Amado(a) Irmão(a),

Vamos examinar juntos algumas passagens da Bíblia a fim de nos conscientizar da importância de obedecer ao que o Senhor nos diz? É por meio desse comportamento de obediência que veremos os resultados que desejamos. Deus é fiel e cumpre Sua Palavra. Mas eu lhe pergunto: você tem sido fiel? Você tem estado sempre pronto a obedecer às ordens Dele?

Imagine se Jesus aparecesse em seu quarto e começasse a lhe dar ordens e direcionamento. Você sentiria seu coração queimar e, prontamente, diria sim a todas as instruções, não é? Mas não é bem assim que acontece, afinal, Ele não vai aparecer fisicamente. Entretanto, é quando você o busca que Ele lhe dá todas as instruções. Novamente lhe pergunto: você vai fazer o que Ele disser?

Vamos começar com a leitura de Lucas 24:13-35:

Naquele mesmo dia, dois deles estavam de caminho para uma aldeia chamada Emaús, distante de Jerusalém sessenta estádios. E iam conversando a respeito de todas as coisas sucedidas. Aconteceu que, enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e ia com eles. Os seus olhos, porém, estavam como que impedidos de o reconhecer. Então, lhes perguntou Jesus: Que é isso que vos preocupa e de que ides tratando à medida que caminhais? E eles pararam entristecidos. Um, porém, chamado Cleopas, respondeu, dizendo: És o único, porventura, que, tendo estado em Jerusalém, ignoras as ocorrências destes últimos dias? Ele lhes perguntou: Quais? E explicaram: O que aconteceu a Jesus, o Nazareno, que era varão profeta, poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de todo o povo, e como os principais sacerdotes e as nossas autoridades o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. Ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir a Israel; mas, depois de tudo isto, é já este o terceiro dia desde que tais coisas sucederam. É verdade também que algumas mulheres, das que conosco estavam, nos surpreenderam, tendo ido de madrugada ao túmulo; e não achando o corpo de Jesus, voltaram dizendo terem tido uma visão de anjos, os quais afirmam que ele vive. De fato, alguns dos nossos foram ao sepulcro e verificaram a exatidão do que disseram as mulheres; mas não o viram.

Então, lhes disse Jesus: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura, não convinha que o Cristo padecesse e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras. Quando se aproximavam da aldeia para onde iam, fez ele menção de passar adiante. Mas eles o constrangeram dizendo: Fica conosco porque é tarde, e o dia já declina. E entrou para ficar com eles. E aconteceu que, quando estavam à mesa, tomando ele o pão, abençoou-o e, tendo-o partido, lhes deu; então, se lhes abriram os olhos, e o reconheceram; mas ele desapareceu da presença deles. E disseram um ao outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras? E, na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém, onde acharam reunidos os onze e outros com eles, os quais diziam: O Senhor ressuscitou e já apareceu a Simão! Então, os dois contaram o que lhes acontecera no caminho e como fora por eles reconhecido no partir do pão.

Tudo isso aconteceu no mesmo dia da ressurreição de Jesus. Antes desse momento, ninguém O tinha visto ainda, a não ser esses dois que estavam a caminho de Emaús. Pouco tempo depois, Jesus apareceu para os onze apóstolos e outros que estavam com eles. Naquele momento, Ele passou a rever com eles o que já havia ensinado há três anos e meio. Vejamos como Jesus concluiu, em Lucas 24:49:

Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai, permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder.

A ordem era ficar em Jerusalém. Mas, em relação a isso, vamos ver o que está escrito em João 21:1-2:

Depois disto, tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos junto do mar de Tiberíades, e foi assim que ele se manifestou: estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e mais dois dos seus discípulos.

Eram sete ao todo. E eles não estavam em Jerusalém, conforme Jesus havia ordenado. Eles foram pescar. Já era a terceira aparição de Jesus a eles depois da ressurreição, então, é claro que criam que Jesus estava vivo, mas mesmo assim não obedeceram às suas ordens.

Pedro resolveu ir pescar e seis deles o acompanharam. Embora Jesus tenha dito que a Promessa do Pai seria cumprida, Pedro resolveu ir pescar porque estava muito preocupado em como iria pagar as contas e alimentar a família. Ele achou que não conseguiria isso em Jerusalém, então, com sua mente, racionalizou o que seria melhor para ele e tomou a decisão de voltar a pescar. Ele também acabou influenciando os outros a largarem o lugar onde Jesus falou para ficarem.

Dessa forma, sete apóstolos deixaram Jerusalém e foram pescar para ganhar dinheiro e garantir o sustento para suas vidas. É por isso que, nos versículos mais adiante, Jesus pergunta a Pedro se ele O amava mais do que o esforço natural poderia produzir.

