Amado(a) Irmão(a),

Em minha caminhada com Deus até aqui, aprendi como é importante estar consciente sobre os ataques de Satanás. Na carta deste mês, gostaria de chamar a sua atenção para a origem das situações difíceis que enfrentamos; afinal, não podemos ficar desprevenidos, ignorando a origem dos fatos.

Quanto mais nos aproximarmos do avivamento, mais as batalhas vão se intensificar. Uma das formas mais utilizadas por Satanás para nos atacar é usar as pessoas para nos atingir. Sei que isso já não é nenhuma novidade, porque nós, cristãos, diariamente lidamos com esses ataques.

E o que devemos fazer para nos proteger? Precisamos nos preparar, em oração e jejum, porque Deus sabe como serão os ataques e quem se levantará contra quem. Devemos estar firmes na Palavra de Deus, observando bem o que ela diz. Veja o que está escrito em Mateus 18:7:

         Ai do mundo, por causa dos escândalos (ou ofensas); porque é inevitável que venham escândalos (ofensas), mas ai do homem pelo qual vem o escândalo (a ofensa).

 

Deus nos observa; Ele sabe quem são as pessoas que permitem ser o canal de ofensas. Somente a prática da oração em línguas pode nos defender das ofensas quando forem lançadas, porque o Espírito Santo intercede por nós.

Jesus fala sobre isso em Mateus 24:10:

         Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar (ou ofender), trair e odiar uns aos outros.

 

Ou seja, é necessário que estejamos atentos nos nossos relacionamentos, pois a forma como respondemos às ofensas é o que indicará o quanto estamos em Deus. Se nossa reação for baseada nas emoções, ficaremos enlaçados pelo diabo, mas se for baseada em nossa vida com Deus, aí, então, seremos libertos.

Assim como Satanás foi tentar Jesus no deserto, pensando que Ele estava vulnerável, ele vai fazer o mesmo conosco. Também por isso a comunhão com Deus, nosso Pai, através da adoração pessoal e muita oração em línguas, é tão importante. Entenda que o objetivo desses ataques é nos fazer parar de crescer em Deus: o diabo quer nos desanimar, agindo em nossa mente, fazendo-nos parar de orar e buscar a Deus.

Examinando os Evangelhos, é possível notar que existem três tipos de pessoas que Satanás vai trazer para nos ofender. Vejamos, então, o primeiro tipo em Marcos 15:16-20:

         Então, os soldados o levaram para dentro do palácio, que é o pretório, e reuniram todo o destacamento. Vestiram-no de púrpura e, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram na cabeça. E o saudavam, dizendo: Salve, rei dos judeus! Davam-lhe na cabeça com um caniço, cuspiam nele e, pondo-se de joelhos, o adoravam. Depois de o terem escarnecido, despiram-lhe a púrpura e o vestiram com as suas próprias vestes. Então, conduziram Jesus para fora, com o fim de o crucificarem.

Esse primeiro tipo de pessoa que Satanás vai usar pode ser comparado ao soldado romano: ele vai zombar de nós e nos magoar, fazendo-nos sentir muito mal. Nossa resposta a esse ataque é o que vai definir o resultado dessa situação. Se reagirmos com mágoa, isso nunca vai parar: o “soldado romano” vai continuar zombando e o ciclo da mágoa se perpetuará; mas se reagirmos como Jesus fez, o diabo vai parar com os ataques.

É engraçado que, nestas situações, muitas vezes, nos perguntamos: “Por que essa pessoa está me tratando mal desse jeito; o que foi que eu fiz?” Na verdade, isso é um ataque de Satanás; simplesmente porque ele achou alguém para vir contra nós para nos irritar, frustrar, trazer ódio e dor à alma. E o pior é que Satanás vai ficar nos examinando, observando como reagimos, para que, depois de um tempo, aquela situação volte a acontecer e, assim, o ataque vai se repetindo e o ciclo da mágoa se perpetuando. Nós é que vamos ter que dar um basta nessa situação agindo como Jesus. Entenda: nosso padrão de vida é Jesus.

Preste atenção: uma coisa é o que as pessoas fazem; outra é como nós recebemos o que elas fazem. Ficaremos cativos a Satanás se tivermos dificuldade com tal pessoa a ponto de cultivarmos amargura no coração. Não devemos tomar o caso como um ataque pessoal.

