DAVE ROBERSON

Agosto – 2017

Querido Amigo,

           De vez em quando, somos honrados em enviá-lo uma carta de ensino de Gary Carpenter. Gary é um amigo confiável do ministério, ministra regularemente no Centro de Oração da Família em Tulsa, Oklahoma, e é um mestre de ensino notável no Corpo de Cristo.

Este mês, estamos compartilhando com você a mais recente carta de Gary sobre o poder de cura sobrenatural da Comunhão (Ceia). Nós o encorajamos a tomar essa verdade e conhecimento e levá-la ao seu coração. É uma revelação a qual Deus quer edificar em nós a medida que crescemos na totalidade de nossa herança como Seus filhos.

Você não precisa esperar pelo próximo culto de Comunhão na igreja para participar da Santa Ceia. Comunhão está disponivel vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana, e não é limitada a apenas suco de uva e pedacinhos de pão. Onde quer que esteja e não importa o que tenha – o que importa é a fé que você coloca a disposição para receber do Senhor.

Sabemos que será abençoado a medida que permite que o Espírito Santo ministre pessoalmente para você as verdades contidas nesta carta.

Mais de Deus, mais de Sua mente para nós e o que somos n’Ele é onde estamos chegando juntos.

Seus amigos e colaboradores,

Ministério Dave Roberson

  

GARY CARPENTER

           

            Vivemos em uma era onde as pessoas são mais conscientes com relação a saúde do que jamais foram. Em circulos Cristãos, se você for a um seminário sobre viver com saúde, os ensinos focarão em comer comidas saudáveis (a maioria orgânica), beber muita água, fazer a quantidade certa de exercícios físicos, manter uma boa higiene, e por ai vai. Claro, todas essas sugestões são coisas boas a se fazer. E sem dúvida, contribuem para uma boa saúde. A Bíblia nos diz para sermos bons administradores de nossos corpos, pois eles são os templos de nosso Deus vivo.

Mas enquanto estava lendo minha Bíblia um dia, descobri outra grande razão do por quê os Cristãos ficam doentes. É dito tão claramente… Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem (1º Corintíos 11:30). Porquê? A Bíblia nos dá uma razão clara do porquê muitos Cristãos estão fracos e doentes. O que seria? Uma dieta ruim? Falta de exercícios? Fiquei atordoado com a resposta. A causa de muitos Cristãos estarem fracos e doentes, até mesmo ao ponto de morrerem precocemente é… Eles participam da Santa Ceia indignamente. Aqui está a passagem completa:

Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão,

              E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim

              Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o Novo testamento no meu Sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.

              Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.

              Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor.

              Examine-se pois o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice.

              Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.

               Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem.

(1 Coríntios 11:23-30)

            Esta passagem não diz que as pessoas por si próprias são “indígnas.” ( Isto é o que a maioria das pessoas acham.) Não, elas estão participando “indignamente.” Como? Não discernindo o Corpo de Cristo quando entram em Comunhão.

Eu não tinha muita certeza o que isto dizia, mas enquanto estudava a Palavra de Deus, se tornou bem claro o que o Apóstolo Paulo estava dizendo. O propósito desta carta é ensinar o que a Bíblia diz sobre o poder sobrenatural de cura disponível para nós quando participamos corretamente da Ceia.

Tendo crescido na igreja, estive em literalmente centenas de cultos onde a Ceia era servida. Ainda assim em todos esses anos estando nestes cultos, nunca tinha visto uma pessoa ser curada de qualquer doença no momento da Ceia.

Mas Paulo escreve que se ceiarmos de maneira correta, discernindo corretamente o Corpo de Cristo, não seremos fracos, nem doentes, nem morreremos precocemente por alguma doença. Isso significa que tem poder sobrenatural de cura sendo liberado no corpo físico quando ceiamos corretamente.

Sabia que deveria existir muito mais conhecimento sobre a Santa Ceia do que jamais fui ensinado, então comecei um estudo extensivo sobre isto na Bíblia.

Jesus diz em 1º Coríntios 11:24 que o propósito de ceiar é, Faça isto em memória de mim.

