseus, com seus ensinos equivocados, afastavam as pessoas de Jesus. Pois bem, creio que agora fica mais fácil para você entender o que Jesus disse no capítulo 10 de João (versículos 1 a 6, acima). Jesus apresenta essa parábola para dizer que Ele é a porta das ovelhas, ou seja, quem é ovelha dele tem que passar por Ele, como está escrito em João 14:6: Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Ainda naquela parábola, o rebanho representa o Reino de Deus. Quando Jesus fala sobre o ladrão e o salteador, Ele se refere aos líderes religiosos, afinal, eram esses líderes que negavam Jesus. Eles se autoproclamavam a chave para a salvação e negavam o verdadeiro Messias. E foi por isso que Jesus usou os termos salteadores e ladrões: são os ladrões da salvação. Vejamos paralelamente João 10:7-10 e Marcos 7:6-8, 13 para entendermos esse pensamento de Jesus:

Jesus, pois, lhes afirmou de novo: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não lhe deram ouvido. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem. O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. (João 10:7-10)

Respondeu-lhes: Bem profetizou Isaías a respeito de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. Negligenciando o mandamento de Deus, guardais a tradição dos homens […] invalidando a palavra de Deus pela vossa própria tradição, que vós mesmos transmitistes; e fazeis muitas outras coisas semelhantes. (Marcos 7:6-8,13)

Nestas passagens acima, Jesus explica que aqueles líderes religiosos faziam com que as pessoas andassem nas tradições, em vez de buscar a salvação. Ou seja, as pessoas perdiam tempo com tradições como lavar os copos, jarros e vasos de metal, mesmo que Deus nunca houvesse dado tais instruções. A orientação de Deus era para seu povo buscar a Lei e os Profetas que anunciavam Jesus, o seu Filho. Sobre isso, veja a correlação entre João 8:44 e João 10:10:

         Vós sois do Diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. (João 8:44)

         O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. (João 10:10)

Nas duas passagens acima, Jesus deixa claro qual é o objetivo do diabo. Mas, veja bem, o diabo não age sozinho: ele precisa de ajuda. Perceba como os líderes religiosos negam o Messias, o Cristo – Jesus, O Redentor. Eles andam em mentira.

Pense, agora, nos dias atuais. Não vemos os cristãos negando o Messias, Jesus Cristo, não é mesmo? Entretanto, quantos cristãos seguem ensinos errados? Saiba que o resultado é o mesmo dos fariseus, pois todo ensino errado acaba negando Jesus. Cuidado com a sutileza do diabo, ele engana sem que se perceba a sua ação. No entanto, o objetivo de Deus sempre foi trazer o homem de volta para Ele, como está escrito em II Coríntios 5:19:

         A saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação.

Em contrapartida, o objetivo do diabo é bem diferente: ele vem para matar, roubar e destruir. Infelizmente, ele tem a colaboração dos líderes religiosos, por meio das tradições religiosas, que impedem a Verdade de ser manifesta.

Deus quer que tenhamos vida, e vida em abundância, mas nós temos que colaborar para isso acontecer. É por meio de Jesus que Deus nos traz vida, já o diabo só traz morte. São caminhos contrastantes e antagônicos. Veja: Jesus diz que Ele é o Bom Pastor, mas fala também do mercenário. Podemos ler sobre isso em João 10:11-18:

         Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado com as ovelhas. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor. Por isso, o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade par a entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai.

Na passagem anterior, quando Jesus fala em “mercenário”, ele está se referindo aos sacerdotes. É claro que nem todos eram assim, mas, com o passar do tempo, a corrupção começou a ser uma constante no meio deles. Observe o que está escrito em Mateus 23:13-14:

Ai de vós escribas e fariseus, hipócritas, porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando! Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque devorais as casas das viúvas e, para o justificar, fazeis longas orações; por isso, sofrereis juízo muito mais severo!

Vemos que, na época de Jesus, não somente os sacerdotes exerciam influência sobre as pessoas, mas os escribas e fariseus também, pois roubavam a salvação das pessoas, bem como queriam o dinheiro delas. Nem as viúvas eram poupadas, como podemos ler em Marcos 12:41-44:

         Assentado diante do gazofilácio, observava Jesus como o povo lançava ali o dinheiro. Ora, muitos ricos depositavam grandes quantias. Vindo, porém, uma viúva pobre, depositou duas pequenas moedas correspondentes a um quadrante. E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta viúva pobre depositou no gazofilácio mais do que o fizeram todos os ofertantes. Porque todos eles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porém, da sua pobreza, deu tudo quanto possuía, todo o seu sustento.

Você percebe como toda influência da liderança religiosa sobre as pessoas, com suas próprias doutrinas, dá sentido à palavra “mercenário”, a que Jesus se refere? E me diga se, atualmente, não é isso que está acontecendo no meio cristão por todo lado?  Vejamos dois versículos, um em Mateus, o outro em João:

Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. (Mateus 7:15)

 

         O mercenário que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa.  (João 10:12)

O que acontece com os falsos profetas e com os mercenários é que eles não têm o fundamento da Palavra como estrutura de suas vidas. Por exemplo: atualmente, é muito comum ver pregadores com o objetivo de ter suas igrejas superlotadas. Sim, é claro, nessas igrejas, todos vão ouvir falar de Jesus como o Senhor e Salvador das almas, entretanto, quando se trata da Verdade, não vão apontar para os princípios do Reino. Não há profundidade de ensinamento da Palavra, afinal, o mercenário e o lobo não ligam para o rebanho. Veja o que a Palavra em João 10:24-28 nos diz:

       Responderam-no, pois os judeus e o interpelaram: Até quando nos deixarás a mente em suspenso? Se tu és os Cristo, dize-o francamente. Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo disse, e não credes. As obras que eu faço em nome de meu Pai testificam a meu respeito. Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão.

