Centro de Oração da Família – MinAMD

Amado(a) Irmão(a),

Na carta do mês passado, vimos como era a mentalidade do povo hebreu quando saiu do Egito com o objetivo de entrar na Terra Prometida. Aprendemos que uma mente escrava não é capaz de receber nada de Deus. Mas graças a Deus por Cristo Jesus, que nos libertou dessa condição escrava, transportando-nos para o reino do Filho do seu amor.

Vamos relembrar: aquele povo atravessou o Mar Vermelho com os pés enxutos. Ao chegar do outro lado, logo após esse milagre, as pessoas começaram a questionar Deus. Tiveram medo, ficaram contra Moisés, reclamando, querendo voltar para o Egito e continuar na escravidão. Entretanto, vimos que nem por isso Deus os abandonou. Todos os dias o Senhor supria a necessidade daquele povo, com toda provisão e proteção. Eles até mesmo chegaram a ver a terra que iriam possuir. Doze espias foram até ela e voltaram estupefatos, maravilhados. Mas dez deles acharam que seria impossível; não creram no que Deus disse.

Lembre-se que Josué e Calebe foram os únicos espias que creram. Eles esperaram no deserto por quarenta anos até que todos do primeiro grupo, os que não creram, morressem. As gerações seguintes tiveram uma mente renovada para possuir a terra que foi prometida; não foram escravizadas e precisaram mudar a mente e confiar em Deus.

Imagine quanta fé no coração de Calebe! Mesmo tendo de esperar por décadas para ver a Promessa de Deus ser cumprida, não desistiu nem desanimou. Vejamos Josué 14:6-12:

         Chegaram os filhos de Judá a Josué em Gilgal; e Calebe, filho de Jefoné, o quenezeu, lhe disse: Tu sabes o que o SENHOR falou a Moisés, homem de Deus, em Cades-Barneia, a respeito de mim e de ti. Tinha eu quarenta anos quando Moisés, servo do SENHOR, me enviou de Cades-Barneia para espiar a terra; e eu lhe relatei como sentia no coração. Mas meus irmãos que subiram comigo desesperaram o povo; eu, porém, perseverei em seguir o SENHOR, meu Deus. Então, Moisés, naquele dia, jurou dizendo: Certamente, a terra em que puseste o pé será tua e de teus filhos, em herança perpetuamente, pois perseveraste em seguir o SENHOR, meu Deus. Eis, agora, o SENHOR me conservou em vida, como prometeu; quarenta e cinco anos há desde que o SENHOR falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e já agora sou de oitenta e cinco anos. Estou forte ainda hoje como no dia em que Moisés me enviou; qual era a minha força naquele dia, tal ainda agora para o combate, tanto para sair a ele como para voltar. Agora, pois, dá-me este monte (Hebrom) que o SENHOR falou naquele dia, pois, naquele dia, ouviste que lá estavam os anaquins e grandes e fortes cidades; o SENHOR, porventura, será comigo, para os desapossar, como prometeu.

Pois é, Calebe esperou quarenta anos para tomar posse do que já era dele, e foi por isso que Josué lhe deu a herança. Veja que a visão do coração de Calebe era possuir o monte Hebrom, e foi exatamente o que ele recebeu.  Isso é confirmado em Josué 14:13-14:

         Josué o abençoou e deu a Calebe, filho de Jefoné, Hebrom em herança. Portanto, Hebrom passou a ser de Calebe, filho de Jefoné, o quenezeu, em herança até ao dia de hoje, visto que perseverara em seguir o SENHOR, Deus de Israel.

O monte Hebrom é o lugar onde Deus fez a Aliança com Abraão: era o lugar da herança, das bênçãos, da revelação de tudo o que Deus prometera. Lá, naquele lugar, Abraão criou sua família, e assim foi de geração em geração. Pois bem, José, filho de Jacó (portanto, neto de Abraão), cresceu no Egito. Seus irmãos o venderam, ainda muito jovem, a mercadores que o levaram até lá. Mais tarde, ele trouxe sua família lá de Hebrom para o Egito. Deus deu uma profecia que eles seriam escravos no Egito por quatrocentos anos, mas depois seriam libertos e tomariam posse da Terra Prometida. No entanto, o povo, já liberto do Egito, não reconheceu o Monte Hebrom como o local onde a Aliança tinha sido feita.

Como vimos, quando saíram do Egito, atravessaram com êxito o Mar Vermelho. Doze espias foram conhecer a terra que havia sido prometida pelo Senhor. Mas dos doze espias, somente Calebe e Josué ficaram muito animados e creram. Os outros dez estavam descrentes e desanimados e não enxergaram a benção. Josué e Calebe foram contra o relato dos outros; eles testificaram: “Esta terra é boa, sim”.

Calebe entendeu que aquela terra tinha sido o lugar que Deus falara com Abraão; o lugar onde a Aliança fora firmada. Agora, ele a teria como herança: era chegada a hora de herdar tudo o que Deus prometera. Imagine como foi essa espera! Dia após dia no deserto, vendo um por um morrer (até Moisés morreu)… Cada dia era um a menos no calendário para receber a herança. Ele pensava: “Estou perto de receber o que é meu”. Se fizermos uma correlação com a Nova Aliança, o mesmo aconteceu conosco: esperamos Jesus morrer para que pudéssemos tomar posse do que nos foi prometido.

Calebe sabia, dentro dele, que nada ia pará-lo. Josué 14:10-11 diz:

         Eis, agora, o SENHOR, me conservou em vida, como prometeu; quarenta e cinco anos há desde que o SENHOR falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e, já agora, sou de oitenta e cinco anos.  

Essa esperança dentro dele o fez jovem, porque guardou no coração a posse daquele monte, dizendo, com esperança, todos os dias: “aquele monte é meu”. Josué 15:13 diz:
         A Calebe, filho de Jefoné, porém, deu Josué uma parte no meio dos filhos de Judá, segundo lhe ordenara o SENHOR, a saber, Quiriate-Arba, isto é, Hebrom, este Arba era o pai de Anaque.

Veja a parte que coube a Josué! Era o monte que ele tinha visto e que o seu coração havia desejado! Josué e Calebe, quando vieram com o relatório da Terra Prometida, junto com os outros espias, não negaram que lá havia gigantes e que o povo inimigo era forte, mas afirmaram: “Nós podemos porque Deus está conosco!”.

 

Eram muitos os gigantes que lá habitavam. Quatrocentos e cinquenta anos antes desta época, Deus deu aquela terra para Abraão, e durante todos aqueles anos os gigantes foram chegando, entrando e tomando posse da terra; lá se multiplicaram, construíram cidades, adquiriram armas e eram muito maus. Construíram fortalezas ao redor de Hebrom para impedir que Calebe entrasse lá e tomasse posse.

Vejamos, em Josué 14:12, como Calebe reagiu ao saber que gigantes se apossavam da terra que Deus prometeu a ele:

         Agora, pois, dá-me este monte de que o SENHOR falou naquele dia, pois naquele dia, ouviste que lá estavam os anaquins e grandes e fortes cidades; o SENHOR, porventura, será comigo, para os desapossar, como prometeu.

Observe que Calebe não se impressionou com a ocupação da Terra Prometida, pois cria que Deus estava com ele. Ele simplesmente falou o que Deus prometeu e não ficou sentado na beira do rio Jordão, esperando e pensando: “Ah, se Deus quiser que aquele monte seja meu, Ele mesmo vai tirar os invasores daquela terra”.

Saiba de uma coisa, meu amigo: sem oração, perseverança, confiança e fé, não receberemos o que Ele nos prometeu. Inspire-se no coração de Calebe: foram anos e anos de espera desde o dia em que ouviu a promessa de Deus. Ele viu todas as pessoas que saíram do Egito com ele morrer no deserto, porque estavam todos desencorajados, e não tiveram fé no que Deus prometera, ou seja, não creram na Palavra de Deus.

Claro que não foram dias de glória no deserto. Calebe tinha tudo para desanimar e desistir de esperar, mas, ao contrário, o coração dele nunca foi de desânimo, tristeza, murmuração. Ele não se importou com os gigantes e nem, muito menos, com as fortalezas que eles construíram. Nada lhe trouxe medo, mas sempre confessou, até chegar lá: “Se Deus é por mim, quem será contra mim?”.

Essa história toda representa o que somos hoje em Cristo Jesus: somos herdeiros. Hoje Hebrom não está no plano natural, mas se refere à posse, no espírito, do que recebemos em Cristo Jesus. Vejamos algumas passagens Bíblicas que confirmam isso:

 

  • E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa. (Galátas 3:29)
  • E, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus. Temos herança com Ele. (Efésios 2:6)
  • Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados. (I Pedro 2:24)
  • E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades. (Filipenses 4:19)
  • Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. (João 14:27)
  • E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus. (Filipenses 4:7)

Todos esses versículos falam de herança. E cabe aqui uma pergunta: Você já está vivendo na herança?  Você está vivendo nas bênçãos de Hebrom?

A esperança que devemos ter no que Deus diz é comparada à confiança que temos quando voltamos para casa, depois do trabalho. No final do dia, você sabe que vai pra casa. Em nenhum momento você duvida disso, pois você tem a chave de sua casa, ela é sua. Então, essa é a mesma confiança que você deve ter em relação à sua herança. Essa foi a fé no coração de Calebe.

E assim deve ser a oração para todas as áreas de sua vida: família, negócios, emprego, saúde. Não importa o que o inimigo diga com seus ataques, tentando te intimidar. Creia e diga: “Se Deus é por mim, quem será contra mim? Eu vou vencer!”.

Vejamos, em Efésios 6:10, o que devemos fazer:

         Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.

As armas que o diabo usa são mentais, muito mais que físicas. Em Hebrom, os inimigos construíram fortalezas; hoje o inimigo constrói essas fortalezas em nossa mente, para não adquirirmos a herança. Ele tem o objetivo de nos trazer medo e nos fazer reclamar, murmurar, perder a fé.

Observe que muitas vezes nem precisamos perguntar para as pessoas como vão as coisas, porque a cara delas já mostra o desânimo, o fracasso e o desgosto. Devemos estar atentos para os enganos do diabo: um desses enganos é a cegueira espiritual, que cria fortalezas na mente.

Segundo a Palavra de Deus, devemos louvar e adorar sempre o Senhor. Não precisamos sentir o que estamos fazendo, mas devemos saber o que estamos fazendo. Calebe pertencia à tribo de Judá, a quem foi dada a herança. Judá, por sua vez, representa os louvores e a adoração. Então, são com essas armas que vamos conseguir conquistar as bênçãos: por meio do louvor e da adoração.

Use um tempo do seu dia para louvar e adorar o Senhor: as fortalezas cairão. Isso vai equilibrar suas emoções. Tudo vai mudar: o seu coração vai mudar, você vai andar em vitória, você vai tomar posse da herança que te pertence, que é Cristo Jesus, o esplendor da Glória!

Não se esqueça de ler a Bíblia. Você pode ler um livro do Novo Testamento, todos os dias, por um mês. Essa leitura deve ser acompanhada da oração em línguas, bem baixinho, enquanto seus olhos vão passando pelas linhas daquele livro. No mês seguinte, passe para outro livro do Novo Testamento e proceda da mesma maneira. Você tem tudo para andar em vitória, porque Jesus te ama!

Comece a passar um tempo com o Pai em oração e você vai ficar mais forte que os gigantes que querem impedir sua vitória.

Graça e Paz, Ana Maria Dias

DAVE ROBERSON

Setembro – 2014

Querido Amigo,

Existem coisas na vida que só vêm com o tempo e a experiência – coisas que não somos capazes ou que não estamos dispostos a aprender até que estejamos prontos para ouvir. Os momentos que Deus me permitiu ver a mim mesmo através de Seus olhos sempre foram os mais difíceis, pois foram momentos de mudança. No entanto, com o passar dos anos, vi os meus objetivos mudarem e descobri o quão forte o amor de Deus realmente é. Também cheguei a perceber que o medo e o tormento são forças tão destrutivas que podem ser classificadas como a mão direita e esquerda do diabo.

 

Geralmente, as pessoas não sabem como andar livres de medo e tormento porque foram condicionadas a eles. Elas são como um elefante bebê amarrado a um poste quando nasce em cativeiro. Enquanto pequeno, ele tenta se livrar da corda, mas não consegue. Finalmente, ele desiste. Quando aquele elefante cresce e desenvolve suas toneladas de músculo, ele ainda é incapaz de quebrar a corda; não que não tenha a força necessária para rompê-la: o problema é a fortaleza que está em sua mente. Ele não entende que PODE FICAR LIVRE! Tudo o que ele conhece é o cativeiro, e a corda que o prendia quando bebê ainda o prende em sua mente. É assim que muitos de nós somos quando se trata das bênçãos de Deus. Temos fortalezas construídas em nossa mente que, de alguma forma, limitam o quanto somos abençoados.

 

O primeiro nível de engano é quando Satanás nos convence de que nosso problema é natural, baseado em um emprego, na economia ou no que nos cerca; e não algo espiritual. Ao fazer isso, o diabo consegue nos convencer de que a Palavra funciona, mas apenas se as condições estiverem certas. Assim, em vez de olharmos para o problema como se fosse espiritual, vemos um problema natural. Deixamos de ver que é preciso derrubar as fortalezas em nossa mente, para substituí-las por fortalezas divinas, fundadas na Palavra de Deus.

 

Nosso inimigo, Satanás, é um mestre no engano; não somos os únicos crentes no Corpo de Cristo a sermos afetados desta maneira. O fato é que parece muito improvável crer que a verdadeira prisão está na maneira em que pensamos. Livrar-nos dos problemas apenas por mudar nosso modo de pensar parece muito absurdo, muito simples. Até posso ouvir o diabo dizendo, “Você só pode ser burro para acreditar que seu problema é simples assim! Olhe ao seu redor; as coisas estão ruins!”

 

Não seja enganado pelo diabo. Jesus disse em Marcos 9:23: Tudo é possível ao que crê. Se você mudar o modo como pensa, pode mudar o modo como crê. Se você me permitir, posso ajudar-lhe a aprender como derrubar as fortalezas nesta área do pensamento, substituindo-as com a maneira com a qual Deus crê.

 

Primeiramente, não podemos ser tolos, pensando que estas fortalezas não existem. Segunda Coríntios 10:3-5 diz:

Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne.
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;
Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;

 

No versículo 4, está escrito que essas fortalezas (prisões) são tão poderosas que são necessárias ARMAS DE DEUS para derrubá-las. Antes eu me perguntava que tipo de prisão podia ser tão forte para que apenas uma arma de Deus pudesse derrubá-la. Mas, não tive que ir muito longe para encontrar minha resposta. O versículo 5 diz:

Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus…

Em sua definição mais básica, uma fortaleza é o modo como uma pessoa pensa; é um ensino, uma circunstância, uma maneira de viver tão forte que se torna parte dela e vice-versa. É fácil entender as fortalezas quando se trata das obras de Satanás, mas o oposto também acontece no que diz respeito às bênçãos de Deus. Jesus disse em João 15:7: Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Trata-se do mesmo princípio, no entanto, desta vez, a fortaleza é de fé! Contudo, para destruirmos os conselhos (fortalezas), precisamos perceber que um conselho consiste em muito mais do que apenas a maneira com que pensamos. Ele é, na realidade, um sistema de pensamentos que formou raiz em nossa alma e usa seu poder para nos impedir de superar as emoções.

 

Conheci um ministro que já foi para a casa do Senhor. Ele era um homem sincero que amava a Deus e as pessoas. Ele tinha um bom ministério, mas notei pelos seus comentários que ele tinha um problema em dar. Mais tarde, fiquei sabendo que ele sofreu bastante durante a Crise de 1929, tanto que esta experiência deixou uma fortaleza em sua vida. Sempre que o assunto de dar aparecia, suas emoções, que nasceram durante aqueles anos terríveis de falta, se levantavam e o dominavam com uma força tão grande que sua atitude negativa se manifestava visivelmente. Aliás, parecia que ele estava diante de uma parede invisível ao entrar em pânico só de pensar em dar o dinheiro que havia se tornado sua segurança.

Seu raciocínio com respeito a dar funcionava da seguinte forma, “As pessoas dão para o meu ministério a fim de continuar a obra do Reino de Deus, então, por que eu deveria dar para outro ministério o dinheiro que Deus me deu?” Embora na época eu não soubesse o tanto que sei hoje, sabia que quando se trata de destruir conselhos, não é apenas o raciocínio que precisa mudar, mas também as emoções da alma.