            Você já pensou na Santa Ceia, como deve ter sido quando Ele a celebrou com os doze apóstolos? Aconteceu antes que Jesus fosse preso e julgado. Era o primeiro dia dos oito dias de celebração da Páscoa, que ocorre na primavera. O clima era agradável. Havia uma sensação festiva no ar a medida que as pessoas se juntavam de todos os lugares para celebrar a Páscoa em Jerusalém. A celebração anual para se lembrarem de como Deus tinha livrado Israel da escravidão de Faraó depois de terem sido escravos no Egito por gerações. Os discipulos a tinham celebrado com Jesus em anos anteriores.

Em minha meditação, penso nos discípulos celebrando com Jesus em uma bela tarde de primavera em Jerusalém. Nenhum soldado batendo na porta. Ninguém tentando prender Jesus naquele momento. É dificil pensar em uma cena mais tranquila. Quão vastamente diferente as próximas vinte e quatro horas seriam.

Jesus disse aos seus discípulos que o dia viria quando Ele sofreria terrívelmente e seria oferecido na Cruz, mas a Bíblia diz que eles não podiam compreender o que Ele estava dizendo. Jesus sabia que seu tempo tinha chegado . Note suas palavras a medida que serve a Ceia de Páscoa.

E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.

              E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos:

              Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão de pecados.

(Mateus 26:26-28)

Jesus foi traído nesta mesma noite. Foi preso e colocado diante do sumo sacerdote e dos anciãos. Eles deram falsa testemunha de modo a testemunhar contra Ele, e O condenaram a morte. Levaram Jesus a Pôncio Pilatos o qual não achou culpa n’Ele, mas o sumo sacerdote e os anciãos fizeram pressão em Pilatos para soltar um assassino e condenar Jesus a morte. Isto aconteceu depois de Jesus ter sido flagelado com o flagelo Romano (um chicote feito de uma variedade de tiras).

Esta foi a mais cruel flagelação já concebida por homens. Muitos os quais passaram por ela morreram. O chicoteamento era tão severo que muitas vezes a coluna vertebral era exposta e a pele ficava pendurada no corpo como as mangas de uma camisa.

Os discípulos assistiram aterrorizados os machucados no Corpo de Cristo durante a flagelação Romana. Sempre tiveram dificuldade em entender o que Jesus queria dizer com o sofrimento que um dia Ele teria que passar. Agora não havia dúvidas. Eles testemunharam com os próprios olhos, e tiveram que lembrar a noite passada quando Jesus partiu o pão e disse… “Este é o Meu Corpo … partido … por vós!” (1º Coríntios 11:24)

Geralmente me pergunto se os discípulos lembraram das palavras do profeta Isaías o qual viu este evento em uma visão centenas de anos antes: Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas pisaduras fomos sarados. (Isaías 53:5)

Como se a flagelação não fosse o suficiente, os discipulos assistiram enquanto Jesus era pregado na Cruz do Calvário. Da tranquila cena da Ceia da noite passada, eles agora assistem seu amado Senhor tão disfigurado pela flagelação e golpes dos soldados Romanos que Ele mal parecia um humano. De novo, não posso deixar de pensar se eles lembraram as palavras do profeta Isaías o qual viu tudo isso em uma visão séculos antes: Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura mais do que a dos outros filhos dos homens. (Isaias 52:14).

Enquanto os discípulos assistiram o sangue de Jesus ser derramado pela áspera Cruz a medida que saia de Seu corpo, tiveram que lembrar de Suas palavras da noite passada durante a ceia de Páscoa… “Este cálice é o Novo Testamento no meu Sangue” (1º Coríntios 11:25). Eles nunca esqueceriam o que viram aquele dia, por toda as suas vidas, toda vez que participariam da Santa Ceia, lembrariam do preço terrível que Jesus pagou por eles. O Apóstolo Pedro escreveu sobre isto em sua primeira carta: Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados. (1º Pedro 2:24)

Veja que Pedro se refere a dois diferentes eventos no mesmo versículo. Jesus levou sobre si nossos pecados “no madeiro,” mas foi pelas Suas “feridas” que fomos curados. Jesus não foi “ferido” na Cruz. Ele foi ferido no chicoteamento quando Ele aguentou a flagelação Romana.

