Amado(a) Irmão(a),

Neste mês, vamos estudar a paz, que é uma das peças da armadura do cristão. Em nosso dia a dia, precisamos ter a paz de Deus para vencermos as batalhas espirituais.

Muitos dos problemas que existem no Corpo de Cristo são resultados dos ataques sutis do diabo e, por isso, não podemos guerrear com as armas naturais. Vamos começar lendo o versículo 4 de II Coríntios 10:

Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando sofismas.

Muitas pessoas dizem que, quando estão passando por fortes ataques do inimigo, oram e entregam a Deus a situação. Até certo ponto isso está certo. Entretanto, Paulo identificou que a batalha não é de Deus, e nós temos que lutar também. É claro que Deus é por nós, mas não podemos nos isentar da responsabilidade.

Quando dizemos “Deus, tudo está em Tuas mãos”, e apenas sentamos, sem nos mover para atacar o inimigo, nada acontece. É imprescindível que tenhamos a unção do Senhor ao usarmos as armas espirituais para lutar.

Observe agora Efésios 6:10-17:

Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poder ficar firmes contra as ciladas do Diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.        Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.

Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça.   Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomais também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.

Devemos estar vestidos com a armadura de Cristo. O diabo quer que pensemos que é muito complicado atacá-lo e que por isso não vamos fazê-lo. Mas precisamos guerrear, e a paz é uma arma que nos protege contra o inimigo.

Para complementar o que lemos acima, em Efésios, vamos ler mais duas passagens. A primeira está em Colossenses 3:12-15:

Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de mansidão, de longanimidade. Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós; acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição. Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, a qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sedes agradecidos.

A segunda leitura está em Filipenses 4:4-7:

Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.

O que podemos perceber por meio da leitura destas passagens é a importância da paz de Deus em nossas vidas. Imagine uma casa rodeada de forças militares para proteger contra qualquer ataque de um inimigo: essa é a segurança que a paz de Deus nos dá.

Quando Paulo descreveu a paz como uma arma, ele tinha em mente um soldado romano vestido para a guerra. Como lemos anteriormente, em Efésios, ele diz “calçai os pés com o evangelho da paz”. Ele visualizou os calçados dos soldados, que eram totalmente de metal e vinham do joelho até os pés, até mesmo as solas eram de metal, para chutar o inimigo enquanto lutavam. Os calçados também eram uma arma, e hoje, ao calçarmos os pés com o evangelho da paz, estamos armados também.

Com isso em mente, vamos ler o versículo 20 de Romanos 16:

E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás.

Esmagar quer dizer aniquilar, deixar sem poder. E se você anda em paz, o inimigo não pode se levantar: ele fica no chão, caído, derrotado. Quando você anda na paz de Deus, o diabo sabe que se não correr e fugir de você, ele vai ficar debaixo de seus pés, esmagado, sem poder algum, e não poderá se levantar.

Veja o que dizem os versículos 8 a 11 de I Pedro 3:

Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados, a fim de receberdes bênção por herança. Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente; aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la.

Nessa passagem, Pedro nos exorta a ir atrás dessa paz, porque por meio dela sempre conquistaremos as vitórias. Não podemos nos esquecer de que Jesus andou sempre em paz e não se abalava com os ataques do diabo, e foi essa nova natureza que Ele nos deu.

Você pode estar se perguntando como andar nessa paz que excede todo o entendimento. Eu lhe respondo: por meio da adoração e da oração em línguas.

Saiba que orar em línguas e adorar é uma decisão sua; faz parte da sua responsabilidade se mobilizar para se render a Deus e atacar o diabo. E se sua mente “viajar” e for para outros lugares enquanto orar em línguas, ou mesmo se você não estiver se sentindo bem enquanto estiver adorando, você decidiu orar e adorar a qualquer custo, então o medo ficará de fora. Asseguro a você que nestas condições o medo não pode entrar, ficar e nem controlar seus pensamentos. Foi isso que vimos nas citações acima, principalmente em II Coríntios 10:4, pois a adoração não é uma arma carnal, mas espiritual, que destrói fortalezas, equilibrando nossas emoções, e derrotando o diabo.

Se a preocupação tomar conta de seus pensamentos, estamos fora da vontade de Deus. Lembre-se disso e refugie-se imediatamente na oração em línguas e a na adoração ao Senhor.

Quando Paulo afirmou que aprendeu a ser contente em qualquer situação é porque ele aprendeu a andar na paz. Então, meu irmão, vá atrás dessa paz e ande em vitória sempre. Se Jesus é por você, quem será contra? Ele já te deu as armas!

Graça e Paz,

Ana Maria Dias