Hoje em dia, a psicologia tem um nome para quase todas as condições espirituais das quais as pessoas sofrem, principalmente para as que não conhecem Jesus e, em muitos casos, para as que O conhecem também. Quando elas têm problemas profundamente enraizados, a psicologia talvez não tenha a solução, mas os categoriza, como: claustrofobia, “medo de lugares fechados”; hematofobia, “pânico de sangue”; aracnofobia, “medo de aranhas”; etc.

Com respeito aos crentes, Jesus pagou o preço por todos esses medos e tormentos, desde a menor disfunção até a fortaleza mais controladora. Quando uma destas existe na vida de um crente, Paulo deixou claro que ela precisa ser derrubada; todo pensamento deve ser levado cativo à obediência de Cristo.

Se um crente sofre de depressão trazida pelas circunstâncias, ou porque a vida o maltratou de tal forma que o que resta é uma forte sensação de sobrevivência, ou por sofrer falta no passado, ele se apega ao que tem mais valor em sua vida, ou quando um medo ou tormento se torna uma fortaleza, essa fortaleza pode ser vista como um recipiente ou tanque das emoções.

Por exemplo, quando as circunstâncias ao redor daquela pessoa começam a ameaçar a fortaleza, como estar em um culto onde há ofertas, aquelas emoções explodem do recipiente com muita força. Um mecanismo de defesa se levanta entre o crente e dar. Este mecanismo o leva ao ponto de raiva, na medida em que suas emoções o sujeitam à fortaleza e o impedem de dar. Embora um crente que esteja sob este tipo de prisão creia na Palavra e saiba o que Deus diz sobre dar, ele ainda é incapaz de controlar suas emoções. Talvez ele realmente queira dar, mas não consegue fazê-lo sem que uma guerra emocional seja travada.

O mesmo acontece com a falta de perdão. Algumas pessoas não conseguem se livrar de mágoas. A razão pela qual algo como isto é chamado de fortaleza ou prisão é porque tem o poder de manter a pessoa encarcerada, impedindo-a de receber as bênçãos e paz de Deus!

É difícil dizer quantas pessoas têm este tipo de batalha todos os dias. Foi tirado delas o direito de viver na paz Deus, pois não são capazes de fluir livremente com o Seu Espírito. Toda vez que o Espírito Santo começa a impeli-las a dar um passo na fé, sendo guiadas pela verdade em vez das emoções, Ele se depara com suas fortalezas emocionais. Então, Ele fica impedido de movê-las para frente em seu andar espiritual, pois elas não conseguem obedecê-Lo.

Quando uma pessoa se encontra em uma guerra entre seu próprio espírito (onde a natureza de Deus mora) e sua carne, uma parte quer obedecer a seu espírito e a outra, não. Se ela nunca fizer nada para fortalecer a parte que quer obedecer e nunca mortificar a parte que não quer, ela jamais vencerá. Acredite em mim, Satanás sempre aproveitará toda a oportunidade que tem para que isso aconteça.

Para derrubar este tipo de fortaleza, a pessoa precisa fortalecer a sua parte que quer obedecer e atacar a que não quer. Como? Ainda bem que Deus nos deu armas poderosas Nele para destruir estas fortalezas! A arma mais importante que Deus nos deu é a terceira Pessoa da Trindade vivendo dentro de nós. Além disso, o Espírito Santo também nos equipou com outra arma vital – uma linguagem sobrenatural. Esta língua é um dom que nos edifica acima de um âmbito carnal onde nossos sentidos naturais dominam. Quando empregamos este dom, orando em línguas, o Espírito Santo começa o processo de purificação de toda “altivez” que se levanta contra o plano de Deus para nossa vida.

O Espírito Santo começa uma obra de discernir os pensamentos e intenções do nosso coração, expondo e arrancando pela raiz os sistemas de pensamento e fortalezas da alma que nos fazem fracassar. Na medida em que continuamos a orar em línguas para edificação pessoal, Ele derruba qualquer fortaleza da alma que não tenha sido construída pela Palavra de Deus. Ao mesmo tempo, Ele constrói fortalezas divinas em nós, transferindo revelação da Palavra de Deus para nos amadurecer e nos edificar cada vez mais alto Nele.

A palavra de Deus é uma espada de dois gumes que penetra até a divisão da alma e do espírito (Hebreus 4:12). Ela é o único agente qualificado para distinguir entre a alma e o espírito. E neste processo de purificação, que abrange todos os âmbitos da alma e do espírito, ela é o único padrão que pode ser confiado.

Assim, além de orar em línguas, é essencial que uma pessoa que esteja superando uma fortaleza aprenda como ministrar para sua própria alma com a Palavra de Deus. Ela precisa sujeitar seus sentidos e emoções à Palavra que declara a verdade de Deus sobre a situação, até que tudo tenha mudado e o controle das emoções tenha dado lugar a uma sensação de paz e obediência.

Uma das formas mais poderosas de ministrar para a sua própria alma e se preparar para receber de Deus é adorá-Lo através da Palavra que você armazenou no seu coração. É por isso que Efésios 5:17-20 diz:

Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor.
E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;
Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração;
Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo;

A razão pela qual Paulo usou esta comparação, E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; foi porque estava tentando mostrar que da mesma forma que o raciocínio e as emoções de uma pessoa podem ser afetados pelo álcool, seu raciocínio e emoções também podem ser afetados por ser cheio do Espírito Santo.

Um alcoólatra bebe para fugir de seus problemas e circunstâncias da vida. Ele acha que está no controle ao manter seus sentimentos atormentados – suas fortalezas – sedados pelo álcool. Contudo, sem o álcool, uma guerra emocional explodirá. Ele é completamente dependente do álcool para controlar suas emoções e conseguir viver.

Paulo nos diz em Efésios 5:19,20 que da mesma forma que um alcoólatra se sujeita completamente aos efeitos sedativos do álcool, também podemos nos sujeitar completamente ao poder do Espírito Santo. Precisamos nos tornar cheios do poder do Espírito se fizermos o seguinte:

falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no  vosso coração, sempre dando graças por tudo a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo,

Um estilo de vida de oração em línguas e adoração a Deus com a Sua Palavra são as duas chaves que podemos usar para recebermos a força para obedecer à Sua liderança. Fazemos isso para que Ele possa se levantar em nosso raciocínio e emoções. Podemos ficar tão cheios da maneira com que Ele pensa que começaremos a crer na verdade de Deus mais do que nos nossos sentimentos fortes, o que libera o Espírito Santo para derrubar toda fortaleza, nos permitindo fluir nas bênçãos de Deus.

Ao saber disto, não importa o quão hostis nossas emoções estejam, ou quão alto nossos sentidos gritem, precisamos escolher não sermos movidos pelo que vemos, ouvimos ou sentimos. Precisamos levar o nosso homem natural à sujeição da Palavra de Deus até sermos cheios do Espírito.

Voltando ao meu primeiro exemplo, se eu tivesse uma fortaleza contra dar como aquele ministro que passou pela Crise de 1929, eu começaria a lutar contra ela, passando pelo menos meia hora por dia levantando os braços e ministrando para a minha própria alma, confessando que estou livre. Eu adoraria a Deus e O louvaria repetidas vezes, dizendo, “Jesus, Você é meu Provedor. Te louvo e Te adoro. Você supriu todas as minhas necessidades de acordo com as Suas riquezas em glória. Estou livre de necessidades. Confesso que estou livre da prisão do medo e sobrevivência! Jesus, confesso que consigo dar, pois fui feito na Sua imagem. Pela sua graça consigo dar. Obrigado, Jesus, pela Sua graça”.

Independentemente das minhas experiências no passado, eu encontraria versículos que descrevem a vitória sobre o meu problema e os transformaria em cânticos espirituais, ministrando a Deus com eles em meu quarto de oração. Em uma situação como essa, não demoraria para Jesus se tornar na vida do crente exatamente aquilo que ele confessa e CRÊ que Jesus é para ele.

Lembre-se: você não precisa viver uma vida de medo e tormento. Você não precisa deixar que experiências da vida, circunstâncias e fortalezas limitem a sua capacidade de receber de Deus. Você pode mudar a sua perspectiva e circunstâncias, ministrando para a sua alma. Jesus disse: Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres (João 8:36), e Ele verdadeiramente LIBERTOU VOCÊ!

Seu amigo e colaborador

DAVE  ROBERSON

DAVE ROBERSON

Agosto – 2014

 Querido Irmão,

Meu ministério é evangelizar e ensinar a Palavra de Deus. Recebi um grande amor pelo Brasil, onde tenho vindo ministrar por cerca de vinte e cinco anos, e recentemente Deus abriu o Japão para mim. Essa nação também faz parte do plano Dele para minha vida, e já estou indo lá por três anos. É com grande respeito e amor que tenho por vocês brasileiros e japoneses que lhes envio estas cartas para compartilhar o que está no meu coração, o meu amor em Cristo Jesus por todos vocês.

Durante toda a minha vida tenho sido consumido por uma imensa fome de Deus. Para mim, nunca foi suficiente saber que Deus faz milagres ou mesmo que tudo é possível ao que crê; a minha posição diante da Verdade de Deus tem sido sempre a seguinte: COMO posso passar da minha atual experiência em Deus para uma posição espiritual em que Deus possa me usar? E, depois de mais de trinta anos buscando a face de Deus, posso lhe dizer que não importa qual está sendo a sua experiência atual com Deus; não importa qual a sua posição espiritual, há também para você a possibilidade de que Deus o use poderosamente para Sua glória.

E o que aconteceu comigo? Quando não havia absolutamente mais nada que pudesse satisfazer minha fome de Deus, Ele Mesmo me ensinou COMO ANDAR NO ESPÍRITO. Deus me levou de um ministério empobrecido e fraco para um andar de fé e poder. Agora é o desejo de Deus que eu compartilhe com você os princípios dessa vida de poder, e posso lhe garantir que Deus quer usar você tanto quanto Ele deseja usar qualquer outra pessoa que estiver disposta a andar com Ele. E, quando digo que quero compartilhar essas coisas com você, não é porque eu penso que sei mais do que você, ou que sou melhor do que você; é simplesmente porque quero e devo ter comunhão com você no Evangelho, pois, como membros do Corpo de Cristo, precisamos uns dos outros. O seu dom é tão importante e necessário no Corpo quanto o meu.

Em Efésios 4:16 lemos sobre o Corpo de Cristo – a igreja de Deus – : “Todo corpo, bem ajustado e consolidado, pelo auxílio de toda junta… efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo no amor.” Penso que nenhum membro do Corpo de Cristo alcançará plenamente seu potencial em Deus sem a ajuda espiritual de outro membro – somos igualmente importantes uns para os outros. Assim, creio que Deus me tem dado algo para compartilhar com você, para encorajá-lo no Senhor e fortalecer o seu dom. Pode até ser que o que digo não ministrará diretamente a você, mas quem sabe ajudará você a ministrar aos outros.

Vamos entender o que realmente é o nosso espírito de acordo com os ensinos de Jesus. O espírito humano é de tal modo incrível que o Senhor Jesus chamou-o de “tesouro”.  “O homem bom do bom TESOURO DO CORAÇÃO tira o bem …” – Lucas 6:45

E então, assim como o Banco Central funciona como tesouro da nação e paga as dívidas da nação, também o nosso espírito humano fornece todo o poder de que nós necessitamos para vencer e CONTINUAR NA VITÓRIA.

É verdade que o seu caráter – o mesmo caráter que você tem neste exato momento – é produto de seu espírito ou, podemos dizer, é um reflexo de tudo aquilo que se passa no seu íntimo – no seu coração. E, é exatamente por esse motivo que, no início de cada ano que se inicia, as pessoas resolvem fazer determinadas mudanças em suas vidas. Infelizmente, porém, logo elas voltam ao velho modo de ser e de viver, pois simplesmente não sabem COMO deixar que o Espírito Santo faça as mudanças necessárias dentro do seu espírito humano, dentro do seu coração. Foi isso que Salomão disse em Provérbios 4:23 – “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração porque dele procedem as fontes da vida.”

Entenda que se você não conseguir fazer mudanças no seu espírito, no seu coração, não haverá também poder ou condição capaz de fazer mudanças necessárias em seu caráter. É por isso que o batismo com o Espírito Santo se dá dentro de você, no seu homem interior, pois toda mudança QUE PERMANECE tem que se realizar no seu coração. Ora, o Espírito Santo engloba todo o poder do Céu e da economia divina; através Dele é que todo o universo foi criado. Quando Ele se move em nosso espírito Ele faz isso com muita suavidade. Ele jamais faz pressões sobre nós ou nos obriga a fazer algo. Ele nos guia, não nos empurra. E em razão do Espírito Santo operar em nosso íntimo de maneira tão tranquila, é que a sua condição para nos iluminar e guiar a toda a Verdade e mesmo para mudar o nosso caráter DEPENDE de nós nos entregarmos a Ele dentro dos princípios espirituais que nos levam às mudanças que desejamos. Mas, lembre-se sempre, o Espírito Santo não nos força a nada.

Agora, permita-me falar de alguns princípios PRÁTICOS que você pode usar para se orientar no seu andar com Deus e que o ajudarão a entender como Deus opera dentro de nós.

PRINCÍPIO UM – Entendendo o espírito humano.

O Espírito humano é o TESOURO que fornece a fé que resolve problemas e produz mudanças – o tipo de fé que MOVE MONTES. Para fazer isso, o Espírito Santo opera em dois níveis diferentes: o primeiro nível, que diz respeito à operação da mente, é o seu consciente, e o segundo nível que diz respeito à operação do seu espírito, é o que a ciência chama de subconsciente.

A sua mente funciona de forma semelhante ao computador, o qual é operado por mãos humanas, ela trata de um só assunto de cada vez. Mas do mesmo modo que aquele que trabalha com o computador tem acesso a todas as informações ali armazenadas, também a sua mente tem acesso a toda informação e capacidade para resolver problemas que se acham no seu espírito. E quando eu disse acima que não é de admirar que o Senhor Jesus tenha chamado o espírito do homem de “um tesouro” eu queria salientar como é fantástico o espírito humano, pois a maneira como Deus fez o nosso espírito faz com que o melhor computador já construído pelo homem pareça um simples brinquedo de criança. E de onde veio a concepção e a capacitação para se fazer o computador? Do espírito do homem.

Observe que toda vez que a sua mente enfrenta um problema qualquer, independente de você voltar ou não sua atenção para ele, esse problema passa no computador. Subsequentemente o problema é analisado e de acordo com as “informações” (experiências da vida) armazenadas no “tesouro do seu coração”, a resposta (de como solucionar o problema) chega à sua mente. Desse modo, quando alguém se acha derrotado por não ter fé ou por falta de firmeza de caráter, é porque está “sem recursos”, em razão da falência do tesouro do seu coração. Não importa como os programas ruins (como o vírus do computador) chegam ao seu espírito, seja através de doutrinas erradas ou de experiências ruins que moldaram uma imagem errônea de Deus, quando a sua mente se depara com um problema qualquer e esse problema passa em seu espírito, o seu espírito analisa o assunto unicamente à luz das informações (condição real) contidas no seu coração. Se você não tiver a verdade de Deus no seu íntimo, então, a pobreza do seu espírito provocará uma reação negativa em sua mente e você se conformará com a derrota. Isso nos leva ao segundo princípio.

PRINCÍPIO DOIS – Entendendo a condição que o Espírito Santo tem para MUDAR os programas ruins.

A razão pela qual o Senhor Jesus disse em João 14:17 que o Espírito Santo que habita convosco ESTARÁ EM VÓS é porque o batismo com o Espírito Santo se dá em nosso espírito humano – no nosso tesouro. E para receber o batismo com o Espírito Santo é preciso que você O convide a habitar em seu coração e com isso você estará abrindo a Ele a área do seu ser onde se acham os programas errados. Por exemplo: a pessoa que sempre deixa tudo para o dia seguinte assim age simplesmente porque ela tem um programa ruim arraigado no seu espírito. Uma pessoa é controlada pela pobreza e pela miséria simplesmente porque há uma raiz (programa) de miséria inculcada no seu espírito. E será que não há solução para isso? Tal pessoal terá esse destino irreversível? Não! Absolutamente, não!

