Amado(a) Irmão(a),

Glória seja dada a Deus por termos acesso ao livro mais importante de todos os tempos: a Bíblia. É por meio da Palavra de Deus que podemos conhecer os Seus pensamentos sobre nossas vidas e a Sua vontade. Não permita que acabe um dia sem que você tenha explorado a Bíblia! Não percamos o que já está liberado para nós.

Vamos começar essa carta entendendo algo espetacular que o Espírito Santo nos revela a respeito da completude do nosso ser: o espírito, a alma e o corpo se harmonizam. Veja o que diz I Tessalonicenses 5:23:

O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.

O nosso corpo será glorificado, a nossa alma será transformada, e tudo será ajustado depois que passarmos do livro de Apocalipse. Mas, até que isso aconteça, temos que lidar com a imperfeição.

Muitos cristãos relatam os problemas que têm com a carne, mas, na verdade, a carne não é autônoma. Ela própria não controla seus hábitos e comportamentos: o corpo físico não é nada mais que um veículo de uso que opera no âmbito natural. Veja a ordem listada no versículo acima: primeiramente vem o espírito, depois a alma, e então o corpo.

A alma é o filtro. E quando a alma controla o corpo, temos problemas. Por outro lado, quando o espírito controla o corpo, os problemas são resolvidos. As pessoas têm hábitos ruins, como comer demais, fumar, beber, a dependência de drogas, o excesso de TV, etc. Tudo isso se deve à alma, afinal, seus atributos são: a mente, a vontade própria e as emoções.

A alma sempre foi o canal das decisões que tomamos na vida. Veja como isso funciona: as pessoas persistem no vício quando confiam na alma, mas ficam livres quando são guiadas pelo espírito. Este, então, ultrapassa a alma e chega ao corpo, que antes estava sob controle da alma e fazia tudo o que ela dizia. Na maioria dos casos, as pessoas não têm problema com o pecado, e sim, com a alma. E isso só se resolverá quando forem guiadas pelo espírito.

Desde que nascemos, fomos treinados a seguir a alma, que age no natural. Por quê? Porque nascemos com a natureza do pecado. Mas ao nascer de novo, uma mudança interior acontece e, de repente, a alma entra em contato com a Vida. A alma, então, tem que se sujeitar ao espírito. Você pode observar que há partes da alma que serão controladas pelo espírito facilmente, mas outras não vão querer se render a tal autoridade. A alma vai lutar constantemente com o espírito para continuar no domínio, e é nesse momento que você precisa ser espiritualmente forte.

Muitos cristãos querem controlar suas vidas através da alma, almejando mudanças por vontade própria, ignorando o espírito. É como se a alma ficasse contra ela mesma, contra a sua índole, e é dessa forma que se adquire depressão. É triste ver muitos cristãos nessa condição. Somente a Verdade pode mudar fatos e circunstâncias e, por isso, é extremamente importante a oração em línguas.

A alma rejeita os ensinos e é contrária à Palavra, mas, quando se ora em línguas, o espírito vai crescendo e, aos poucos, dominando a alma, que vai recebendo instruções do espírito. Lembre-se que o espírito tem a vida e a natureza de Deus.

O apóstolo Paulo ensina isso aos judeus em Romanos 2:14-16:

Quando, pois, os gentios, que não têm lei, procedem, por natureza, de conformidade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei para si mesmos. Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se, no dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar os segredos dos homens, de conformidade com o meu evangelho.

O que Paulo está dizendo aqui é que os gentios que nasceram de novo estavam vivendo de acordo com a Lei, sem nunca a terem conhecido ou recebido. Mas eles a tinham porque nasceram de novo e, por isso, a consciência os acusava ou os aprovava, mesmo não sendo como os judeus, que já conheciam a Lei. Aqueles gentios, apesar de não terem o conhecimento, conscientizaram-se do que Deus queria ou não, por meio do novo nascimento. E a razão é: a alma recebeu instruções através do espírito nascido de novo.

Isso foi um problema para os judeus na época, que não entendiam como os gentios se tornaram como eles, filhos de Deus. Foi por isso que Paulo teve que lhes explicar o ocorrido, pois até que se nasça de novo não se é filho de Deus.