Muitos cristãos, ao receberem o ataque do “soldado romano”, tentam se justificar, dizendo: “Eu não mereço isso; não é justo”. Entenda o seguinte: se Satanás encontra um jeito de ter acesso a nossas vidas, por que ele vai parar? Sabendo que Jesus nos deu a autoridade Dele, devemos dizer: “Satanás, em Nome de Jesus, eu ordeno que pare agora com esse ataque”.  Mas saiba que Satanás vai responder: “Graças ao modo como você reage, tenho condições de usar essa pessoa para lhe atacar”. Isso só vai parar quando reagirmos como Jesus, com compaixão, graça, amor e o perdão de Deus.

Agora, observe o que está escrito em João 5:37-39:

         E o Pai, que me enviou, ele mesmo testificou de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes o seu parecer. E a sua palavra não permanece em vós, porque naquele que ele enviou não credes vós. Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.

 

Jesus identificou o ataque recebido dos líderes religiosos que o rejeitaram. Será que o simples fato de termos uma Bíblia já garante a totalidade da Vida Eterna? Nessa passagem de João, Jesus estava se referindo aos líderes religiosos que achavam que tinham a Vida Eterna por que as Escrituras foram dadas a eles. Mas as Escrituras testificam Jesus e eles O renegaram.

Esse é, então, o segundo tipo de pessoa usada por Satanás para nos atacar: um fariseu. Esse tipo vai atacar a Verdade que cremos dizendo que está errada; virão furiosos contra nós que estamos recebendo a Verdade e andando Nela.

Devemos observar como Jesus falava com os fariseus. Referia-se sempre à Lei e às Escrituras, dizendo a eles que fossem examiná-las e observá-las, porque sempre creram erradamente de geração em geração: é por isso que não gostavam de ouvir Jesus dizendo quem eles eram.

Esse tipo de ataque acontece conosco também. Não importa o que dissermos, a mente de um fariseu está convicta de um conceito errado. Mesmo mostrando as Escrituras, ele não nos dá atenção e ainda tenta influenciar outras pessoas a desacreditarem de nós.

O problema é que muitos cristãos não sabem estudar a Palavra no seu contexto; só sabem repetir versículos sem terem o entendimento espiritual do que eles realmente significam dentro do contexto.

Jesus repreendeu os fariseus porque deveriam ter mais entendimento da Palavra de Deus. E nos dias atuais é a mesma coisa conosco. Já estamos salvos há tantos anos, somos cheios com o Espírito Santo, mas ainda lutamos com o leite espiritual, permitindo divisão em nossas vidas por mágoas e ofensas. Isso não deveria ainda estar acontecendo.

Você sabia que há cristãos que ficam muito ofendidos se você tentar orientá-los no caminho da Verdade? Vão defender fortemente sua própria incredulidade. Lembro-me de, certa vez, aconselhar uma irmã que queria crescer espiritualmente. Orientei-a a orar bastante em línguas e a jejuar. Ao procurar o líder de sua igreja, ela foi aconselhada a não buscar tanto a Deus. Ele explicou que se ela se santificasse, teria de logo deixar a Terra e subir ao Céu, porque aqui na Terra não é lugar de santos…  Pois é, esse é o tipo de pessoa que vai contestar a Verdade, não vai aceitá-la: é o fariseu.

Analisemos agora o terceiro tipo de pessoa que Satanás vai usar para nos atacar, tentando desviar nossos olhos do alvo, que é Jesus. Salmos 41:9 diz:

         Até o meu amigo íntimo, em quem eu confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o calcanhar.

Esta foi uma profecia do que aconteceria no futuro. Veja João 13:18-27:

         Não falo a respeito de todos vós, pois eu conheço aqueles que escolhi; é, antes, para que se cumpra a Escritura: Aquele que come do meu pão levantou contra mim o calcanhar. Desde já vos digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creias que EU SOU. Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim me recebe; e quem me recebe recebe aquele que me enviou. Ditas estas coisas, angustiou-se Jesus em espírito e afirmou: Em verdade, em verdade vos digo que um dentre vós me trairá. Então, os discípulos olharam uns para os outros, sem saber a quem ele se referia. Ora, ali estava aconchegado a Jesus um dos seus discípulos, aquele a quem ele amava, a esse fez Simão Pedro sinal, dizendo-lhe: Pergunta a quem ele se refere. Então, aquele discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: Senhor, quem é? Respondeu Jesus: É aquele a quem eu der o pedaço de pão molhado. Tomou, pois, um pedaço de pão e, tendo-o molhado, deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes.