Louvado seja Deus! Logo que o Espírito Santo vem habitar em nosso íntimo, Ele começa imediatamente a reformular os programas, ou melhor, Ele substitui os programas errados por programas novos. Veja isso: “E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.” – Romanos 8:17.

O Espírito Santo examina o seu coração no intuito de arrancar dele todos os programas errados e substitui-los por programas que sejam de acordo com A VONTADE DE DEUS. Para que você entenda o Batismo com o Espírito Santo, é preciso saber que Ele o coloca em ligação direta com a mente de Deus. É como se você fosse um fantástico computador que contivesse dentro de seu pequeno espírito tudo o que DEUS É – a mente Dele, a vontade Dele, Seu maravilhoso plano da salvação e até mesmo o plano Dele para a sua própria vida e tudo isso DENTRO de você. E quando você recebe o batismo com o Espírito Santo, é como se alguém ligasse seu pequeno terminal de computador ao computador que é o seu Deus e…

PRINCÍPIO TRÊS – A oração em línguas estranhas é a linguagem que Deus usa para transferir ENTENDIMENTO do coração Dele para o seu coração.

Observe como isso funciona: suponhamos que a sua mente tenha sido sujeita à pobreza e à miséria durante muitos anos. Ainda que você queira crer na prosperidade individual,  você não consegue avançar nesse sentido, pois é impossível eliminar o seu modo de pensar sempre na penúria. Assim o Espírito Santo começa a “sondar o seu coração” e logo Ele se depara com o programa ruim de pobreza que vem dominando você já por tanto tempo. Imediatamente Ele arranca de seu coração o programa velho e o substitui por um programa completamente novo, que nada menos é do que um “dilúvio” de Verdade sobre a prosperidade de Deus, e o qual se derrama no seu espírito através da oração em línguas.  Mas, observe um fato importante nesse processo, em razão da resistência de sua mente, há muito condicionada à pobreza e à miséria (e que pressiona você a desistir da ideia da prosperidade), o Espírito Santo simplesmente deixa de lado a sua mente (o seu raciocínio lógico) e incentiva você a orar diretamente do seu espírito sobre o assunto através das línguas estranhas. Por isso o apóstolo Paulo disse em I Corintios 14:14  “Porque se eu orar em outra língua, o meu espírito ora de fato, mas a minha mente fica infrutífera.” Na medida em que você vai orando em línguas estranhas, Deus ouve e em resposta dá a você um plano para entrar, passo a passo, na nova condição, ou seja, para começar a viver prosperamente. E é isso que nos leva a considerar o …

PRINCÍPIO QUATRO – Como o Espírito Santo comunica o entendimento de Deus com a nossa mente?

As pessoas sempre me perguntam: O que devo fazer com a mente enquanto oro em línguas? Ela pode ficar à vontade com seus pensamentos ou devo obrigá-la a se concentrar no assunto do momento?

Em primeiro lugar, você precisa entender que a sua mente desenvolve energia própria, ou seja, ela está sempre pensando em algo. Quando eu comecei a orar em línguas por um tempo maior, tive sim muita dificuldade com ela, porque ela queria pensar e analisar os problemas do momento, por isso eu me desgastava demais ao tentar me concentrar em coisas mais importantes. Mas, acabei entendendo que o Espírito Santo sabe do meu problema e ao orar em línguas Ele se comunica com Deus. E, aos poucos o Espírito Santo foi influenciando o meu modo de pensar, mudando totalmente a visão que tinha do problema que tanto me atormentava, e no momento certo Ele passava a resposta à minha mente. E assim os problemas foram sendo resolvidos, como são até hoje.

Toda vez que você passar mais tempo orando em línguas você terá respostas dentro do seu espírito que vem com o entendimento espiritual. Você começa a ver o valor que é FICAR CALMO por dentro, prestando atenção na voz do Espírito Santo dentro do seu espírito. A meditação é algo mais do que simplesmente concentrar nosso pensamento em um versículo qualquer, mas sim ela nasce em seu espírito através do Espírito Santo que acontece quando você se aquieta na presença de Deus. E isso leva tempo para se desenvolver. Através do seu tempo a sós com Deus orando em línguas você consegue isso, você conhecerá a intimidade da voz de Deus que fez com que o salmista dissesse:

“Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa, porque Dele vem a minha esperança.” – Salmo 62:5.

“Espera no Senhor, segue o Seu caminho, e Ele te exaltará para possuíres a terra…” Salmo 37:34

Assim, concluo o que tenho no meu coração para você neste momento, aconselhando-o a passar um tempo orando em línguas todos os dias para que a solução do seu problema venha através da direção do Espírito Santo em seu íntimo. Creio que o Corpo de Cristo está se juntando para ministrarmos uns aos outros nesses tempos do fim.

Seu amigo e colaborador,

DAVE ROBERSON

Amado(a) Irmão(a),

Dou toda glória a Deus pelo Espírito Santo que nos ensina a Verdade. E Ele quer nos ensinar agora. Quantas vezes ouvimos, dentro do corpo de Cristo: “Deus está demorando tanto para me abençoar, mas sei que Ele está me fazendo esperar para eu ter o melhor”.

Vamos consultar as Escrituras para ver se esse tipo de pensamento se sustenta ou se é apenas falta de fé. Em João 4:34, lemos:

         Disse-lhe Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra.

João 5:30 diz:

         Eu nada posso fazer de mim mesmo; na forma por que ouço, julgo. O meu juízo é justo, porque não procuro a minha própria vontade, e sim a daquele que me enviou.

            Em João 6:38, está escrito:

         Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou.

         João 9:4 nos mostra:

         É necessário que façamos as obras daquele que me enviou enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.

            Por último, vejamos João 14:9:

Disse-lhe Jesus: Felipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim, vê ao Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?

 

Todos esses versículos testificam que Jesus veio à Terra para fazer a vontade do Pai. Como vimos, Ele declara a Felipe que se o Pai estivesse aqui na carne faria exatamente o que Ele estava fazendo. Ou seja, o Pai está no Céu, mas manda Jesus à Terra para fazer Sua vontade e realizar Suas obras. Jesus estabeleceu para nós a mesma coisa que o Pai estabeleceu para Ele: saber qual a vontade do Pai em todas as circunstâncias.

            Para entender melhor a vontade do pai, observe o que acontece nos versículos que veremos a seguir. Vamos começar por esse trecho, em João 5:1-9:

Passadas estas coisas, havia uma festa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém. Ora, existe ali, junto à Porta das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco pavilhões. Nestes, jazia uma multidão de enfermos, cegos, coxos, paralíticos, esperando que se movesse a água. Porquanto um anjo descia em certo tempo, agitando-a; e o primeiro que entrava no tanque, uma vez agitada a água, sarava de qualquer doença que tivesse. Estava ali um homem enfermo havia trinta e oito anos. Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, perguntou-lhe: Queres ser curado? Respondeu o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou , desce outro antes de mim. Então, lhe disse Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda. Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar.

Essa passagem acima relata a história de um homem que estava com uma grave doença havia trinta e oito anos: não conseguia andar, era paralítico da cintura para baixo, e dependia daquela água para ser curado; talvez fosse uma doença chamada esclerose múltipla. Mas o fato é que Jesus não dependia daquela água para curá-lo. Ele o curou imediatamente, e o homem saiu andando, livre de sua doença. O Pai não queria esse mal na vida daquele homem.

Agora, vamos para Lucas 6:6-10:

Sucedeu que, em outro sábado, entrou ele na sinagoga e ensinava. Ora, achava-se ali um homem cuja mão direita estava ressequida. Os escribas e os fariseus observavam-no, procurando ver se ele faria uma cura no sábado, a fim de acharem de que o acusar. Mas ele, conhecendo-lhes os pensamentos, disse ao homem da mão ressequida: Levanta-te e vem para o meio; e ele, levantando-se, permaneceu de pé. Então, disse Jesus a eles: Que vos parece? É lícito, no sábado, fazer o bem ou mal? Salvar a vida ou deixá-la perecer? E, fitando todos ao redor, disse ao homem: Estende a mão. Ele assim o fez, e a mão lhe foi restaurada.

Veja, a doença desse homem, embora não seja a mesma do outro que lemos acima, é similar: problema nos músculos (mão ressequida, mirrada). Deus quer curar esse tipo de doença imediatamente.

Observe, em Lucas 5:12-13, como agiu Jesus quando encontrou um leproso:

Aconteceu que, estando ele numa das cidades, veio à sua presença um homem coberto de lepra; ao ver a Jesus, prostrando-se  com o rosto em terra, suplicou-lhe: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. E ele, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E, no mesmo instante, lhe desapareceu a lepra.

Sabemos que existem dois tipos de lepra: um que destrói os nervos e a pessoa fica sem sensibilidade (mesmo que sofra algum machucado, não sente nada), e o outro tipo é aquele que vai “comendo” a carne. No caso acima, o homem estava “coberto” de lepra, ou seja, apresentava os dois tipos (problema de pele e nervos). A Palavra mostra que é da vontade do Pai curar, imediatamente, esse tipo de doença também.

Veja mais um caso de cura física em Lucas 4:38-39:

Deixando ele a sinagoga, foi para a casa de Simão. Ora, a sogra de Simão achava-se enferma, com febre muito alta; e rogaram-lhe por ela. Inclinando-se ele para ela, repreendeu a febre, e esta a deixou; e logo se levantou, passando a servi-los.

Notamos que a febre a deixou imediatamente também. São muitas as doenças cujo sintoma é a febre. Devemos entender que qualquer doença que causa febre tem que deixar o nosso corpo. E, mais uma vez, Jesus estava fazendo a vontade do Pai, agora curando a sogra de Pedro.

            Lucas 8:43, 44 e 47:

Certa mulher que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia, e a quem ninguém tinha podido curar (e que gastara com os médicos todos os seus haveres), veio por trás dele e lhe tocou na orla da veste, e logo se lhe estancou a hemorragia […]. Vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se trêmula e, prostrando-se diante dele, declarou, à vista de todo o povo, a causa por que lhe havia tocado e como imediatamente fora curada.

Perceba que esta mulher também foi curada sem demora. Algo errado em algum de seus órgãos causava esse sangramento. E é a vontade do Pai curar, imediatamente, não somente os sangramentos, mas suas causas também.

Vejamos, também, outro problema que Jesus resolveu com simplicidade, fazendo a vontade do Pai.  Em Lucas 8:27-33:

         Logo ao desembarcar, veio da cidade ao seu encontro um homem possesso de demônios que, havia muito, não se vestia, nem habitava em casa alguma, porém vivia nos sepulcros. E, quando viu a Jesus, prostrou-se diante dele, exclamando e dizendo em alta voz: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te que não me atormentes. Porque Jesus ordenara ao espírito imundo que saísse do homem, pois muitas vezes se apoderara dele. E, embora procurassem conservá-lo preso com cadeias e grilhões, tudo despedaçava e era impelido pelo demônio para o deserto. Perguntou-lhe Jesus: Qual é o teu nome? Respondeu ele: Legião, porque tinham entrado nele muitos demônios. Rogavam-lhe que não os mandasse sair para o abismo. Ora, andava ali, pastando no monte, uma grande manada de porcos; rogara-lhe que lhes permitisse entrar naqueles porcos. E Jesus o permitiu. Tendo os demônios saídos do homem, entraram nos porcos, e a manada precipitou-se despenhadeiro abaixo, para dentro do lago, e se afogou.

Esse homem apresentava problemas mentais; estava louco. Jesus ministrou nele e sua sanidade foi recuperada. Ou seja, é da vontade do Pai que qualquer pessoa que apresente doença mental seja liberta imediatamente.

Passemos agora para Marcos 6:37-44:

         […] Dai-lhes vós mesmos de comer. Disseram-lhe: Iremos comprar duzentos denários de pão para lhes dar de comer? E ele lhes disse: Quantos pães tendes? Ide ver! E, sabendo-o eles, responderam: Cinco pães e dois peixes. Então, Jesus lhes ordenou que todos se assentassem, em grupos, sobre a relva verde. E o fizeram, repartindo-se em grupos de cem em cem e de cinquenta em cinquenta. Tomando ele os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou; e, partindo os pães, deu-os aos discípulos para que os distribuíssem; e por todos repartiu também os dois peixes. Todos comeram e se fartaram; e ainda recolheram doze cestos cheios de pedaços de pão e de peixe. Os que comeram dos pães eram cinco mil homens.

A multidão estava assistindo às pregações de Jesus, os discípulos não tinham comida nem dinheiro para comprá-la, mas o caso foi resolvido, o suprimento veio, e não precisaram esperar meses para receber.

Vejam, em Mateus 17:24-27, outro caso em que o suprimento veio sem demora:

         Tendo eles chegado a Cafarnaum, dirigiram-se a Pedro os que cobravam o imposto das duas dracmas e perguntaram: Não paga o vosso Mestre as duas dracmas? Sim, respondeu ele. Ao entrar Pedro em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Simão, que te aprece? De quem cobram os reis da terra impostos ou tributo: dos seus filhos ou dos estranhos? Respondendo Pedro: Dos estranhos, Jesus lhe disse: logo, estão isentos os filhos. Mas, para que não os escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, e o primeiro peixe que fisgar, tira-o; e, abrindo-lhe a boca, acharás um estáter. Toma-o e entrega-lhes por mim e por ti.

Vemos, nestas duas últimas passagens, dois casos financeiros que foram resolvidos: no primeiro, não tinham o que comer; no segundo, era o imposto que tinha que ser pago e também não tinham o dinheiro em mãos.

A vontade do Pai é que nossas necessidades sejam supridas imediatamente. A provisão vem do Pai para pagar as contas ou comprar comida; não faz diferença nenhuma se Deus usa alguém para pagar a sua conta ou coloca dinheiro nas suas mãos, o resultado vai ser o mesmo: atender e sanar sua necessidade.

Deus quer suprir nossas necessidades, mas a falta de fé se manifesta na forma de desculpas: “Ah, mas naquela época, era Jesus, pessoalmente, quem estava fazendo isso tudo, Ele podia; agora é diferente”. Pois saiba que nada mudou no Pai. Em vez de perguntar: “Por que tenho que esperar tanto?”, pergunte: “Como foi que Jesus fez?”.

O mesmo poder que ressuscitou Jesus dos mortos é o poder que Ele nos dá: a vida eterna. Precisamos entender que aquele mesmo poder está dentro de nós. Repito: é o poder da vida eterna.

Quero que você entenda o que significa a vida eterna que recebemos quando aceitamos Jesus como nosso Salvador. Quando nascemos de novo, ela é colocada dentro de nós. Então, quando Jesus ministrava nas pessoas, Ele estava ministrando através daquela vida eterna que estava dentro Dele, e saía Dele, e tocava as doenças, que eram curadas imediatamente (porque, afinal, nenhuma doença ou qualquer necessidade pode ficar na presença desta vida eterna). Quero que você entenda isso: você nasceu de novo e a vida eterna habita dentro de você. Portanto, pelas chagas de Jesus, você já foi curado e não é mais a morte que habita em você; o Espírito Santo, aquele que ressuscitou Jesus dos mortos, agora habita em você: o poder de Deus está em você.

Quando passo tempo com Ele, orando, estou crescendo cada vez mais nesse poder. Entende como é valioso estar na presença Dele? Você não precisa ficar suplicando a Ele para te curar ou tocar em você, como se Ele não quisesse. Ele já nos deu a vida que ministrava nos doentes. Naquela época, os que foram curados não tinham como receber a vida Dele, pois todos estavam mortos espiritualmente. Como vimos, até a orla do Manto de Jesus fluía aquela vida eterna que estava Nele.

Observando os Evangelhos não vemos ninguém que Jesus deixou ir embora com algum mal. Acredite: tudo já está pronto para nós! Mas existe algo que nos impede de recebermos o que precisamos: é a incredulidade.

Ao lermos as cartas do apóstolo Paulo, não encontramos nenhum trecho em que ele afirme que apanhou ou sofreu para que Deus pudesse lhe ensinar alguma coisa. Em hipótese alguma. Isso não existe. Deus jamais vai mandar problemas para que você aprenda uma lição: Ele não quer nenhuma aflição em sua vida.