Pois bem, a alma está entre o espírito e o corpo. Tudo o que você coloca para dentro do seu corpo, como por exemplo, fumar, ou outra coisa qualquer, a alma recebe. Com o tempo, ela se acostuma, e interpreta aquilo como agradável e bom: assim surgem os hábitos e vícios.

Nós que nascemos de novo não precisamos nos sujeitar aos vícios, pois temos o espírito nascido de novo. A nova natureza é que muda as coisas, pois quando o espírito fica mais forte que a área problemática na sua vida, com certeza o problema acaba definitivamente.

Algumas pessoas conseguem mudar o comportamento rapidamente, enquanto outras levam anos. Deixe-me explicar: não é que Deus use o Seu favor para um cristão mais do que para outro. O problema é a alma, que, naquela área, ainda está mais forte do que o espírito, e continua a dominar a situação. Mas a verdade é que o espírito pode ficar mais forte em qualquer área para dominá-la.

Quero enfatizar outro ponto muito importante: dependendo da doutrina que nos foi ensinada, a alma pode controlar o que cremos. Saiba que, quando temos um ensino correto, nunca fazemos perguntas do tipo: “Por que minha cura não aconteceu ainda?” ou “Por que Deus não faz o que preciso?”.

Quantas vezes vemos pessoas que foram cheias com o Espírito Santo, sem problema algum para orar em línguas. E quantas com bloqueios nessa área, não é mesmo? É a alma atrapalhando, impedindo-as de orar, porque não creem que já estão cheias com o Espírito Santo.

Retomando: a alma fica no meio do espírito e do corpo e, antes do novo nascimento, ela era o filtro de tudo. Após nascer de novo, o espírito dá a ordem, mas se a alma se negar, não se tem o resultado desejado (como, por exemplo, uma cura). Pense que a alma foi bombardeada por anos e anos com os ensinos errados em relação à cura. O que a alma acreditava era no seguinte conceito: só recebemos a cura através das orações de outras pessoas. Pois bem, muitas vezes, em casos assim, a alma acaba criando um bloqueio para aceitar que a própria oração produza a cura. Precisamos tomar muito cuidado, porque as pessoas ao nosso redor nos influenciam muito com seus conceitos, e a alma vai sendo bombardeada pela crença errada.

Entretanto, quando oramos em línguas, a alma não faz ideia do que isso seja.  E aí está a grande transformação. Nascemos de novo e, ao orarmos em línguas, nosso espírito vai ficando cada vez mais e mais forte, e a alma enfraquecerá.

A alma não só vai ter que obedecer a essa nova natureza, mas também à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, que habita em nosso espírito. A alma, então, vai perdendo o controle progressivamente, dia após dia de entrega à oração em línguas. O poder da alma de tomar decisões por meio de crenças erradas também enfraquece, pois tudo agora está sendo filtrado pelo espírito. E é isso mesmo que o espírito quer; ele deve decidir e ordenar com a autoridade que Jesus lhe deu com o novo nascimento.

A alma quer entender a oração em línguas para filtrar, mas não consegue. O Espírito Santo fala diretamente com nosso espírito através da oração em línguas. O que a alma sabe é que está perdendo terreno na crença errada. E ela não sabe o que o espírito está recebendo com esse ensinamento divino.

Entretanto, o diabo está sempre por perto, tentando convencer a alma de que há algo mais importante do que orar em línguas. Dessa forma, a alma virá com ideias de todo o tipo, para que a oração em línguas cesse. Essas ideias são para distrair, por exemplo, talvez você nunca tenha limpado o banheiro de sua casa, mas você vai ter essa ideia e um desejo grande de limpá-lo, e, de repente, você vai até mesmo gostar de limpar o banheiro. Após limpar o banheiro, você estará cansado, e não voltará a orar.

Pois bem, a alma pode ser bem sucedida, achando que o vício é algo ótimo, e fará você se sentir muito bem sendo dominado por ele. Portanto, temos de orar e vigiar.

Você percebeu o quão importante é orar em línguas para que nosso espírito cresça e passemos a tomar decisões que vêm do espírito? A alma só nos prejudica. Meu desejo para sua vida é que você persevere na oração em línguas. Os resultados espirituais acontecerão e serão excepcionais! Deus só nos dá o que é bom!

Graça e Paz,

Ana Maria Dias

Print Friendly, PDF & Email