Amado(a) Irmão(a),

Quero estudar com você neste mês, de acordo com a Palavra de Deus, como ser guiado por Ele através do testemunho interior. Esse testemunho interior não vem das emoções, mas sim da consciência da nova natureza.

Quando não éramos nascidos de novo, já tínhamos uma consciência, mas a que temos agora está ligada a quem somos em Cristo Jesus. Essa nova consciência não é guiada pelas emoções, mas causa um impacto nelas. Afinal, não podemos seguir as emoções para obedecermos a vontade de Deus. Nossas emoções oscilam, mas ao aprendermos a confiar na consciência da nova natureza, sabemos o que fazer sem nos importar com as emoções ou circunstâncias. Esta é a primeira maneira de Deus nos guiar, embora os cristãos tenham muita dificuldade em saber o que Deus quer que eles façam.

É importante frisar que a consciência não é uma voz, não estou falando aqui em “ouvir”, literalmente, a voz de Deus. É bastante comum as pessoas afirmarem que Deus falou com elas, e isso acaba passando a impressão de que essas pessoas estão ouvindo a voz de Deus o dia todo. Entretanto, não é isso o que realmente acontece.

A verdade é que é preciso desenvolver a consciência para saber a vontade de Deus. Vejamos Romanos 8:15:

         Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai.

         No dia a dia, você não fica ouvindo o Espírito Santo dizer que você é filho de Deus, mas sim você recebe a paz espiritual que testifica que você é filho de Deus. Essa paz espiritual é totalmente diferente da paz emocional, que é aquela que vem, por exemplo, quando as contas estão pagas e você não precisa se preocupar com isso. As pessoas se acostumam com as circunstâncias e parece que até gostam delas. Mas a paz de Deus se distancia das circunstâncias, ela é espiritual, e é a mesma paz de Deus.

Vamos ler o que está escrito em Hebreus 8:10:

         Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor: na sua mente imprimirei as minhas leis, também sobre o seu coração as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

O Senhor está dizendo que vai pôr a Lei na mente do povo, e também inscrevê-la nos corações. Ao dizer “inscrever no coração”, Ele se refere à nova natureza espiritual. Precisamos também entender que, ao falar de “Lei”, Ele não está se referindo a sacrificar animais, por exemplo, mas ele quer dizer que nos deu os “Dez Mandamentos”. Ele disse que daria a consciência da Lei.

Vejamos agora Hebreus 10:16:

         Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei. […]

Aqui está escrito “mente” (e não “coração”), mas não é contradição, porque não se pode separar o que está no coração (no espírito humano) do que está na consciência.

Observe o que está escrito em Jeremias 31:33:

         Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

Aqui Ele fala novamente em “inscrever no coração”. Nosso coração tem a essência do que Deus é, não a deidade Dele, mas o caráter, a natureza, o coração dos Dez Mandamentos; tudo isso é parte da nossa nova natureza e da consciência.

Vamos agora para Romanos 2:14:

         Quando, pois, os gentios, que não têm lei, procedem, por natureza, de conformidade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei para si mesmos.

                Os gentios não tinham a lei porque os Dez Mandamentos não foram dados a eles e sim aos judeus; eles não tinham ideia do que eram os Dez Mandamentos e nem conheciam Moisés, mas ao ouvirem falar de Jesus eles O aceitaram como Senhor e Salvador de suas vidas e receberam a lei escrita em seus corações.

Veja agora a continuação, no versículo 15:

         Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se.

O que o apóstolo Paulo está dizendo aqui é: quando os gentios enfrentavam alguma situação contrária aos Dez Mandamentos, algo dentro deles dizia que havia algo errado. Uma acusação vinha de dentro deles, reprovando o pensamento errado, e mostrando que aquilo estava fora da Lei, isto é, fora da Palavra de Deus. E é dessa maneira que a nova natureza e a consciência agem. Não é preciso que alguém fale que está errado, porque a consciência da nova natureza já faz isso, ela está continuamente em alerta. Saiba que a consciência da nova natureza é o nosso próprio “eu”.