Portanto, procure reservar um tempo para estar com Deus a sós; para orar em línguas, adorar e louvar o Senhor, e ler a Bíblia também. É só passando um tempo com o Senhor que você vai se fortalecer e aprender a andar no Espírito e estar sempre na Presença de Deus, mesmo no meio das circunstâncias. Diga-me uma coisa: vale ou não a pena aprender a andar no poder e no Espírito?! Isso é realmente a glória de Deus liberada para nós!

O tempo de Deus é agora! Se Deus é por nós, amados, quem será contra nós?!

Graça e Paz,

Ana Maria Dias

DAVE ROBERSON

Julho – 2014

Querido Amigo,

No ano de 2002, a família da nossa igreja aqui em Tulsa designou que nos primeiros quatro meses seriam o nosso tempo de “busca a Deus” anual, quando acrescentamos o jejum como algo comunitário para a nossa lista de objetivos espirituais.  Em outras palavras, junto com a adoração, a oração em línguas, e a confissão e meditação da Palavra de Deus, nós fizemos questão, durante este tempo de busca a Deus, de jejuarmos.

Assim que o ano começou, eu falei com alguns membros sobre alguns ajustes que teriam de ser feitos, a fim de terem maior tempo para buscar a Deus.  Muitos deles disseram a mesma coisa: Quanto mais tentaram achar mais tempo para buscar mais a Deus, mais coisas apareceram para serem feitas, tomando todo seu tempo diário.  Eu mesmo passei o ano todo tentando desmarcar a minha agenda para este momento especial, dedicado a buscar a Deus.

Eu sabia que eu estava sob a direção de Deus ao fazer isso.  Contudo, comecei a pensar, do que o diabo tem tanto medo quando estamos buscando mais a Deus?

Então, neste momento em que comecei a deixar de lado as distrações para ficar na presença de Deus, A MINHA CASA PEGOU FOGO!  O fogo começou na garagem e as chamas estavam subindo para o teto quando eu percebi.  Nós só tivemos tempo de pegar nossos animais (todos menos o pequeno Gaio, uma ave azul) e sair salvos de lá, mas a maior parte da casa foi destruída pelo fogo.

Eu não me lembrei disto na hora, mas alguém mais tarde me lembrou da questão que sempre faço para a minha congregação: “O que você faria se a sua casa se queimasse e você ficasse apenas com a roupa do corpo? Você ainda assim adoraria a Deus? O seu relacionamento com Deus está baseado nas circunstâncias ou em ter comunhão com Ele?”.  Eu estou feliz em dizer que mesmo quando os bombeiros estavam tentando acabar com as labaredas, eu estava em paz dentro de mim e capaz de adorar o Senhor.

Mas, foi pura coincidência isto ter acontecido logo antes do tempo que eu tinha determinado para buscar a Deus?  Não, isto foi uma mensagem vinda direta do inferno dizendo “EI, CARA, PARE AGORA!”.

Mas eu não parei mesmo – aliás, eu fiz exatamente o contrário.  Eu disse, “Diabo, você é um estúpido. Você pensa que vai roubar o meu tempo que já determinei para me dedicar buscando a Deus sem me preocupar com nada?” Eu não estipulei uma data para finalizar este tempo especial, é melhor assim, porque senão, não consigo fazer nada!

Você sabe que Deus tem um jeito de desfazer os maiores esforços do diabo para nos derrotar, misturando-os todos juntos como uma mistura de bolo e então, levando-os para assar para que com o tempo você receba o produto final, é como um delicioso bolo, em vez daquele prato amargo que Satanás estava pronto para nos dar.  Contudo, você tem que tomar cuidado para não pensar que Deus trará “o bolo assado” automaticamente para você, só porque você é Seu filho.

Este é o erro que muitas pessoas cometem, os quais pregam a doutrina da Soberania de Deus em toda situação.  Estas pessoas citam Romanos 8:28:  Sabemos que todas as coisas cooperam par o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

Quando você pergunta para eles, “Você poderia me definir melhor ‘todas as coisas’?”

“É claro”, eles dizem. “Acidentes de carro, ficar aleijado, doenças, cegueira, crianças deformadas. Você diz que – tudo concorre para o bem”.

Mas, tudo o que você tem que fazer é voltar alguns versículos atrás neste mesmo capítulo, e você perceberá a verdadeira mensagem que Deus está tentando passar.  Ele está dizendo, “Todas coisas funcionam juntas para o bem daqueles que andam no novo nascimento espiritual (na nova natureza) e não na carne, os quais permitem ao Espírito Santo – o Único que conhece o plano de Deus para nós  –  perscrutar nossos corações e fazer intercessão por nós de acordo com a vontade de Deus”.

Só então, por causa da intervenção (intercessão) do Espírito Santo em nossas vidas, é que podemos saber que todas as coisas concorrerão juntas para o que é bom para nós que amamos a Deus. Quanto ao mais, nós nos encaixamos numa parte diferente neste mesmo capítulo onde Paulo diz, Porque se viverdes segundo a carne, caminhais para a MORTE… (v.13).

Alguns poderiam dizer, “Bem, mesmo que eu ande na carne, de algum modo isto me levará para o bem também”.

Entrar no Céu sem galardão parece ser algo BOM para você?

É muito interessante como o diabo tenta entrar no caminho onde Deus tem um plano para você, lançando tudo em sua vida, para distorcer tudo. O inimigo irá soprar ameaças de derrota e desastres em cada passo que você der para colocar as suas emoções em desespero, em direção a uma grande ruína. Então, em um momento você está lá em cima: “Hehê! Eu consegui tudo. Eu sou um campeão da fé!”. E a seguir você está para baixo, gritando, “Deus, me ajude! Eu vou morrer!”.

Assim, o inimigo entra no caminho dos planos e propósitos de Deus para a sua vida, os quais estão sendo trabalhados pelo Espírito Santo. O diabo vai lançar todos os obstáculos que ele puder no seu caminho, fazendo tudo para desanimar e aterrorizar você.

Mas não importa o que o inimigo fizer, Deus ainda tem todo o poder para trabalhar Seu plano em você.  Satanás pode tentar embaçar tudo, lançar tudo contra você, gritar, pôr as suas emoções lá no alto, ele pode levar você a todo tipo de prova e tentação. Mas, assim como você mistura todos os ingredientes de um bolo de chocolate para fazer uma deliciosa sobremesa, Deus irá tirar todos os ataques do inimigo que forem lançados contra você, misturando-os todos com a Sua Palavra para produzir o cumprimento do Seu plano em sua vida.  Isto é o que Ele prometeu fazer – SE você entrar na Palavra rapidamente e permanecer diligentemente em oração!

Suponha que um marido entre na cozinha querendo saber o que a esposa está fazendo e pergunta, “O que você está fazendo aí, minha querida esposa?”.

“Um bolo de chocolate”.

“Mas o que você está pondo na tigela?”.

“Isto é chocolate em pó”.

“Mas chocolate em pó é amargo! Não vai sair um bolo gostoso”.

“Porque você não vai embora da cozinha, querido?”.

“E o que você está pondo na manteiga agora?”.

“Uma pitada de sal”.

“Ah, ah! Sal no bolo? Ah me dá um tempo, querida esposa. Há mais de cinqüenta anos eu sei que bolos vêm prontos nas caixas!”.

“Por favor, quer ir embora da cozinha, marido?”.

“Sinto muito queridinha, você pode misturar todos os ingredientes que você quiser, mas eu estou cansado de saber que deste jeito não vai sair um bolo de chocolate saboroso”.

Mais tarde o marido volta e a sua mulher diz, “O bolo está em cima da mesa da cozinha, experimente um pedacinho”. Ele pega um pedacinho e pensa, Meu Deus!  Todos aqueles ingredientes sozinhos não têm nenhum sabor de bolo de chocolate.  Mas certamente alguma coisa boa acontece quando eles se misturam e vão para o forno!

Bem, é deste jeito que Deus faz. Considere isto: Você pensa que o diabo pode fazer o que ele quiser com você sem que Deus acabe com ele? Você pensa que qualquer estratégia demoníaca é demasiadamente difícil para que Ele venha ajudar você e vencer o diabo?  Eu estou lhe dizendo, Deus pode por a mão em qualquer problema, em qualquer obstáculo, e em todo ataque que o inimigo tentar pôr contra você e misturar tudo com as Suas promessas, para que na hora certa Ele venha lidar com tudo para você e o sabor será tão bom quanto o de um bolo de chocolate!

O diabo cometeu um engano quando me encurralou o quanto pôde, queimando a minha casa.  Eu estou determinado em sair dessa, comendo um delicioso bolo de chocolate!

Como eu posso ser tão confiante em um resultado vitorioso?  Porque eu sei que é impossível continuar orando em línguas sem que Deus não se mova em meu benefício.  A Bíblia promete que Aquele que perscruta os corações sabe qual é a mente do Espírito, ou o Plano de Deus para mim.  Portanto, orar em línguas leva o Espírito Santo a fazer intercessão por mim e me apresentar individualmente diante da Grande Sala do Trono da Graça.

A mesma verdade é para você.  O Espírito de Deus que mora dentro de você sabe qual é a mente e o plano de Deus para você nesta geração.  Assim, quando você ora diligentemente em línguas, você leva o Espírito Santo a fazer intercessão por você diante da Grande Sala do Trono da Graça, de acordo com o plano de Deus.  É deste jeito que você vai saber que todas as coisas concorrem para o bem, para você, que ama a Deus e é chamado de acordo com o Plano Dele.  Por quê?  Porque o Plano Dele para a sua vida está em todo o propósito Dele e o Espírito Santo é Aquele que o traz à existência!

Esta revelação é suficiente para fazer você orar em línguas a noite toda, ou não?

Você pode me perguntar, “O que o Espírito Santo irá fazer por mim se eu fielmente orar em línguas?”. Ele irá à sua frente. Ele começará a trabalhar o plano de Deus para você, iluminando a sua mente para aquilo que Deus tem para você nos meses e anos que virão.  Por que o Espírito Santo fará isto para você? Simplesmente porque você é um filho ou filha de Deus comprado pelo sangue.  Deus pensou tanto em você que Ele enviou a terceira Pessoa da Santíssima Trindade para morar dentro de você e para elaborar Seus propósitos, tudo Dele para você e Seus planos para sua vida!

E o que o diabo vai fazer com tudo isto?  Ele virá guerrear comigo?”.

Entenda isto: o diabo não está apenas planejando guerrear com você, ele quer A C A B A R com você.  E o que ele irá fazer?  Bem, como um bom general, ele sabe que se ele cortar a linha de suprimento, ele poderá vencer você sem ao menos um tiro de fogo. Se ele cortar a linha de suprimento, você vai dormir de touca e vai acordar chorando igual a um bebê, vai sair correndo em busca de ajuda igual a um gato escaldado (você vai marcar bobeira).

Ah, como o diabo gostaria muitíssimo de cortar a sua linha de suprimento e neutralizar você a um nada, a um daqueles membros religiosos sem poder algum que nunca fazem nada para Deus.  Entenda que Satanás não se importa muito se você apenas se senta na igreja como um bebê, se imaginando lá no Céu. Ele quer roubar qualquer coisa do seu caminhar com Deus trazendo ameaças do seu reino das trevas – coisas tais como o prazer de impor as mãos nos doentes e vê-los dar um salto, curados; a paz e a alegria que você experimenta quando a fonte de todo suprimento de sua vida muda deste mundo para Deus; e o profundo contentamento que vem em saber que o suprimento divino é intocável.

“E, se o diabo tirar as bênçãos de Deus, as coisas materiais que Ele me deu?”.

Quando você tem Deus, você tem tudo, você tem o suficiente – você tem milhares de outras saídas.  É certeza que o inimigo quer neutralizar você. Ele jamais vai querer que você saiba o prazer que é ministrar nas pessoas sob o poder de Deus. Satanás não vai querer que você saiba o que é ir para um lugar de trevas e assistir a Deus liberar sobrenaturalmente através de você poder como Ele fez com os filhos de Israel no deserto.  O diabo vai querer que você morra depois de viver uma vida mundana, apenas imaginando quem Deus realmente é.

Então vemos que o que Satanás faz é o mesmo que um bom general faria – ele vai para a fonte de suprimento.  Quando um general quer cortar a linha de suprimento de um exército inimigo, ele ordena que sejam destruídas pontes e estradas para que os suprimentos não possam ser levados aos soldados inimigos. Veja, mesmo um general não sendo um levantador de peso, ele será sempre um grande estrategista.  É por isso que ele sabe que o melhor jeito de ganhar uma guerra é cortar a linha de suprimento, se possível, por completo.

Satanás também é um grande estrategista.  Ele é muito bom no que faz, e sabe que tirar a religiosidade não é o melhor jeito de derrotar a humanidade.  As pessoas sempre acharão ALGUMA COISA para adorar, então o diabo apenas coloca objetos alternativos de adoração para pacificá-las enquanto a vida vai passando.  Então, quem é que você tem para cancelar as estratégias do diabo em SUA vida? Você tem O MAIOR morando dentro de você!  Primeira João 4:4 que diz:… Maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo.  O Espírito Santo veio como parte da sua herança para fazer que você tenha certeza de que já recebeu tudo o que você precisa do Céu.  Ele veio para lhe ensinar e lhe suprir com o poder de Deus, para que você venha vencer e superar tudo, em qualquer situação da vida.

Você quer fazer o diabo ficar bravo?  Então comece a entrar na Palavra e ore em línguas como uma meta diária!  Você vai assustar o diabo se fizer isso com persistência. Isto faz com que a Palavra de Deus se torne viva em você.  Você o deixa muito preocupado.  Ele não gosta que você use o seu tempo com o Provedor.  Ele não quer que você armazene dentro de você todo o arsenal de Deus. Então o que o inimigo faz para parar isso?  Ele vai para a linha de suprimento.

Talvez você já tenha se perguntado antes POR QUE tudo de mal parece vir quando você toma decisões de qualidade, tais como, “eu acho que vou orar fielmente em línguas como nunca!” Assim que você toma tal decisão de qualidade, você simplesmente decide abrir a linha de suprimento vinda do Céu.   E você acha que o diabo fica feliz com esta decisão? Eu posso lhe garantir que ele fica muito entusiasmado!  Ele vai fazer tudo o que puder para que você desista.  O diabo não tem nenhuma escolha.  Ele tem que tentar fazer você desistir, de outro modo, você se tornará um perigosíssimo inimigo!

“Você está tentando me assustar, irmão Roberson?” Não, eu apenas estou dizendo o quão importante é não negligenciar o dom de revelação de orar em línguas.

Lembre-se de que todas outras sete operações de Deus listadas em Primeira Coríntios 12:28 tem o seu suporte na oitava operação da diversidade das línguas: apóstolo, profeta e mestre, pastor e evangelista, representados pelas obra de milagres e dons de cura, e finalmente, socorros e governos. A palavra “diversidade” simplesmente significa manifestação sobrenatural diferente das línguas. Esta manifestação particular de que eu estou falando nesta carta é aquela que edifica você, trazendo o crescimento espiritual.  E por que você está se edificando quando você ora em línguas?  Porque aquele que ora em outras línguas fala não a homens, mas a Deus (I Coríntios 14:2).

Esta manifestação das línguas não é a que deve ser interpretada, porque nós estamos falando a Deus enquanto oramos em línguas para edificação pessoal.  Nenhum homem nos entende.  Por quê?  Porque nós estamos falando mistérios.  Estes mistérios são os mesmos que estão escondidos dentro de Deus do outro lado da morte espiritual e agora, estão disponíveis para a Igreja.  Estes são os mistérios de tudo, Cristo, a esperança da glória, em nós e para nós.

Você não pode orar uma hora em línguas sem deixar de expressar qualquer aspecto do mistério que Cristo é em você.  “E se eu orar a noite toda?” Então você vai expressar oito ou nove horas do que Cristo é em você, levando você para aquele dia em que você entenderá estes mistérios como a palma da sua mão.

O diabo está morrendo de medo de você. Ele está preocupado e com medo de que você comece a andar na mente de Cristo, entendendo o Seu poder.  O diabo está também com medo de que você perceba que a cidade em que você vive não tem que ir para o inferno. E ele está com mais medo ainda, de que você se levante e comece a fazer alguma coisa sobre isso, contra ele!

Você pode perguntar: “O que acontece quando eu oro em línguas?” Em primeiro lugar, o Espírito Santo empresta a autoridade do seu espírito humano para orar através de você.  Então você ora um entendimento total de algum mistério que está na mente de Cristo.  A revelação começa a vir ao seu espírito, então, o Espírito Santo começa a alimentar sua mente com aquela revelação.  Você começa a saber o que Deus quer que você faça com a sua vida.  Você começa a saber que tudo é possível para aqueles que crêem.  Você começa a saber estas coisas melhor do que você sabe o seu próprio nome.