Este é o porquê há dois elementos na Ceia, não apenas um. Graças a Deus pela Cruz onde Jesus derramou seu sangue como total pagamento por nossos pecados. Através de Seu sacrifício na Cruz, Ele fez possível para nós sermos nascidos de novo filhos do Deus vivo. Este sacrifício é representado pelo cálice. Nosso espírito nasceu de novo. Nosso espírito nascido de novo não é mais deste mundo. Mas temos o mesmo corpo de antes disto. Provisão não nos foi dada para o nosso corpo enquanto permanecermos na Terra? Somos libertos apenas no espírito? Jesus não nos deu provisão para manter nosso corpo saudável enquanto O servimos aqui na Terra? Graças a Deus ele deu!

Cristo não apenas sofreu por nós espiritualmente. Ele permitiu que o seu corpo físico fosse partido pela flagelação Romana. Ele tomou a porção da maldição na queda do homem que permitiu que a doença devastasse nosso corpo. Ele tomou a punição que mereceríamos sobre seu próprio corpo físico no chicoteamento. Nunca mais Satanás pôde tomar o homem cativo legalmente através da doença dizendo, “Eles pecaram e merecem essa punição.” Não! Jesus tomou a punição que mereceríamos sobre Suas próprias feridas. O inocente tomou a punição pertencente ao culpado, e através de Suas feridas, somos curados.

Este é o aspecto de cura o qual Paulo estava se referindo quando disse que muitos Cristãos estão fracos e doentes porque eles não entendem o preço que foi pago por Jesus para nossa cura (1º Coríntios 11:29,30). Muitos não entendem corretamente que o corpo do Senhor foi partido na flagelação… por nós… para prover cura sobrenatural ao nosso corpo físico.

Porque muitos não tem sido ensinados por esta verdade, eles não tem fé para cura quando participam da Ceia. O resultado é que muitos Cristãos amáveis se tornam fracos e doentes, e alguns até morrem precocemente. Mas a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus, e este é o propósito desta carta, para o edificar em seu entendimento sobre o poder de cura sobrenatural a sua disposição através da Ceia.

Jesus disse que quando participamos da Santa Ceia, temos que fazer isto em memória d’Ele (1º Coríntios 11:24). É bom Ceiar na igreja com irmãos com os mesmos ideais. Mas você não precisa esperar até a próxima vez que sua igreja venha a oferecer a Ceia. Você pode participar da Santa Ceia em casa a qualquer momento. A parte importante é fazer isso em memória d’Ele… lembrar do preço que foi pago pela sua salvação e cura – e exercitar sua fé em Sua obra completa de forma a trazer cura para seu corpo natural. Lembre-se … pelas suas feridas … você foi curado! Amém!

Não há fórmula de como orar quando está ceiando. A verdadeira oração é do seu coração para Deus. Mas o exemplo abaixo é uma sugestão de como começar a orar quando participar da Santa Ceia. Sinta-se a vontade para mudar as palavras de forma a expressar totalmente sua gratidão por Ele e declarar sua fé enquanto se lembra da totalidade da provisão de Jesus para com você.

EXEMPLO DE ORAÇÃO

“Senhor, nós lembramos do seu corpo partido por nós. Pelas suas feridas, fomos curados. Senhor, nós lembramos e recebemos nossa cura agora enquanto partimos o pão.” (Você pode comer o pão. Receba sua cura agora!)

“Senhor, nós lembramos do Seu sangue que foi derramado para remissão de nossos pecados. Você nos lavou e limpou com Seu próprio sangue. A vida está no sangue, e lembramos da vida que veio nos dar em abundância. Lembramos e recebemos Sua limpeza e restauração para a herança total agora em Nome de Jesus.” (Você pode beber o cálice. Receba seu perdão e restauração agora!)

 

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios.

É ele que perdoa todas as tuas iniquidades, e sara todas as tuas enfermidades;

(Salmos 103:2,3)

           

   Seu servo em Cristo,

   Gary Carpemter

Print Friendly