Vamos ler agora I Timóteo 4:1-2:

         Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência.

            Quando a consciência avisa que não devemos fazer algo, mas mesmo assim o fazemos, então a culpa vem. Mas, atenção, se acontecer de sairmos da fé por acreditar nas mentiras que vêm das doutrinas do diabo, a consciência vai avisar e, se não quisermos ouvir a consciência, ela vai aos poucos ficando cauterizada. Saiba que essas doutrinas erradas não falam contra Jesus, mas contradizem a Verdade.

Então, a fonte da condenação é a consciência da nova natureza, mas se deixar de obedecê-la, achando que está tudo bem com o pecado, a consciência vai ficar cauterizada e é assim que você se torna mais amigo do mundo do que de Deus, tornando-se mais insensível as coisas do Senhor.

Por exemplo, você pensa “não preciso ir à igreja, porque meu relacionamento com Deus está bem”. Isso está errado e é por esse mesmo caminho de pensamento que se abrem igrejas para homossexuais, porque creem que está tudo certo, contanto que pessoas estejam sendo ajudadas.

Mas a consciência também pode estar cauterizada naqueles que vão à igreja e louvam a Deus, e sempre acham que está tudo bem. É preciso ter muito cuidado para não fazer como os ímpios, que acham que está tudo bem e nem pensam no Dia do Julgamento.

Precisamos muito da Palavra de Deus porque ela alimenta a Verdade original e dá poder à consciência da nova natureza. A adoração aumenta seus sentidos à Presença do Senhor. Orar em línguas aumenta a sensibilidade da consciência para não ficar cauterizada.

A cauterização é um processo lento, a pessoa vai parando de orar e vai aceitando tudo o que acontece porque não ouve a consciência da nova natureza. Posso dizer que tal pessoa vai à igreja e chega a chorar na hora da adoração, mas quando acaba o culto, nada mudou por dentro, pois não ouve mais a consciência.

É impossível cauterizar a consciência quando se ora em línguas regularmente, porque o Espírito Santo vai agir para o erro ser corrigido.

Veja Isaías 5:20-21:

         Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz e da luz, escuridade; põem o amargo por doce e o doce, por amargo! Ai dos que são sábios a seus próprios olhos e prudentes em seu próprio conceito!

Veja o que a consciência cauterizada faz: troca o certo pelo errado, pois comer o que é amargo e afirmar que é doce é não ter noção do que é doce. Quando as emoções estão liderando, a carne vai sempre pender a julgar o que é errado como sendo o certo.

Vou dar um exemplo de como se ouve a voz de Deus. Imagine que você está numa fila, esperando a sua vez para ser atendido, e seus pensamentos não param de falar com você. Pois é assim mesmo que você vai ouvir a voz de Deus: não serão os seus pensamentos, mas a voz do seu espírito falando o que o Espírito Santo fala com ele. Com a prática da oração, você vai localizar a voz da consciência. Veja a importância de se alimentar com a Palavra de Deus!

A consciência produz pensamentos que vêm de Deus, assim, quanto mais se ora em línguas, mais pensamentos de Jesus recebemos, trazendo a revelação e as instruções para andarmos na vontade Dele.

O Espírito Santo dá testemunho à consciência, a qual nos traz com clareza o que Deus quer para nós.

Então, aconselho você a treinar mais e mais essa sensibilidade à liderança, sem se preocupar em ouvir alguma voz dentro de você, porque o jeito mais comum com o que Deus se comunica conosco é através do testemunho interior, afinal, existe uma conexão do Espírito Santo com a nossa consciência. Lembre-se: não confie, nunca, nas emoções.

Procure ter regularmente uma comunhão com o Senhor por meio da oração. A cada dia você estará aprendendo com Ele sobre essa liderança no espírito, que não falha, e pode livrar você de muitas coisas ruins em sua vida.

Graça e Paz,

         Ana Maria Dias

Print Friendly, PDF & Email