“Então, o diabo está mesmo com medo da minha vida de oração? Ele está com medo da minha linha de suprimento?”

É lógico que ele está.  E ele tem uma boa razão para isso!  Você não está parando, nem irá ceder ou sair fora do caminho porque você determinou que atingiria o plano de Deus para a sua vida.  Você não vai desistir, você não vai parar de orar, e você não vai se abalar. Você triunfará, porque Aquele que é O Maior está dentro de você, continuamente lhe suprindo com sabedoria e com o poder de Deus!

Seu amigo e colaborador

Dave Roberson

DAVE ROBERSON

Junho – 2014

 Querido Irmão,

Desde a queda de Adão, Jesus foi o primeiro Homem a nascer espiritualmente vivo nesse planeta. Enquanto Ele esteve na terra, existia uma lei em operação Nele que opera em nós hoje – uma lei que nos libertou da lei do pecado e morte quando nascemos de novo. O apóstolo Paulo fala sobre essa lei em Romanos 8:1,2:

                        Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

                        Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.

Como crentes, a lei do Espírito da vida agora opera em nosso espírito nascido de novo, pois fomos libertos da natureza do pecado. Essa nova lei da vida dominou e substituiu a lei antiga e mora dentro da natureza de Deus em nós.

Agora que temos a natureza de Deus, não só podemos evitar o pecado, como não podemos ser forçados pelo diabo a pecar. Podemos ser tentados? Claro. Ainda vivemos em um corpo carnal, mas porque temos uma nova natureza, o diabo nunca pode nos tentar além do que podemos resistir e pode acreditar: nós PODEMOS resistir ao pecado! 

A verdade é que não somos “pecadores” salvos pela graça, mas pela graça nossa natureza pecadora foi completamente substituída por uma nova natureza e nos tornamos NOVAS CRIATURAS – filhos de Deus – com a Sua natureza, justiça, unção e autoridade (2 Coríntios 5:17). Os pecadores que fomos um dia morreram no momento em que aceitamos Jesus como nosso Senhor e Salvador e nossa velha natureza pecadora foi removida e substituída pela vida de Cristo.

João 8:36 diz que aquele a quem o Filho liberta está realmente livre, então precisamos nos perguntar: Será que estamos vivendo como se estivéssemos livres?

Uma vez alguém me disse, “Bem, você não entende o meu problema, irmão Dave”.

Eu respondi, “Entendo que você pode fazer algo para mudar o seu problema, mas não o faz porque não quer”.

“Mas você não entende. Estou numa situação de muita crise”.

“Não, o que não entendo é por que você não começa a fazer algo que vai transformar seu problema em vitória diariamente”.

“Bem, preciso da ajuda das pessoas”.

“Mas esse pensamento está errado. Quando chegar a hora de ficar diante do trono do Pai, quem você acha que estará ao seu lado, segurando sua mão? Deus não tem um “plano em grupo” para o Céu. Você não poderá transferir a obediência de alguém para a sua conta e não poderá culpar outra pessoa pela sua condição espiritual”.

“Bom, você não entende o que fizeram comigo. Sofri más influências. As pessoas me trataram mal. Nunca me encorajaram a servir a Deus. Elas se recusaram a servir a Deus comigo”.

Infelizmente, essa pessoa fez o que muitos fazem: culpam outros pela sua falta de crescimento espiritual. Gosto do que Deus disse para os santos do Antigo Testamento sobre a mudança de aliança:

                        Mas este é o pacto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.

                        E não ensinarão mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior, diz o Senhor; pois lhes perdoarei a sua iniqüidade, e não me lembrarei mais dos seus pecados. (Jeremias 31:33,34)

            Não é mais necessário que ensinemos as pessoas a conhecerem a Deus através de preceitos, conceitos, sacrifícios e ordenanças. Na nossa aliança, podemos conhecer a Deus individualmente, do menor ao maior.

Da mesma forma, nenhum homem foi capaz de fazer o que Deus fez quando você recebeu Jesus como seu Salvador por fé; Ele substituiu sua natureza pecadora pela Sua natureza e nenhum homem pode separar você de Deus ou do que Ele tem para você. Não importa se o Mister Universo vestido de diabo quiser tentar lutar contra você! Mesmo se alguém tratar você mal, ninguém jamais poderá impedi-lo de buscar Deus.

Lembro de uma vez que senti muita pena de alguém cuja vida estava um caos. Essa pessoa estava passando por um problema atrás do outro. Suas emoções estavam em guerra, mas essa pessoa conhecia a verdade! Ela sabia o que a Palavra diz sobre o que fazer para ter vitória sempre.

Eu disse para ela, “Olhe, sinto compaixão por você, mas, amiga, VOCÊ VAI CONTINUAR DESSE JEITO ATÉ FAZER O QUE PRECISA PARA MUDAR SUA SITUAÇÃO. Você conhece a verdade e pode começar a mudança quando quiser. Se você não soubesse qual é sua solução, tudo bem. Mas você sabe a resposta. Portanto, parece que você quer continuar do jeito que está”.

“Mas é difícil demais – aliás, é impossível! Você não entende”.

“Não, eu não sei como é ser você, mas Deus sabe. Aliás, é assim que Deus pode mostrar Seu poder!”

“O que Ele precisa de mim?”

“Que tal crer que Ele não mente?”

“Acho que não consigo fazer isso”.

“Mas você PODE passar a crer Nele”.

“E se eu não quiser?”

“Então você vai continuar onde está e Deus vai abençoá-lo o quanto puder usando a fé que você tem. Mas saiba que você está se prejudicando e impedindo Deus de agir quando se recusa a mudar”.

Não cometa o mesmo erro. PODEMOS conquistar o mundo ao nosso redor se escolhermos conquistar o mundo DENTRO de nós primeiro.

Como crentes nascidos de novo, entendemos a posição que nosso espírito tem em Cristo Jesus: somos a justiça de Deus em Cristo, estamos sentados em lugares celestiais em Cristo Jesus e estamos completos Nele (2 Coríntios 5:21; Efésios 2:6; Colossenses 2:10). Contudo, muitos de nós não entendemos a posição que nosso corpo carnal tem e como isso afeta nosso andar com Deus.

Embora a lei do Espírito e vida esteja em total operação dentro de nossa nova natureza, ainda estamos vestindo um corpo carnal herdado do primeiro homem Adão. Enquanto estivermos nessa terra, esperando por nossos corpos glorificados, uma verdade foi estabelecida sobre o corpo natural que temos agora. Quando executamos essa verdade, quebramos o poder que nossa carne – a nossa parte que pode ser tentada ao pecado e desistir – tem sobre nossa vida e espírito.

Romanos 8:10 diz: Ora, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça. Note a posição de “vida” a que nosso homem espiritual foi designado! Vivemos na vida de Deus por causa da nossa justiça – nossa posição justa – em Cristo. Mas no mesmo versículo, note a posição a que nosso corpo natural foi designado: MORTO POR CAUSA DO PECADO.

Para quebrar o poder de Satanás sobre a nossa carne, Deus declarou que nosso corpo estará morto até recebermos um novo corpo glorificado com o tocar da trombeta, quando seremos transformados de corruptíveis para incorruptíveis como 1 Coríntios 15:51-53 diz:

                        Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados.

                        Porque é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade.

Até esse momento chegar, nossa tarefa é executar as duas posições que nossa carne e espírito possuem – a morte  na carne e a vida no espírito. E quanto mais usarmos as armas de Deus para executar essas verdades, mais poderosos e cheios de vida seremos.

Existem duas armas poderosas e eficazes que nos ajudam a começar o tipo de mudança em nós que transforma as circunstâncias e obstáculos ao nosso redor: a oração em línguas e o jejum. Por quê? Porque a oração em línguas edifica o nosso homem espiritual, executando a posição de vida que nosso espírito recebeu no nosso novo nascimento e o jejum executa a posição que a Bíblia declarou sobre nossa carne – que ela está morta.

A palavra jejum assusta muita gente, pois automaticamente pensam que precisam ficar sem comer por quarenta dias para ter um jejum bem-sucedido. Mas existem diversas formas de jejuar, como um jejum longo, um jejum em série (alternando dias de jejum) e um jejum parcial (apenas bebendo sucos e eliminando certos alimentos, como carne ou açúcar).

É importante lembrar que todo jejum ajuda, pois qualquer tipo de jejum executa a posição de vitória sobre a sua carne que Jesus nos deu. Ele destruirá pouco a pouco o poder da carne sobre a sua vida, na medida em que você se entregar a Deus e resistir ao diabo.

Por muito tempo em minha vida eu soube que o jejum funcionava, mas não sabia como ou por quê. Nos primeiros anos do meu ministério, pensei que meu sacrifício pessoal de não comer agradava a Deus – e eu queria agradá-Lo tanto que jejuava no Natal, pois significava que eu estava desistindo de muito! Embora eu não entendesse completamente por que é bom jejuar, foi maravilhoso receber vitórias e ver o poder de Deus transformar uma situação impossível em um grande testemunho.

Com o tempo aprendi que quando um crente jejua, ele está literalmente cortando a provisão da carne pela raiz, já que a comida supre a necessidade mais básica dos apetites carnais. E quando cortamos essa raiz, nosso espírito finalmente pode ganhar vantagem sobre a carne – e as orações que não eram respondidas antes começam a ser respondidas!

E não é que jejuamos bastante para mover Deus – não é Ele que precisa de mudança. Quando jejuamos, simplesmente executamos a posição que Deus declarou sobre nossa carne: ela está MORTA e não tem mais poder sobre nós!

O jejum quebra o poder do diabo sobre a nossa fé, pois nos ajuda a mortificar as coisas da vida que ele usa para nos controlar, como medos, tormentos e tentações do pecado. Essa prática também lida com nossa incredulidade. Estou falando sobre um tipo de incredulidade que nos impede de fazer mais para Deus. O tipo que cria uma barreira invisível em nossa vida da qual não sabemos bem como nos livrar.

Você se lembra do que Jesus disse aos Seus discípulos em Mateus 17:19,20, quando Lhe perguntaram por que não puderam expulsar o diabo do menino lunático?

Depois os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, perguntaram-lhe: Por que não  pudemos nós expulsá-lo?

                        Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível.

            Veja, a incredulidade a que Jesus se referiu não é o tipo que causa divergências entre religiões. Era o tipo que impede uma pessoa de fazer mais para o Reino de Deus – uma incredulidade sutil que a pessoa nem sabe que tem até tentar fazer algo para Deus e falhar.

Mas, graças a Deus, Jesus não falaria aos discípulos qual era a razão de seu fracasso sem lhes dizer o que poderiam fazer contra isso: [mas esta casta de demônios não se expulsa senão à força de ORAÇÃO e de JEJUM.]

            Assim, se a incredulidade era a principal causa de não conseguirem expulsar o diabo daquele menino, podemos concluir que a oração e o jejum tem TUDO a ver com eliminar esse tipo sutil de incredulidade.

O jejum, mais especificamente, é a chave que mortifica as coisas que agem como barreiras em nossa vida, impedindo-nos de receber de Deus. Ele lida com o verdadeiro problema – com nossa inabilidade de ter vitória em certas áreas porque a incredulidade se impõe através da carne.

Quando ensino sobre a necessidade e benefícios do jejum, encorajo os crentes a incorporarem o máximo da oração em línguas também. Explico-lhes que enquanto o jejum executa a verdade declarada sobre a carne – morte – e lida com a barreira inconsciente da incredulidade, se ao mesmo tempo a pessoa se dedicar à oração em línguas, a Terceira Pessoa da Trindade será liberada em suas vidas. Enquanto oram, o Espírito Santo opera os planos de Deus para seu futuro e os leva com amor a andar neles.

Se por um lado o jejum expõe as fortalezas escondidas dentro de nós, por outro, a oração pela vontade perfeita de Deus dá ao Espírito Santo o que Ele precisa para destruir os obstáculos diante dos planos do Pai.

Lembro-me dos primeiros anos de ministério quando as horas de oração e jejum pareciam tão longas e difíceis; parecia que eu estava perdendo tudo de bom ao meu redor. Contudo, eu estava dando a Deus permissão para tirar tudo em mim que não era Dele – tudo em minha vida que não recebi Dele – o que começou com a mortificação, um período em que morri para mim mesmo.

Dei a Deus a permissão para me edificar, exaltar o Seu conhecimento em minha vida e operar os Seus planos para mim quando me entreguei ao Espírito Santo. Precisei de fé para deixar de comer – até mesmo em momentos de comunhão com minha família e amigos – e para deixar aquela língua celestial sair de minha boca enquanto estava com fome ou cansado e não queria orar algo que nem entendia.

Confesso que muitas vezes senti que todo o inferno estava sobre mim, querendo que eu desistisse e fizesse outra coisa. Mas isso é o que Satanás sabe fazer. Quando você decidir dar um passo em Deus, o diabo lançará pensamentos contrários, oportunidades de distração e guerras emocionais em sua alma. Mas não se deixe levar pela pressão emocional e raciocínios mentais. Em vez disso, comece a adorar a Deus por sua graça abundante sobre sua vida e saiba que tudo em você que estiver resistindo a essa mudança está sendo transformado na imagem de Cristo.

No meu próprio andar no espírito, também descobri mais uma coisa: não importa que tipo de situação uma pessoa esteja enfrentando, não importa de que tipo de fraqueza ela esteja tentando se livrar, se essa pessoa nunca mudar, ela sempre vai voltar para o mesmo lugar.

Não importa quem você seja, se você não passar tempo com o Senhor, usando essas armas espirituais que nos edificam como crentes de dentro para fora, você nunca terá mais força e soluções para os seus problemas nessa terra.

Jesus disse, “Se o Filho nos libertar, seremos livres” (João 8:36). Jesus nos libertou e pela Sua graça, podemos usar todas as chaves que recebemos para sermos vencedores nessa liberdade.

Espero que esse ensino encoraje você a reconsiderar o jejum combinado à fundação da oração no Espírito Santo. Na medida em que você continuar a buscar e adorar o Senhor, passando tempo na Sua Palavra, o Espírito Santo lhe mostrará qual o melhor tipo de jejum para você. Se você tem alguma condição física específica, consulte seu médico antes de iniciar o jejum – mas pode ter certeza de que existe uma forma de jejum para você.

Prepare-se para experimentar um caminhar mais próximo com Deus e com tudo que Ele tem de melhor para a sua vida!

Seu amigo e colaborador

DAVE ROBERSON

DAVE ROBERSON

Abril – 2014

Querido Amigo,

Durante todos os meus anos de ministério, muitas pessoas vieram me perguntar como aprender a seguir a liderança do Espírito Santo em suas vidas. Sempre lhes digo que um dos passos mais importantes para aprender a ser guiado por Ele é tornar-se sensível às maneiras através das quais Ele Se comunica conosco.

Muitos anos atrás, uma outra pessoa me disse: “Deus me disse para ir à barbearia e testemunhar ao barbeiro enquanto corta o meu cabelo. Mas, tem um problema – é que a barbearia estava fechada quando cheguei lá! Você pode me dizer por que Deus me mandou para lá?”

“Claro que posso”, respondi. “Deus NÃO mandou você ir à barbearia. Ele não Se engana. Ele sabe quando a barbearia está aberta e quando ela está fechada e Ele não teria mandado você lá com instruções que você não poderia executar!”

Consequentemente, posso dizer que durante o processo de aprender a ser guiado pelo Espírito, muitos de nós cometemos erros parecidos. Mas Deus nunca comete tais enganos. Ele não diz simplesmente, “Essa pessoa não ouviu a Minha instrução corretamente. Que pena!” Não, Ele não desiste de nós, mas espera que O conheçamos melhor e aprendamos a andar com Ele, reconhecendo Sua voz.

A verdade é que Deus quer muito nos direcionar em nossa vida. Aliás, Ele nos ensina como andar em um lugar com Ele, onde recebemos respostas instantâneas para nossas necessidades diárias. Isso acontece tão simplesmente quando dizemos, “Pai, o que Você quer que eu faça?” Não existem atalhos para estabelecer esse tipo de relacionamento próximo e íntimo, mas existe uma chave que cada um de nós precisa ter – manter um estilo de vida de comunhão com Ele.