Jesus está dizendo que o seu rebanho ouve sua voz e O segue até a Cruz. Ele já havia dado a entender que iria morrer na Cruz, mas iria ressuscitar dos mortos e o nascimento novo e a vida eterna estariam disponíveis a partir daí. Vamos ler novamente o que está escrito em João 10:3,5 e 27:

         […] para este o porteiro abre, as ovelhas ouvem a sua voz, ele chama pelo nome as suas próprias ovelhas e as conduz para fora […] mas de modo nenhum seguirão o estranho; antes, fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos […] as minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem […].

Para entendermos essa analogia é preciso saber como o pastor treinava suas ovelhas. Na época de Jesus, o pastor cantava músicas bens suaves enquanto pastoreava, a ponto de as ovelhas conhecerem bem a sua voz. É muito comum, nas religiões cristãs, retratos e pinturas que representam Jesus carregando uma ovelha. Isso se dá por que, naquela época, o pastor costumava quebrar a perna da ovelha rebelde para carregá-la no colo. Então, aquela ovelha acostumava com o cheiro dele, com sua voz, enfim, ela se acostumava a ficar totalmente junto do pastor: mesmo depois de curada, nunca mais saía de perto dele. E é exatamente por isso que Jesus disse que suas ovelhas ouvem sua voz.

As ovelhas não nascem ovelhas. Elas nascem cordeiros e ainda não conhecem a voz do pastor. Conforme vão crescendo, têm de ficar bem juntinhos do pastor para ouvirem a sua voz até aprenderem a reconhecê-lo. Assim, quando se tornam ovelhas, reconhecem a voz do pastor e sabem a quem seguir e para onde ir.

O que acontece atualmente com os cristãos é que eles não estão sendo guiados pelo pastor (como está escrito em Salmos 23), então, acabam seguindo outra voz. São os cristãos que não foram treinados a reconhecer a voz do pastor. Essas ovelhas só vão até o pastor na hora da comida, não entendem que precisam ficar junto dele o tempo todo para se familiarizar com ele. Esses não distinguem com clareza a Sua voz.

Quem tenta tirar as ovelhas da mão do Pai? São aqueles que aproximam as pessoas para si mesmos e não para Jesus. São eles que matam, roubam e destroem, isto é, tiram as ovelhas das mãos do Pai. Quando um líder religioso age dessa forma, ele está, sim, agindo como um ladrão de ovelhas. Bem como o mercenário, que só quer o dinheiro dos cristãos. Então, neste contexto, o maior perigo para a ovelha é a doutrina errada que recebe dos pregadores.

Vamos analisar um exemplo de doutrina errada. Para isso, leia o versículo abaixo, que está João 10:28:

Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão.

Perceba que, ao lermos esse versículo fora do contexto, o que parece é que uma ovelha nunca, em circunstância alguma, poderá ser tirada das mãos de Jesus. Dessa forma, ela automaticamente ouviria a voz do Pastor Jesus a partir do momento em que passasse a fazer parte do rebanho. Entretanto, a verdade não é bem essa. Se atentarmos para esse trecho de forma contextualizada, veremos que Ele ensinou sobre o cuidado que nós, ovelhas, devemos ter com quem está trazendo ensinamento errado, pois isso, sim, nos tirará das mãos de Jesus.

O objetivo desta carta é fazê-lo refletir sobre a importância de distinguir a voz do Senhor. Sabemos que não é automático ouvir a voz de Deus. Entretanto, posso afirmar que quanto mais se ora em línguas, mais você será treinado a ouvir a voz de Deus. Quanto mais se ouve a voz do Pastor, mais proteção haverá para sua vida. Afinal, ao ouvi-lo, você o seguirá.

Todo cordeiro tem de passar pelo processo de crescimento. Quando nascemos de novo, somos iguais aos cordeiros: espiritualmente falando, podemos crescer ou ficar nessa condição até irmos para o céu. Para ouvir a voz de Deus temos que crescer espiritualmente. Há de se ler muito a Bíblia e orar em línguas também para ouvir a voz do Pastor. Cuidado para não ouvir a voz do estranho.

Quero lhe incentivar, com esse ensino, a buscar a Deus diligentemente, a fim de conhecer a Verdade e crescer espiritualmente. Não caia nos enganos do diabo, que usa uma doutrina completamente diferente da que Jesus ensinou para que nunca vejamos os resultados dos nossos clamores a Deus.

Arrume um tempo no seu dia e ore mais em línguas. Leia a Palavra: você encontrará paz para sua vida e direção nas horas difíceis. Para os problemas que você acha que não têm solução, você saberá como proceder para que sejam solucionados definitivamente. Você vai saber entender, em seu íntimo, que Jesus é a Verdade e traz solução para todos os nossos problemas.

Graça e Paz, Ana Maria Dias

Print Friendly