 

Perceba que Jesus faz essa pergunta a nós também. Afinal, nós costumamos dizer sim a Jesus na hora da empolgação e declaramos que O amamos, mas na hora de obedecê-Lo, acabamos por fazer o que Pedro e os outros fizeram: vamos pescar. Nós realmente somos muito bons em decidirmos com nossa mente o que fazer, em vez de esperar, obedecer e confiar nas instruções de Jesus.

Vamos ler Atos 1:3,4,8 e12:

A estes também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus. E, comendo com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. […] Mas recebereis poder, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra. […] Então, voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a jornada de um sábado.

Os apóstolos estavam tendo problemas em obedecer, apesar de terem convivido com Jesus por três anos e meio. Embora a vontade do Senhor seja o melhor para nossas vidas, nem sempre é tão fácil obedecê-la. Isso porque temos que lutar com nossa carne para conseguirmos fazer o que Ele nos diz. Por acaso você se lembra de quando foi a última vez que recebeu instruções de Jesus? O que foi mesmo que Ele lhe falou para fazer?

A ordem Dele pode ser algo tão simples, como orar uma hora por dia. Ele sabe que você vai ter que lutar por aquela hora. E é uma instrução muito simples, não é mesmo? Além disso, quantas vezes você já disse sim a essa ordem?  Mas é difícil cumprir esse sim todos os dias, não é mesmo? Entretanto, saiba que Deus jamais vai pedir para você orar duas horas por dia se você ainda não é capaz. No caso dos discípulos, ele pediu apenas para que ficassem em Jerusalém, e mesmo assim não O obedeceram.

Procure examinar seu coração e veja o que Deus falou para você fazer. Tudo o que Ele pedir, você pode fazer. Às vezes, Ele quer corrigir um mau hábito, como por exemplo, colocar o carrinho do supermercado no lugar quando acabar de usá-lo, ou qualquer outra coisa que esteja prejudicando o próximo. Então, quando Deus nos fala para fazermos algo é porque há uma razão para tal. Temos que enfrentar a carne para obedecê-Lo.

Parece tão simples ser obediente ao Senhor, por isso, neste exato momento, eu oro a Deus Pai que nos mostre em que área estamos sendo desobedientes. Peço ao Senhor que nos dê sua graça para ficarmos em “Jerusalém”. Afinal, para experimentarmos o poder de Deus, temos que estar onde Ele nos manda ficar, pois só os que estavam em Jerusalém experimentaram de Seu Poder no dia de Pentecostes.

O ministério de Jesus teve sucesso porque Ele obedeceu ao Pai e nunca fez o que Ele achava que deveria fazer. Ele passava as noites a sós com o Pai e lá recebia toda direção para o que fazer no dia seguinte. O Pai o direcionava até mesmo sobre os lugares a que deveria ir.

Saiba que obediência sempre produz resultado. Para obedecer a Deus é preciso ouvi-Lo, e para que isso aconteça é necessário ficar tempo suficiente com Ele.

Vejamos Provérbios 8:1,6,7,10,14-21:

Não clama porventura, a Sabedoria, e o Entendimento não faz ouvir a sua voz? […] Ouvi, pois falarei coisas excelentes; os meus lábios proferirão coisas retas. Porque a minha boca proclamará a verdade; os meus lábios abominam a impiedade. […] Aceitai o meu ensino, e não a prata, e o conhecimento, antes do que o ouro escolhido.  […] Meu é o conselho e a verdadeira sabedoria, eu sou o Entendimento, minha é a fortaleza. Por meu intermédio, reinam os reis, e os príncipes decretam justiça. Por meu intermédio, governam os príncipes, os nobres e todos os juízes da terra. Eu amo os que me amam; os que me procuram me acham. Riquezas e honra estão comigo, bens duráveis e justiça. Melhor é o meu fruto do que o ouro, do que o ouro refinado; e o meu rendimento, melhor do que a prata escolhida. Ando pelo caminho da justiça, no meio das veredas do juízo, para dotar de bens os que me amam e lhes encher os tesouros.

A Sabedoria diz que se formos a Ela, receberemos instruções. E se formos obedientes, os versículos de Provérbios, acima, serão verdade em nossas vidas. Se obedecermos a Deus vamos ver as curas, libertações, e toda sorte de provisão.

Aconselho você a ficar um tempo com Deus, todos os dias, orando em línguas e adorando Seu Nome Santo. E de lá virão todas as instruções para sua vida; os ajustes serão feitos e os problemas serão resolvidos.

Você pode ouvir Deus e obedecê-Lo, afinal, você nasceu de novo e tem a natureza Dele dentro de você. Usufrua desse poder, em nome de Jesus!

Graça e Paz,

Ana Maria Dias