Veja, nosso Pai tem um plano, um propósito e uma vontade para todas nossas vidas e Ele estabeleceu um caminho perfeito para seguirmos, a fim de terminarmos nosso percurso com sucesso. Todas as vezes que entregamos nossa vontade à liderança do Seu Espírito, Ele nos guia nesse caminho que nos leva a tudo que Jesus disponibilizou a nós na Cruz. Essa é uma jornada de intimidade e comunhão com Deus e um andar poderoso no espírito.

Uma coisa que precisamos entender, contudo, é que a liderança do Espírito Santo em nossa vida é algo que cresce. Ela não é um pensamento passageiro ou uma leve impressão – somos valiosos demais para Deus. Não devemos dizer, “Hoje sei o que devo fazer” e amanha dizer “Não tenho ideia do que fazer” – a liderança de Deus não muda como nossos sentimentos.

Deixe-me lhe dizer que mesmo que nossas emoções sejam inconstantes, Deus não é. Sua vida vale muito mais do que uma liderança instável. A direção do Pai cresce como uma árvore e apesar de parecer lenta no início, tudo o que precisamos fazer é continuar regando a semente da comunhão com Ele através da oração em línguas, meditação na Palavra, passando tempo na Presença Dele, etc, e logo teremos uma grande árvore com muitos frutos. Por quê? Porque quanto mais tempo você passar com Ele, mais você O conhecerá e entenderá como Ele Se comunica.

“Mas eu estou numa situação de crise! Eu não posso esperar tanto para saber o que fazer!”

Deus sabe tudo sobre todas as situações que estamos enfrentando. Contudo, Ele pode querer colocar o foco sobre o que nos levou àquela confusão. Às vezes existe uma mudança que precisa acontecer em nossa vida para que a verdadeira vitória de Jesus possa se manifestar.

Deixe-me dizer que não estou falando de nada que vá contra a Palavra de Deus. Toda liderança do Espírito tem base no fundamento da rocha da Palavra e o Espírito Santo nunca nos guia contra a Palavra – pois o Espírito e a Palavra estão sempre de acordo.

Veja, por exemplo, a promessa da cura. Não existe nenhuma mudança que precise acontecer PRIMEIRO para que a cura de Deus se manifeste em nossa vida. Jesus curou todas as pessoas que vieram até Ele, sem nunca precisarem mudar seu comportamento antes de receberem o milagre.

Portanto, podemos falar diretamente com a enfermidade, dor e doenças, ordenando que saiam em Nome de Jesus, pois Jesus recebeu em Seu corpo toda forma de doença; Ele levou sobre Si toda forma de punição e dor, derrotando tudo quando sofreu em nosso lugar – e agora podemos andar em saúde completa.

E lemra o diabo e nosso corpo contestem essa verdade, precisamos crer no que Deus disse. Às vezes é necessário confessar a Palavra até que a verdade vá da nossa cabeça ao nosso coração, para que acreditemos no que Deus disse mais do que nos “fatos” e circunstâncias.

Isaías 53:5 diz, Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. E Salmos 103:2,3 também diz: Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios. É ele quem perdoa todas as tuas iniqüidades, quem sara todas as tuas enfermidades.

Nos Evangelhos, vemos momentos em que Jesus curou certas pessoas e DEPOIS lhes deu instruções para que nada pior lhes sobreviesse. Dependendo de nossa situação, o Senhor talvez faça o mesmo conosco.

Nosso Pai gosta de trabalhar na raiz dos problemas. Ele quer nos mostrar como evitar áreas problemáticas antes que as encontremos e como resolver problemas que nós mesmos causamos. Portanto, grande parte de Sua liderança em nossa vida tem a ver com os passos necessários para nosso crescimento espiritual e maturidade, a mortificação de coisas em nossa alma que não se alinham à Sua Palavra, nosso caminhar no amor, etc.

A maioria de nós, por exemplo, já sentiu a dificuldade de pressões financeiras – momentos em que dizemos, “Se eu tivesse um tanto de dinheiro, todos esses problemas seriam resolvidos”. Mas você sabia que nem todas as crises financeiras são causadas por problemas financeiros? Às vezes a pessoa pode estar sofrendo os efeitos de um descontrole de gastos – porque gasta dinheiro em tudo o que quer e não cuida de suas necessidades e responsabilidades.

Enquanto essa pessoa não lidar com esse vício de gastar, não importará quanto dinheiro ela recebe, não haverá mudança, pois ela voltará a ter o mesmo problema. Contudo, a resposta é a mesma, tanto para o “Sr. Responsável” quanto para o “Sr. Irresponsável”, cujas prioridades financeiras se encontram apenas em gratificações imediatas. Se ambos continuarem a ter comunhão com o Senhor – orando em línguas, jejuando, lendo a Palavra e adorando – o Espírito Santo poderá revelar a fonte de seus problemas e lhes ajudar a vencê-los passo a passo.

Nenhum de nós gosta de ter crises, mas por vezes quando as tempestades vêm trazem com elas circunstâncias adversas que fogem ao nosso controle. No entanto, mesmo em meio a momentos difíceis, precisamos buscar o Senhor, entrando em Sua Presença e usando as chaves que recebemos. Isso porque independente do que esteja acontecendo ao nosso redor, se continuarmos a regar a semente da comunhão, Sua direção crescerá em nosso espírito e o que recebermos será transferido para nossa alma – e, então, saberemos exatamente o que fazer. Assim, quando obedecermos às direções de Deus, poderemos ter certeza de que Ele fará com que Seus propósitos, desejos e planos para nossa vida aconteçam. Esse é o fruto de uma vida guiada pelo Espírito e começa quando entendemos as formas pelas quais Ele Se comunica.

Vamos examinar as quatro formas que Deus usa para Se comunicar com Seus filhos. Primeiramente, Ele usa o testemunho interior. Quando o Espírito Santo Se comunica pelo testemunho interior, Ele serve de testemunha da verdade a respeito de qualquer situação. Algumas pessoas descrevem o testemunho interior como um “conhecimento específico” em seu espírito. Elas dizem que de repente sabem qual decisão devem tomar ou que se sentem guiadas a tomar uma certa direção através da paz de Deus em seu espírito.

Também há momentos em que o Espírito Santo Se comunica conosco pelo testemunho interior e sentimos um alerta – uma hesitação, interrupção de paz – em nosso espírito. Quando isso acontece, Ele está nos alertando, pois estamos tomando um passo na direção errada, distraindo-nos com um problema ou obstáculo, etc.

Em segundo lugar, o Espírito Santo Se comunica conosco quando literalmente fala com nosso espírito em nossa língua nativa. Na maioria das vezes, quando Ele fala com nosso espírito, Ele usa uma voz doce e calma que ouvimos com nossos ouvidos espirituais. Com o passar do tempo, aprendemos cada vez mais como distinguir Sua voz de outras vozes em nossa vida que tentam dominar – como o mundo, o diabo e nossos desejos carnais.

O Espírito Santo também pode falar conosco através de uma voz audível que é tão alta e clara que parece vir de uma pessoa física ao nosso lado; podemos ouvi-la com nossos ouvidos físicos. Contudo, essa voz ainda é Deus falando conosco de Seu Espírito para nosso espírito.

A terceira maneira pela qual o Espírito Santo Se comunica é por visões ou sonhos. Às vezes, quando estou fluindo no Espírito, ensinando a Palavra de Deus, Ele me mostra uma visão relacionada à pessoa a quem estou ministrando. Recebo uma visão da anatomia da pessoa como um raio X; vejo o problema em seu corpo. Durante esses momentos, sei que o Espírito Santo está me mostrando o que e como orar para aquela pessoa.

Deus também já usou visões para me dar revelações. Há muitos anos, Ele me deu uma visão de ensinamento para me mostrar como o Espírito Santo transfere sua linguagem sobrenatural das línguas para o meu espírito. Na visão, pude ver o homem exterior e o homem interior. Meu homem exterior – o homem carnal – era s silhueta mais escura de todas. Minha alma – mente, vontade, intelecto e emoções – era de uma cor mais clara e meu espírito era totalmente iluminado. Vi o Espírito Santo literalmente criando e trazendo à existência Sua língua sobrenatural na minha mente espiritual, que estava contida dentro da mente natural do homem exterior.

Percebi através dessa visão que o canal que o Espírito Santo usa para criar a linguagem das línguas em nosso espírito é o mesmo canal que Ele usa para Se comunicar conosco. Portanto, quanto mais tempo passamos orando no Espírito Santo, mas familiarizados nos tornaremos com Seu canal de comunicação e mais fácil será reconhecer quando Ele está falando.

A quarta maneira pela qual o Espírito Santo Se comunica conosco é pela própria revelação. Talvez um dia você esteja andando sem pensar em nada importante, e de repente, Deus transfere uma revelação ao seu espírito. A revelação pode ser um mistério de Cristo em nós – a esperança da glória, ou uma direção específica sobre seus negócios, sabedoria para vencer uma situação, etc. De repente, por revelação, você saberá o que fazer, mesmo que não saiba exatamente como recebeu esse entendimento.

Já recebi revelações que duraram apenas segundos em meu espírito e levaram três meses para serem pregadas. Deus gosta de Se comunicar com Seus filhos desta forma, pois nosso espírito é capaz de receber e operar em um nível mais alto com Ele.

Digamos, por exemplo, que você tem passado por um problema em sua empresa e não sabe o que fazer, então tem passado grande quantidade de tempo orando no Espírito Santo e meditando na Palavra. De repente, um dia, a revelação explode dentro de você e você exclama: “Meu Deus! Sei exatamente o que fazer durante os próximos dez anos!” A revelação veio em meio segundo, mas demorará quinze anos de reuniões para você explicar o plano aos seus colegas de trabalho. Por quê? Porque seu espírito precisa transferir a revelação passo a passo à sua alma, para que sua mente natural entenda o que deve fazer.

Seja através do testemunho interior, da nossa língua nativa, visões, sonhos ou revelações, Deus sempre Se comunica conosco através do mesmo canal em nosso espírito. Sua liderança em nossa vida cresce junto com nosso relacionamento com Ele – razão pela qual estabelecer uma vida de oração e comunhão é tão importante.

Vamos passar bastante tempo regando a semente da comunhão através da oração em línguas, adorando, meditando e confessando a Palavra, jejuando e esperando no Senhor, colaborando com o Espírito Santo. Ele será fiel e construirá um fundamento poderoso debaixo de nossos pés. Ele é o nosso Auxílio que vai adiante, operando o plano do Pai em nossa vida e nos guiando para superar os obstáculos em nosso caminho. Ele nos levará a toda a verdade, trará nosso crescimento e maturidade e nunca nos abandonará.

Você vai ser muito feliz por ter iniciado essa jornada dentro do conhecimento de tudo que Deus é!

Seu colaborador,

DAVE ROBERSON

DAVE ROBERSON

Março – 2014

Querido Amigo,

Estamos vivendo um momento importante para o Corpo de Cristo – um momento em que o Senhor está nos chamando para nos aproximarmos de Sua Presença. Ele está nos levando a um lugar de confiança Nele, onde precisamos deixar de lado o que ACHAMOS que é certo, para podermos aceitar o que Ele DIZ que é certo. Precisamos desistir de nosso conforto e segurança para seguirmos a direção e liderança Dele, deixando de lado nossas melhores intenções para receber Seus planos perfeitos. Este é um momento vital de maturidade para cada um de nós. Para que cruzemos essa linha, deveremos pagar um preço muito alto em nossa carne, mas o que ganharemos através da obediência é tudo o que Ele é em nós.

Então, o que está nos impedindo de confiar, crer e seguir o Senhor nesse novo lugar de intimidade? Será que é uma guerra que está entre você e um novo nível de comunhão com o Pai? Ouça o que Josué disse aos homens de Israel DEPOIS que eles entraram na Terra Prometida: Não temais, nem vos atemorizeis; esforçai-vos e tende bom ânimo (Josué 10:25).

Para possuírem sua herança, os filhos de Israel precisaram fazer mais do que cruzar as águas do Jordão. Eles precisaram encarar e conquistar os inimigos na sua terra prometida.

E como os israelitas, nós também passamos para nossa fase de guerra ofensiva. Sei por experiência própria que fazer parte dessa mensagem de comunhão e orar pelo avivamento do Senhor nos torna uma ameaça a Satanás. É por isso que o diabo está aumentando sua pressão contra nós, na medida em que buscamos diligentemente ao Senhor. Esta é a razão por que nossa carne luta contra nosso homem espiritual para tomar o controle de nossa vida; e é por isso também que a destruição de cada fortaleza em nossa alma parece uma sentença de morte. Mas não podemos nos desanimar. Nosso Pai não tem medo da guerra e Ele nunca perdeu uma batalha.

Pense no seguinte por um momento: se você soubesse que Deus sujeitou as cabeças dos seus inimigos embaixo dos seus pés, pode existir algo que o impediria de seguir os planos Dele para a sua vida e aproveitar um relacionamento mais profundo com Ele? Bem, a verdade é que Ele já fez isso.

            Respondeu-lhes ele: Eu via Satanás, como raio, cair do céu.

            Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algum. (Lucas 10:18,19)

 

            Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

            Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.                (Romanos 8:1,2)

Jesus nunca se rendeu ao inimigo, pois Ele sabia que os planos do diabo, Sua própria carne e Sua alma não tinham domínio sobre Ele. E é assim que devemos viver no mundo hoje. Nós dominamos e reinamos com a autoridade de Deus e estamos na Sua posição de vitória.

Este ano, o Senhor está nos dando as mesmas instruções que deu a Seu povo nos dias de Josué: esforce-se, seja forte, e tenha bom ânimo, seja corajoso! Agora é o momento de dizer às nossas circunstâncias, à carne e emoções que elas não afetam nossa obediência ao Senhor. Podemos confiar em nosso Pai durante a luta. Ele jamais nos abandonará.

No dia 8 de janeiro de 2014, recebemos uma palavra profética em um de nossos cultos e quero compartilhá-la com você:

            Um espírito maligno foi enviado para nos desencorajar, para dificultar qualquer esforço em crer que somos vitoriosos. Quando você sentir essa depressão e essa dificuldade de se manter forte, saiba que isso  é a operação de um espírito mentiroso.

Note que o Senhor não disse que esse espírito não viria uma vez e depois nos deixaria para sempre. Não. O inimigo sabe que estamos em um momento importante de transformação, um período de entrega ao Senhor e ao processo de mortificação para que possamos ser filhos e filhas amadurecidos do Reino. Satanás tem medo do que vai acontecer quando cruzarmos a linha de confiança total e obediência a nosso Pai, então ele usa pressões externas, pessoas e nossos próprios desejos para tentar atrapalhar nossa comunhão com o Senhor.

Contudo, por favor veja o resto da exortação recebida dia 8 de janeiro:

            Pai, eu recebo a Sua força. Você é a minha Força, e sim, eu posso fazer o que Você me pediu para  fazer. Isso que está diante de mim, a direção que você deu a cada um de nós, não é impossível de ser atingida,  porque Você é a nossa Força.

Neste período de mudança, é muito importante que permitamos ao Pai Se tornar nossa Força, e uma das maneiras mais eficazes de fazer isso é quando trocamos nossas fraquezas pela força Dele através da comunhão da adoração e louvor pessoal com Ele.

Quando o Senhor começou a me ensinar sobre a chave fundamental da adoração, Ele me deu uma visão de uma pedra sendo jogada em um lago. No local onde a pedra aterrissou no lago, ondas se formaram até atingirem a borda, fazendo com o que toda a superfície da água fosse atingida. Eu perguntei ao Senhor, “O que isso significa?”

O Senhor respondeu, “É assim que começa. Quando você passa a Me adorar, primeiro começo enchendo o seu espírito com uma sensação tangível da Minha Presença. Na medida em que você continua a adorar, aquelas ondas acabam sendo empurradas e atingem a sua alma e seus sentidos físicos são batizados com a Minha Presença. Finalmente, as ondas da Minha Presença fluem para fora de você e enchem a sua localização geográfica, onde você mora e trabalha”.

Durante a mesma época dessa visão, eu estava lendo sobre a vida de grandes homens e mulheres de Deus. Logo percebi que o que o Senhor estava me ensinado sobre a natureza da adoração – o processo através do qual a Presença Dele flui do espírito de um homem para sua alma e o lugar ao seu redor como ondas que se espalham em um lago – era o mesmo processo que ocorreu na vida de Smith Wigglesworth, um evangelista do século dezenove.

