Amado(a) Irmão(a),

Neste mês de novembro, vamos estudar a Palavra de Deus e observar como o Senhor diz que qualquer situação negativa pode ser corrigida por meio da oração. Nós nunca saímos sem as bênçãos de Deus quando entramos na Presença Dele.

Vamos começar observando o que Ele diz em II Crônicas 7:14:

Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.

Sabemos que o Senhor não mente e é fiel para cumprir suas Palavras.

Agora veja o que está escrito em Ezequiel 22:30:

Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei.

Temos que perceber que o Senhor constantemente busca por alguém para mudar a situação, Ele quer agir. Na passagem anterior, Deus revela nosso posicionamento de autoridade aqui na Terra. Ele quer que as situações mudem, mas precisa da ajuda de um ser humano. Ele precisou de Maria para Jesus, O Redentor, nascer. É difícil aceitar que Deus precisa da nossa ajuda para alguma coisa, mas isso foi o que vimos nessas passagens. A menos que Ele ache alguém, nada vai acontecer.

Quão maravilhoso é isso: diante da grandeza de Deus, Ele ainda assim espera nossa intercessão, porque nós temos autoridade nesse mundo. Em Gênesis, Ele deu domínio ao homem. Pois bem, Deus tem o poder, a unção e as respostas, mas depende que nós permitamos o Seu agir.

Como vimos, em Ezequiel, Ele disse: “Sararei a sua terra”. Essa é a vontade Dele, e o que Ele fala, Ele cumpre. Somente abra seu coração e dê uma chance à Palavra que vem de Deus.

Vou dar um exemplo “bobo” para você entender o que estou falando. Digamos que você venha até mim e diga que quer comer um bolo de chocolate, mas você não sabe fazê-lo. Então, suponha que eu diga para você ir ao mercado comprar os ingredientes para que eu prepare o bolo para você. Agora, imagine que os dias passam e você continua repetindo que quer comer o bolo de chocolate. Eu já me ofereci para preparar o bolo, mas você nunca foi comprar os ingredientes. Pois bem, assim é com Deus: Ele está constantemente dizendo para você trazer os ingredientes para Ele fazer o que você precisa.

Vamos ler agora o que Jesus disse em João 14:13-14:

E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.

Observamos o Corpo de Cristo sofrendo na derrota por falta de fé. E Deus diz que vai fazer o que pedimos. O problema consiste em não crermos enquanto oramos. Para entender melhor, vamos ler João 15:16:

Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.

Veja que foi Deus que nos escolheu para ser nosso Salvador e não nós que o escolhemos para tal, e por isso Ele diz que se eu pedir, Ele me concederá. O Pai quer que frutifiquemos em relação à Sua vontade.

Veja agora o que está escrito em João 16:23:

Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome.

Entretanto, atenção, precisamos investigar se o que pedimos é para a glória de Deus ou para nós mesmos. Talvez os nossos motivos não sejam totalmente puros.

Observe os versículos 18 e 19 de Lucas 4:

O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos e apregoar o ano aceitável do Senhor.

Os versículos acima informam o propósito de Deus para nós. Vejamos, agora, em paralelo, o que está escrito em Tiago 4:2-3:

Cobiçais e nada tendes; matais e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras. Nada tendes, porque não pedis; pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjares em vossos prazeres.

Perceba que a palavra de Deus diz que não recebemos porque não pedimos, e, se pedimos, pedimos erradamente, isto é, pedimos o que não é da vontade Dele, só nos preocupando com coisas que servem apenas para nosso benefício e não para o reino.

Não significa que Deus não queira nos dar um carro melhor ou uma casa própria, mas se nos preocupamos mais com nós mesmos do que com o reino, essa é uma oração errada.

Observe o que diz João 15:7:

Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.

Entenda que orar em Nome de Jesus não é mágica, não é assim que funciona. Além disso, cuidado para não tentar manipular a Deus em sua oração. Por exemplo, vamos supor que, em oração, você peça uma alta quantia em dinheiro para o Senhor, para usar no reino, entretanto, no dia que pega o dinheiro na mão, diz para o Senhor que não tem tempo, e que não pode servi-Lo naquele momento. Se a Palavra de Deus está em nós e nós estamos na Palavra, não vamos pedir errado.

Observe agora Mateus 17:19-20:

Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus, perguntaram em particular: Por que motivo não pudemos nós expulsá-lo? E ele lhes respondeu: Por causa da pequenez da vossa fé. Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível.

Na passagem acima, Jesus declara que os discípulos tinham mais incredulidade no coração do que fé, pois com fé nada é impossível. Aqui está a correlação novamente com a passagem que lemos anteriormente, em Lucas, pois o propósito é pedir e receber de acordo com a vontade de Deus.

Não fomos treinados em crer que Deus precisa de nossas orações, não sabemos crer na Palavra de Deus. Jesus disse que se Ele permanecer em nós e nós Nele, podemos pedir e seremos atendidos. Desde a infância, foi nos ensinado a orar o que pensamos, e quando ouvimos falar em orar em línguas, achamos muito esquisito, não é mesmo? Confessar a Palavra por um bom tempo, achamos mais esquisito ainda. Nada nos foi ensinado sobre exercermos autoridade na oração, mas temos que buscar o entendimento sobre nossa autoridade.

O mal da religião é ensinar que nós não precisamos fazer nada porque Deus é Soberano e Ele vai agir de qualquer jeito. Por exemplo, quando estamos passando por uma adversidade, em nossas conversas, dizemos que esperamos que aquilo passe e que seja resolvido. Entenda que isso é incredulidade, pois, se sei que Deus ouve a Palavra Dele, como tenho dúvida que vou receber a resposta? Está escrito em Romanos 10:17:

E assim, a fé vem pela pregação (vem por ouvir), e a pregação (e o ouvir), a palavra de Cristo.

Por isso, a oração que eu faço, todos os dias, é baseada nisso que acabamos de ler. Eu creio que Deus está agindo e, pela fé, recebo, em Nome de Jesus.

Existem três tipos de oração que são garantidas para se receber a resposta do Senhor: o primeiro tipo é a oração de acordo com a vontade de Deus, o segundo tipo é a oração segundo a Palavra de Deus, e o terceiro tipo é a oração em línguas.

Pois bem, esses três tipos de oração são garantidos, o que varia é a fé. Deus não age fora da Palavra Dele e nem fora da Sua Vontade, por isso Ele não pode agir nas orações que são só verbais — algo mental—, baseadas no que pensamos.

Deus mostrou que se o seu coração age de acordo com a Palavra, você vai ser abençoado; aprenda com o Espírito Santo a se submeter inteiramente ao que Ele diz, com fé, para que os problemas da vida sejam resolvidos, pois a Palavra de Deus, quando traz a solução, é para sempre, porque a Palavra é eterna.

Arrume um tempo no seu dia a dia para ler a Palavra e depois ore em línguas. O Espírito Santo vai, aos poucos, falar com você sobre a solução dos seus problemas, mudando você por dentro.

Graça e Paz,

Ana Maria Dias

Print Friendly