Os testemunhos da vida e ministério de Smith são completamente maravilhosos, pois ele andava em tamanha comunhão com Deus. O seu homem espiritual, alma e a atmosfera ao seu redor estavam constantemente cheias da Presença de Deus, tanto que ninguém conseguia passar perto dele sem sentir Jesus. Muitas começavam a chorar, arrependiam-se e recebiam a salvação no mesmo instante, e não porque ele lhes falava do Evangelho, mas por causa da vida de Cristo que jorrava de seu ser. A vida desse homem pertencia totalmente ao Senhor e ele aprendeu a viver em comunicação contínua com o Pai através de um estilo de vida de adoração e oração.

Contudo, por mais extraordinário que Smith tenha sido, o lugar de intimidade com o Senhor no qual ele andava não está reservado apenas para “pessoas especiais” ou a certos chamados. A verdade é o que Pai DESEJA ter comunhão com cada um de nós; Ele quer que compartilhemos nosso coração e lhe digamos que O amamos. Quando nos aproximamos de Deus através da adoração, iniciamos uma troca livre do nosso amor pelo Dele. Entramos no âmbito do espírito, em um lugar de intimidade que permite que Ele nos mostre quem Ele é e quem somos Nele. Trata-se de um lugar de refúgio – um lugar onde a autoridade flui. E como filhos de Deus, podemos aprender a entrar e permanecer nesse lugar. Contudo, primeiro devemos superar alguns obstáculos.

No momento em que começamos a louvar e adorar, dificuldades aparecerão de dois lados diferentes. De um lado, o diabo virá, tentando nos desviar da adoração através de mentiras e incredulidade. Ele atacará nossa mente e emoção com pensamentos, como Você está perdendo o seu tempo. Nada está acontecendo. Deus não está ouvindo você! Ele, inclusive, trará circunstâncias e pessoas em sua vida que tornarão você ocupado ou estressado demais para querer passar tempo com Deus.

Então, assim que você conseguir exercer autoridade sobre o diabo e expulsá-lo em Nome de Jesus, a sua alma virá do outro lado. Você começará a sentir que precisa usar todas as suas forças para ser fiel aos seus momentos de adoração. Você precisará arrastar sua mente, vontade, intelecto e emoções para a Presença de Deus e a sua alma tentará desesperadamente escapar – ela inventará desculpas de que precisa fazer tudo menos adorar. No entanto, não é o diabo ou nossos desejos da alma que interessam para o Pai. Ele quer saber se você vai continuar em comunhão com Ele apesar das batalhas que acontecerão contra a adoração.

Quando tudo no âmbito natural prova que você tem coisas mais importantes a fazer, quando a sua alma apresenta mil justificativas para não adorar e quando parece que todos os diabos do inferno foram enviados para criar uma atmosfera maligna ao seu redor e, no entanto, você não deixa de magnificar a bondade de Deus – é aí que você estará dando o seu maior passo de fé. Esse passo significa que nem Satanás, nem as suas circunstâncias ou própria carnalidade podem distanciar você de Deus. Quando você cruza essa linha em seus momentos de adoração, onde nada pode fazê-lo parar, você está se aproximando da manifestação das verdades pelas quais tem adorado seu Pai.

Nesse momento de entrega a Deus, é mais importante do que nunca que utilizemos as chaves que recebemos para seguir em frente com Ele. Este é um caminho de vitória e graça que desafiará tudo em nós que não crê em quem Deus nos tornou. É um caminho que requer que ouçamos Suas instruções – orar muito, meditar muito, jejuar muito e adorar muito.

Se você ainda não começou a sua rotina de adoração, deixe-me encorajá-lo a dar esse próximo passo de obediência hoje mesmo. Quando você acrescentar essa chave fundamental ao seu dia a dia, as tribulações não cessarão, mas a alegria de estar em comunhão íntima com o Senhor se tornará a sua força.

Para começar, você pode dedicar a maior parte do seu momento de comunhão com o Senhor em adoração, pelo menos até superar as dificuldades iniciais que aparecerão. Lembre que durante os momentos em que o diabo e sua alma estiverem lutando mais são os momentos em que você está entrando em novos lugares de intimidade com o Senhor. Portanto, NÃO DESISTA.

Talvez você também passe por momentos na adoração em que parece estar em um deserto seco, sem a Presença de Deus. Mas não pare de adorar. Esses são os momentos em que o seu espírito está aprendendo a vencer as partes da sua alma que não querem estar na Presença Dele. E você CONSEGUIRÁ vencer essas dificuldades e o Senhor virá até você com uma comunhão gloriosa.

Quando comecei a adorar, pois queria aprender mais sobre a adoração, fiz de tudo para que meu momento com Deus não fosse “da boca pra fora”. Eu sabia que seria fácil dizer repetidas vezes, “Pai, eu Te amo”, enquanto minha mente estava se preocupando com um problema do dia anterior ou pensando sobre o que fazer no dia seguinte. Contudo, apesar do meu esforço, só Deus sabe quantas vezes tive que buscar minha mente distraída e dizer, “você está na Presença do Rei e PRECISA prestar atenção!” Tive muita dificuldade com minha alma naqueles primeiros dias. Todas as vezes que ela começava a se distrair, eu tinha que parar e trazê-la de volta à adoração. Dia após dia, semana após semana, trouxe meus pensamentos de volta à adoração e, aos poucos, minha mente se cansou e se submeteu ao processo.

Com o passar do tempo, aprendi a juntar todos os meus sentidos e derramar todo o meu ser em cada frase de adoração: “Eu Te glorifico, Pai. Eu Te magnifico. Você é a minha Torre Forte. Você é a minha força. Eu Te amo, Senhor. Eu Te adoro”.

Deus se deleita com seus momentos de adoração com Ele. Ele não se importa com as palavras que você usa, mas, sim, com a maneira que você as diz. Você aprenderá a permanecer em um nível diferente de intimidade com seu Pai e um dia dirá, Como pude me preocupar com isso antes, Deus? Como pude não conhecer a verdade de quem Você é? Você É a minha cura! Você É o meu Provedor! Você É a minha Força!

Eu lhe garanto que tudo vai mudar em sua vida. A Presença de Deus fluirá de você em todos os lugares que você estiver e encherá as pessoas com Seu amor, mudando a atmosfera com fé. Tome a decisão de se aproximar de seu Pai hoje. A adoração vai mudar você.

Seu colaborador,

DAVE ROBERSON

DAVE ROBERSON

Fevereiro – 2014

Querido Amigo,

Quero que você saiba que mesmo não morando em Tulsa, você faz parte da nossa família no The Family Prayer Center. Isso vale para todos que receberam e aceitaram a mensagem da oração em línguas e comunhão com Deus e que estão esperando o avivamento – um derramamento sobrenatural da verdadeira doutrina, sanidade e integridade mental, restauração das famílias e uma fusão de milagres, da mídia e de finanças – não baseado em nossas obras, mas a partir da obra consumada por Jesus Cristo. O inimigo tem muito medo desse derramamento. Ele teme a verdade e o poder nos quais o Corpo de Cristo tem se transformado e sabe que vamos fazer parte de uma colheita de almas inédita para o Reino de Deus.

Durante o nosso último culto em 2013, o Senhor nos falou sobre o ano que viria e como a nossa família de fiéis passaria por muitas batalhas e divisões nesse processo de entrega a Ele. Além disso, os ensinos e profecias recebidos enfatizaram a importância da mensagem da comunhão – a oração em línguas, a adoração, o jejum e a prática de todas as chaves do Reino que o Senhor nos ensinou nesses anos.

Uma mudança acontecerá no Corpo de Cristo e o Espírito Santo está nos guiando a um período em que a mortificação da carne, nossa vontade e desejos será a prioridade no nosso caminhar até o avivamento. Estamos vendo de primeira mão o caminho diante de nós se tornar cada vez mais estreito. A cada passo de comunhão e obediência, estamos nos desfazendo de nossos antigos desejos e compromissos, o que nos aproxima cada vez mais da imagem madura de Cristo. Esse é o ano de nos entregarmos a Deus; precisamos continuar seguindo em frente no Senhor.

Mais do que nunca, é hora de pegarmos nossas armas espirituais e entrar novamente no quarto de oração, no jejum, na meditação de dia e de noite na Palavra e na colaboração com o Espírito Santo. Deus tem muito mais para nós, mas primeiro precisamos mortificar o que nos afasta Dele – o que é feito quando colocamos Sua Palavra em nosso coração e permitimos que o Espírito Santo nos treine e nos molde na verdade de quem somos em Cristo.

Através da obra do Espírito Santo, Deus possibilitou que cada um de nós obedecêssemos Suas instruções nesse ano. Em João 16:13, Jesus diz, Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade. O Espírito Santo é nosso Ajudante perfeito, pois Ele não só nos guia a toda a verdade de tudo o que somos, mas também nos revela as coisas erradas de nossa vida. Na medida em que continuamos usando as chaves espirituais que desenvolvem a natureza de Deus dentro de nós, o Espírito Santo poderá nos mostrar os ídolos escondidos da nossa carne que estão entre nós e nosso próximo passo adiante em Deus.

Quando nossas fraquezas, fortalezas e desejos são expostos nesse processo de transformação, uma grande guerra se inicia. Veja, na medida em que damos ao Espírito Santo o tempo e dedicação que usamos para outras coisas, cada um de nós deverá encarar um inimigo – nossa própria carne. Mesmo tendo as melhores intenções em manter um estilo de vida de oração, jejum, confissão da Palavra e esperar no Senhor, nossa carne – a parte que ainda não foi regenerada em nossa mente, vontade, intelecto e emoções – lutará até a morte contra nosso homem espiritual, pois não quer ceder o controle de nenhuma área de nossa vida. Mas, tudo bem. Se continuarmos orando, jejuando e passando tempo com o Senhor, vamos começar a andar mais no domínio que nosso homem espiritual recebeu no novo nascimento.

Você se lembra do dia em que nasceu de novo? A velha natureza herdada do primeiro homem Adão foi declarada morta, sendo crucificada com Cristo no momento em que você aceitou Jesus como seu Senhor e Salvador – mas não a sua carne. Embora você tenha recebido a natureza de Jesus em seu espírito nascido de novo, ela precisou ser armazenada em um vaso terreno chamado de corpo físico.

Até o dia em que seu corpo físico morrer e seu corpo glorificado for revelado, sua carne desejará dominar seus pensamentos e ações. É por isso que a renovação de sua mente com a Palavra de Deus, quando sua falta de santidade e obras das trevas são mortificadas, é uma missão diária. E é isso que você faz todas as vezes que tem comunhão com o Espírito Santo, permitindo que Ele reforce a natureza de Deus dentro de você e o ajude a substituir seus pensamentos e desejos pela mente de Cristo.

Com o passar dos anos, produzimos frutos imensuráveis devido à prática das chaves fundamentais da comunhão, mas nesse ano o Senhor está nos levando a níveis ainda maiores de mortificação e transformação, o que traz muita divisão. Passo a passo nesse caminho, nosso homem espiritual – quem realmente somos – será dividido de seus pensamentos, ações, decisões, contendas, ofensas, inveja, orgulho, ciúme e todo hábito maligno que não se alinha com a imagem de Cristo em nossa nova natureza. Essa é a grande divisão que está chegando ao The Family Prayer Center.

Contudo, Satanás conhece o estrago que apenas um crente que entrega sua vida ao Espírito Santo pode fazer ao seu reino de trevas, quanto mais todo o Corpo operando em conjunto! É por isso que ele também causa divisão para impedir o máximo de pessoas a se entregarem a Deus. Mas não precisamos ser vítimas de seus planos malignos. O que podemos fazer é aprender como reconhecer seus truques preferidos, como ofensas, ódio, falta de perdão, e escolher andar em amor. Afinal, entre os diversos atributos do amor de Deus, Primeira Coríntios 13:8 diz que ele NUNCA falha.

Esse ano, vamos derrotar os planos do diabo antes que ele consiga implementá-los. Vamos escolher colocar nossa confiança em Deus hoje mesmo – para que Ele cumpra o Seu desejo em todas as situações, pois Ele é a nossa Fonte e sempre tem a última palavra. Em todas as oportunidades que possamos guardar ofensas ou ofender, vamos escolher andar em amor, perdão e graça.

Veja, toda vez que você escolhe amar, você passa a ofender o inimigo, fazendo-o retroceder todo seu exército aos portões do inferno. E existe uma forma infalível de manter seu andar de amor:

            Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo,

            Conservai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.

Judas 20,21

 

Na medida em que você se estabelecer em um estilo de vida de oração no Espírito Santo, você estará não só orando a vontade perfeita de Deus para a sua vida, mas também orará os mistérios de tudo o que Cristo é em você – inclusive a natureza do Seu amor que cresce em seu espírito nascido de novo e, consequentemente, se manifesta em sua vida. Quando o amor de Deus continuar crescendo em você, você perderá a capacidade de ofender – porque não haverá nada mais no seu interior que queira magoar as pessoas – e também perderá a capacidade de receber ofensas – porque sabe que é um filho de Deus.

Neste ano, descobriremos que existe uma abundância da graça já disponível para nos ajudar em nossa jornada de entrega a Deus. Vamos nos regozijar nesse período de obediência, de seguir o Senhor. Somos uma família e estamos entrando mais no amor de Deus; a cada passo de fé, estamos nos aproximando ainda mais de um avivamento que vai mudar o mundo.

Seu colaborador,

DAVE ROBERSON

DAVE ROBERSON

Janeiro – 2014

Querido Amigo,

Gosto muito de exortar sobre a importância do batismo no Espírito Santo no caminhar e relacionamento de um crente com Deus. Tanto é verdade que esta mensagem se tornou o fundamento do meu ministério. Contudo, neste novo ano, não sei como enfatizar ainda mais a importância de incorporar esse dom sobrenatural das línguas em sua rotina diária, adotando um estilo de vida de oração.

Por mais de um ano, Deus tem nos instruído a nos preparar para o que acontecerá nos dias que virão. Não temos tempo para ficar parados nas áreas medíocres da derrota. O retorno de Jesus está mais próximo do que imaginamos  e ainda temos que cumprir os grandes planos e propósito Dele para nós nessa terra, o que inclui uma grande colheita de almas nascidas de novo para o Seu Reino.

Foi por isso que o Pai nos enviou o Espírito Santo – o Mestre dos mestres – para nos ajudar a crescer em discernimento, sabedoria e entendimento de tudo o que Deus é e de tudo o que somos Nele. Ele nos ajudará a mortificar o que estiver em nosso caminho, em nossa alma e em nossa carne que finge ser maior do que Ele. Essa mortificação da mentalidade da velha natureza e a transformação de nossa alma em uma imagem madura de Cristo não é algo que podemos fazer sozinhos, mas podemos nos entregar ao Espírito Santo para que Ele nos ajude com nossas fraquezas. Tudo começa com o simples dom de edificação – a oração em línguas.

Veja, o momento que você pede ao Pai que o encha com Seu Espírito Santo e começa a falar a língua sobrenatural, você entra na sala de aula do Espírito Santo. É impossível passar uma hora orando em línguas – orando em uma língua criada dentro do seu espírito pelo terceiro Membro da Santíssima Trindade – sem que Deus opere a mente de Cristo para a sua vida e o seu chamado individual.

Contudo, Satanás também sabe o quão importante é essa chave fundamental das línguas e luta contra ela com todas as armas do seu arsenal. Olhe ao seu redor e veja quantas denominações diferentes e quantos crentes nascidos de novo vivem a vida sem receber o batismo no Espírito Santo. Pode acreditar que esse não é o melhor de Deus para essas pessoas e tampouco é a Sua vontade para elas.

É importantíssimo que aprendamos como dar ao Espírito Santo o que Ele precisa para operar esse processo de mudança em nossas vidas – para nos ajudar a derrubar fortalezas e obras da carne e andar na plenitude da herança de filhos de Deus.

Você é uma parte vital do Corpo de Cristo e nesse momento importante de transformação, quero lhe enviar uma carta de ensino de Gary Carpenter sobre o batismo no Espírito Santo. Gary é um mestre de ensino do Corpo excepcional e um grande amigo meu. Ele ministra regularmente na minha igreja, The Family Prayer Center, e sabe de primeira mão o quão importante e fundamental é o papel do dom das línguas na vida de um crente.

Caso você tenha orado em línguas por anos ou nunca tenha recebido o batismo no Espírito Santo com a prova da oração em línguas, por favor, tome um tempo para ler essa carta. Nela, ele não só diferencia a alma e o espírito, mas também responde as principais perguntas sobre a oração em línguas, trazendo clareza para a grande confusão que o inimigo usa para atrapalhar o caminhar espiritual dos cristãos. Eu sei que o ensino a seguir ajudará a muitos com os obstáculos que encontraram no passado, impedindo-os de receber sua língua de oração e também trará uma fome maior por oração e intimidade com o Senhor.

 

A Língua Espiritual

Gary Carpenter

Uma das coisas mais difíceis de serem discernidas é a diferença entre a alma e o espírito. Não temos dificuldade de distinguir nosso corpo e alma, mas qual é a diferença entre nosso espírito e alma? Como é nosso espírito? Como podemos descrevê-lo? Já que sempre somos encorajados a andar “em espírito”, devemos saber o que isso significa.

Recebemos algumas pistas que vão além do véu da carne e explicam os atributos do espírito em um ensino que Jesus fez, como documentado pelo Evangelho de Lucas. Esse ensino é geralmente mencionado quando pregadores nos alertam contra a ganância durante a vida na terra – e isso também está correto. Contudo, vamos dar uma outra olhada nessa passagem, para aprender sobre o espírito humano. Aqui está todo o ensino em Lucas 16:19-31:

            Ora, havia um homem rico que se vestia de púrpura e de linho finíssimo, e todos os dias se regalava esplendidamente.

            Ao seu portão fora deitado um mendigo, chamado Lázaro, todo coberto de úlceras;

o qual desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as úlceras.

            Veio a morrer o mendigo, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico, e foi sepultado.

            No hades, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe a Abraão, e a Lázaro no seu seio.

            E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia-me Lázaro, para que molhe na água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.

            Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que em tua vida recebeste os teus bens, e Lázaro de    igual modo os males; agora, porém, ele aqui é consolado, e tu atormentado.

            E além disso, entre nós e vós está posto um grande abismo, de sorte que os que quisessem passar  daqui para vós não poderiam, nem os de lá passar para nós.

            Disse ele então: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes ã casa de meu pai,

porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham eles também para este lugar de tormento.

            Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos.

            Respondeu ele: Não! pai Abraão; mas, se alguém dentre os mortos for ter com eles, hão de se arrepender.

            Abraão, porém, lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.

Em primeiro lugar, é preciso entender que isso não é uma parábola. Isso realmente aconteceu com aquelas pessoas. Sabemos disso, pois Jesus nos deu o nome de um dos homens envolvidos – Lázaro. Pudemos ver um pouco da vida desses homens após sua morte física, quando seu espírito saiu de seus corpos. Nesse ensino, temos a rara oportunidade de aprender mais sobre o espírito humano.

A primeira característica que se destaca é que o espírito do homem rico reteve seu conhecimento e memórias recebidos na vida na terra. E o que normalmente chamamos de alma se manteve intacta com ele. A alma é geralmente descrita como “a vontade, o intelecto, a mente e as emoções de um ser humano”. Ele ainda sabia quem era Lázaro. Ele se lembrava de seus cinco irmãos. Abraão lhe instruiu a relembrar como viveu sua vida na terra. Todas essas coisas nos mostram que quando morremos, nossa alma continua fazendo parte de nós.

Então a que conclusão chegamos? Será que nosso espírito tem olhos, dedos e uma língua, mas não possui todas as outras partes da anatomia humana? Não, nosso espírito tem todas as partes correspondentes do corpo humano; temos ouvidos espirituais, uma mente espiritual, etc.

Isso nos ajuda a responder a velha pergunta: o que acontece quando uma pessoa nascida de novo fala em línguas? A resposta agora é óbvia. O homem espiritual está usando sua língua espiritual para orar, enquanto usa a língua do corpo físico. Assim como a mente física do homem envia sinais através do sistema nervoso que resulta no que chamamos de “fala inteligível” entre os seres humanos, a mente espiritual do homem também envia sinais através do sistema nervoso espiritual para produzir uma “fala inteligível” entre o homem e Deus. Não existe nada mais simples!

            Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios. (1 Coríntios 14:9)

Talvez você pergunte, “Já que todo homem tem um espírito, por que apenas pessoas nascidas de novo tem a habilidade de falar em outras línguas?” A resposta é que apesar do nosso espírito estar orando, é o Espírito Santo que está criando a língua dentro de nós. Se você não nascer de novo, o Espírito Santo não pode estar dentro de você criando essa língua. É Ele que nos da a “fala”. Veja os seguintes versículos:            Porque se eu orar em língua, o meu espírito ora, sim, mas o meu entendimento fica infrutífero. (1 Coríntios 14:14)

            E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o             Espírito lhes concedia que falassem. (Atos 2:4)

O Espírito Santo nos ajuda a orar além das limitações de nosso conhecimento intelectual ao nos ajudar a orar em uma língua perfeita que Ele mesmo cria em nossa mente espiritual. Na medida em que entregamos nosso homem espiritual para que ele controle a nossa língua física, essas orações serão oferecidas ao Pai de acordo com a Sua perfeita vontade:

            O mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos             de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis.

            E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a             vontade de Deus, intercede pelos santos. (Romanos 8:26,27)

Na medida em que o Espírito Santo cria essas sílabas em nossa mente espiritual, podemos ouvi-las com nossos ouvidos espirituais. Isso nos permite falá-las no âmbito natural, quando entregamos nossa língua física ao domínio do espírito humano nascido de novo.

Muitos santos preciosos têm encontrado dificuldade nesse momento do processo, pois passam sua vida dependendo de seu intelecto (um atributo da alma) para controlar o que a língua fala. Para muitos, a dificuldade é entregar sua língua ao controle do espírito, mesmo que queiram fazer isso.

Já que são muito acostumados a ouvir as palavras na mente física, quando desejam falar em línguas, automaticamente procuram ouvir a “fala” do Espírito Santo em seu cérebro natural em vez de ouvirem do espírito. Em nenhum lugar da Bíblia está escrito que “Deus é uma mente”. Não, a Bíblia diz que “Deus é Espírito!” (João 4:24).

A forma mais comum pela qual Deus Se comunica com Seus filhos é com seu espírito – não com sua mente, embora Ele tenha essa capacidade. A língua sobrenatural das línguas é criada na mente do seu espírito pelo Espírito Santo. Elas não são criadas em sua mente natural.

Então como ajudar as pessoas que realmente tentaram receber o Espírito Santo e sua habilidade sobrenatural de falar em línguas com Deus, mas sentem que não conseguiram? Em primeiro lugar, elas precisam entender o seguinte: Jesus deixou claro que os que pedissem para receber o Espírito Santo, receberiam o Espírito Santo:

            E vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai             celestial o Espírito Santo. (Lucas 11:13)

Com isso vemos que cada vez que qualquer filho Deus pedir pelo Espírito Santo, o Pai lhe dá o Espírito Santo. Então, qual é o problema? Por que algumas pessoas que pediram pelo Espírito Santo nunca conseguem orar em línguas? Devido à sua dificuldade de distinguir seu espírito de sua alma! Elas querem ouvir as palavras em sua mente física antes de começarem a falar com sua língua física. Isso nunca vai acontecer! Essa língua é criada na mente espiritual dos seres humanos nascidos de novo. Ela é passada diretamente para a língua espiritual de cada pessoa sem passar primeiro pela mente natural. A sequência é a seguinte: mente espiritual, língua espiritual, língua física. Esse caminho pula a mente natural do homem.

Foi por isso que Paulo disse em Primeira Coríntios 14:14 que enquanto ele estava orando em línguas, o seu “entendimento” ficava infrutífero. É isso mesmo que acontece! Essa língua é criada no espírito e falada pelo espírito através da língua física do homem. Ela pula a mente natural. Contudo, nunca subestime o poder dessa comunicação espiritual. Essa língua é a forma de comunicação mais avançada que existe: uma comunhão entre filhos nascidos do espírito com seu Deus Pai, que é Espírito! O “entendimento” da mente natural é ultrapassado através do momento mais íntimo de comunhão, mas na medida em que a  revelação é comunicada entre o Pai e Seus filhos, até mesmo a mente natural acaba sendo edificada durante os momentos de oração.

Com a comunhão espiritual vem o entendimento espiritual. Quando nosso espírito humano renascido é edificado e ensinado nesses momentos de comunhão, o entendimento espiritual que recebemos acaba sendo passado para a nossa mente natural diretamente através do nosso espírito humano. O entendimento espiritual gera entendimento natural. Foi esse processo que Paulo chamou de renovação de nossa mente:

            E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para   que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12:2)

Note que essa frase no capítulo 12 de Romanos vem depois de Paulo falar sobre como o Espírito Santo nos ajuda a orar em Romanos 8! Sim, o resultado final é que recebemos entendimento espiritual em nossa mente natural. Mas isso acontece quando passamos tempo em comunhão com nosso Pai – de espírito a Espírito – com a ajuda do Espírito Santo que cria uma língua sobrenatural para nós que ultrapassa o intelecto. Por quê? Paulo nos diz em Romanos 8:26: Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis.

Todas essas coisas são “mistérios” para nós no início. Simplesmente não sabemos qual é o plano perfeito de Deus para nossas vidas em nosso intelecto. O intelecto não sabe o que devemos orar, mas o Espírito Santo sabe! É por isso que Deus nos deu a habilidade maravilhosa de colaborarmos com o Espírito Santo e permitir que Ele crie as orações perfeitas para nós em uma língua que não está limitada pela mente carnal.

Será que existe uma solução para os que já pediram pelo Espírito Santo diversas vezes e quiseram receber essa nova língua, mas que nunca experimentaram esse dom precioso? Sim, existe. Como sempre, o único caminho está sempre indicado na Bíblia:

            E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o             Espírito lhes concedia que falassem. (Atos 2:4)

Pelas palavras do Próprio Jesus em Lucas 11:13, sabemos que o Pai dá o Espírito Santo a todo filho de Deus que pede por Ele. Esse não é o problema. O problema é ter fé suficiente para fazer o que Atos 2:4 diz e começar a falar, confiando que cada sílaba inteligível que sai da sua boca é a fala do Espírito Santo! É preciso fé! É preciso confiança! É preciso entregar o controle da sua língua física para a sua mente espiritual em vez da sua mente intelectual. Será que essa nova língua parecerá um balbuciar de bebê? Sim! Será que você vai entendê-la com sua mente natural? Não! Mas será que Deus Pai entenderá essa língua criada pelo Seu Próprio Espírito Santo? Sim!

Mais uma vez – peça para o Pai enchê-lo com Seu Espírito e creia que está recebendo o Espírito Santo quando orar. Comece a falar, confiando que o Próprio Espírito Santo está lhe dando a fala, porque Ele está!

Seu servo fiel em Cristo, Gary Carpenter

Que ensino! Gary é um grande exemplo do poder transformador do Espírito Santo. Há mais de vinte anos, ele ouviu pela primeira vez a mensagem sobre como um crente pode entrar de propósito em um caminho que o leva a tudo o que Deus o chamou para ser e fazer. Esse caminhar se inicia quando o crente estabelece um estilo de vida de oração em línguas e acaba aprendendo a distinguir a voz de Deus e a ser guiado pelo Espírito Santo. Gary começou a aplicar esses princípios fundamentais ao seu caminhar e comunhão com Deus e não sei dizer quantas pessoas em todo o mundo já foram atingidas pela revelação vinda através de sua vida e ministério.

Se você ainda não foi batizado no Espírito Santo com a prova da oração em línguas, deixe-me encorajá-lo a tomar esse próximo passo em seu relacionamento com Deus. Hoje o Espírito Santo quer enchê-lo – Ele quer entrar na nova natureza que você recebeu através de Cristo quando nasceu de novo – e quer fazê-lo a crescer e amadurecer espiritualmente, guiá-lo a toda verdade, dar-lhe poder e ajudá-lo a saber e orar a perfeita vontade de Deus.

Talvez você já tenha pedido para Deus encher você com o Espírito Santo e teve dificuldade para receber sua língua de oração, como Gary descreveu. Nesse caso, por favor saiba que você não está sozinho. Muitas pessoas passam por isso e na maioria das vezes o problema está na dificuldade de confiar e aprender como se entregar ao Espírito Santo.

Já faz mais de quarenta anos que fui até o altar de uma igreja para receber o Espírito Santo. Naquele dia, algumas senhoras da igreja impuseram as mãos sobre mim para receber o dom das línguas. Quando oraram por mim, parecia que meus lábios e meu queixo estavam se movendo involuntariamente. Lembro-me de ouvir aquelas mulheres orando comigo e dizendo que eu tinha “lábios gaguejantes”. Elas me instruíram a me entregar à vontade de falar o que a minha língua queria dizer. Eu não sabia o que esperar, mas abri minha boca e comecei a mexer minha língua. Não entendi nenhuma sílaba que pronunciei, mas sabia que era um dom de Deus fluindo do meu espírito para o meu bem.

Essa foi a minha experiência ao receber o Espírito Santo, mas talvez a sua seja completamente diferente – e isso não é um problema. Esse processo acontece entre você e Deus. Não procure sentimentos especiais para confirmar a presença do dom. A única prova que você precisa é o fato de estar falando em línguas.

Existem apenas dois pré-requisitos para receber o batismo no Espírito Santo: 1) ser nascido de novo e 2) pedir que Deus encha você. Se você nasceu de novo e já pediu para receber o Espírito Santo, então tenha certeza de que o Pai O enviou a você, assim como Lucas 11:13 diz: Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo. Agora você precisa apenas aprender como se entregar a Ele e permitir que a língua sobrenatural que Ele está pronto para criar dentro do seu espírito flua através de sua boca.

O dom das línguas é para todo o Corpo de Cristo e como qualquer forma de oração requer que você fale para liberar a sua autoridade que permite ao Pai Celestial operar em seu lugar. Você pode imaginar o poder liberado todas as vezes que você fala as orações que o Próprio Espírito Santo cria na mente de Cristo para Deus o Pai responder em sua vida?

Agora é o momento perfeito para permitir que o Espírito Santo passe a residir dentro do seu espírito e para que você receba o dom das línguas. Você não precisa ir até o altar para ser cheio como eu, muito embora a ajuda de ministros experientes seja valiosa. Onde quer que você esteja agora, encontre um lugar tranquilo, onde você possa ficar sozinho com seu Pai Celestial, e comece a adorar e louvar o Senhor em sua língua nativa. Peça que Ele o batize com o Espírito Santo e agradeça-Lhe por lhe dar o dom precioso das línguas. Na medida em que você continuar a adorá-Lo, pare de vez em quando para ouvir o mover do Espírito Santo. Talvez você sinta uma vontade de formar palavras com sua boca ou sinta algo dentro do seu espírito tentando sair de você. Se a sua língua quiser se mover, deixe-a. Se a sua boca quiser formar palavras, deixe-a. (Lembre que você está sozinho e não precisa se sentir intimidado ou envergonhado.)

Dê um passo na fé e vocalize essas palavras desconhecidas que vêm do seu espírito. Isso é um passo na fé porque o Espírito Santo não irá forçá-lo a falar. É você que precisa abrir sua boca e mover sua língua. Uma vez que você começar a falar sua nova língua sobrenatural, continue orando em línguas por um tempo para que você se estabeleça nesse dom. Então, separe um tempo diariamente para orar no Espírito Santo e ter comunhão com Deus.

Para algumas pessoas, a língua de oração já começa com muita fluência. Para outras, a impressão é que estão repetindo a mesma sílaba diversas vezes. Mas não se preocupe. Mesmo se você estiver falando as mesmas duas ou três sílabas, você FOI batizado no Espírito Santo e pode ter certeza de que as palavras que está falando são uma língua sobrenatural criada por Deus para o seu bem. A sua língua de oração aumentará e se desenvolverá com o tempo, na medida em que você a usar, você receberá toda a edificação, revelação e mudança que são produto de uma vida de oração em línguas.

Que você seja muito abençoado nesse novo ano e que continue no seu caminho de oração e transformação à imagem de Cristo. Como Gary sempre diz: o melhor está por vir!

Seu colaborador,

DAVE ROBERSON