Satanás quer trazer um Judas para nossas vidas. Será alguém que vem para se relacionar e andar conosco como amigo fiel, mas, por fim, vai se virar contra nós, inesperadamente. Pense em quem era Judas: no dia seguinte à noite em que Jesus passou orando ao Pai, Ele escolheu os doze que andariam com ele; foi o Pai que lhe disse quais seriam os doze, a quem Ele chamou de apóstolos. A partir daquele dia, os apóstolos formaram um grupo de elite, o grupo que ministrava; eram os servos do ministério de Jesus e Judas fazia parte do grupo. Sentava-se à noite ao redor da luz da fogueira para ouvir Jesus ensinar; ele ouviu todos os ensinos do Reino, e foi também um dos doze que foram enviados de dois em dois com poder para fazer milagres, curar enfermos e até ressuscitar mortos. Enfim, ele foi usado poderosamente. Mas, no fim, traiu Jesus.

Quando lemos “aquele que come do meu pão comigo”, simbolicamente isso significa: “a pessoa que se alimentou não somente do pão natural, mas da Palavra de Deus, acaba de me trair”. Na verdade não temos ideia de quando foi que Jesus soube que Judas seria o traidor, se foi quando desceu do monte e escolheu os doze, ou mais tarde, a Bíblia não especifica esse momento.

Bem, o que sabemos é que Satanás vai achar alguém fraco para se tornar um Judas e será alguém que confiamos, nascido de novo, cheio com o Espírito Santo e que fala de adoração, da oração em línguas, da meditação na Palavra. Essa pessoa pode ser de nossa igreja ou não, e essa pessoa é, até mesmo, alguém maduro espiritualmente. Com certeza, isso vai acontecer. Sabemos que Deus já viu isso no coração de tal pessoa desde o começo da amizade, só que nós não sabemos o que tal pessoa é interiormente, em princípio. Então, também nessa situação, se estivermos firmes na oração em línguas e no jejum, o Espírito Santo vai nos preparar para o que virá.

Em Mateus 10:36 está escrito:

         Assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa.

Essa pessoa que Satanás está procurando para vir contra sua vida será alguém muito próximo de você. O diabo vai manipular essa pessoa, fazendo dela um “Judas”. Será uma pessoa com quem você se abrirá, dividirá coisas de sua vida, e por isso mesmo você se sentirá mais ofendido pela traição. Afinal, você cria uma expectativa nesse relacionamento e quando a confiança é violada você recebe uma grande ofensa. Isso aconteceu com Jesus, por isso devemos seguir o exemplo dele para superarmos esse tipo de ataque: daí a importância de fortalecermos nosso coração com muita oração.

Eu lhe digo que isso já aconteceu comigo pelo menos três vezes em minha caminhada na fé. Por isso, quero lhe advertir que você se firme na Palavra, adorando a Deus e orando bastante em línguas, para que Satanás não pare seu crescimento espiritual com ataques como esse.

Esse tipo de ataque pode ser exemplificado também quando um líder famoso cai no pecado e o rebanho fica frustrado porque confiava muito nele. Muitos colocavam o líder alto demais em suas vidas e não se protegeram dos ataques de Satanás. Dessa forma, se sentiram muito ofendidos e isso prejudicou seu crescimento espiritual e até mesmo sua fé.

O relacionamento mais íntimo que temos que buscar é com Jesus, sempre. E quando Satanás vier com esses ataques do “soldado romano”, do “fariseu” ou do “Judas”, ele não vai conseguir impedir nosso progresso em Deus e nós andaremos no nosso chamado.

Quem quer ser promovido no seu ministério não pode ficar ofendido nem magoado com ninguém, porque sempre haverá alguém que achará um lugarzinho para mais uma facada nas suas costas. Não se esqueça: a raiz da amargura se espalha quando não andamos em paz com os outros.

Então, quando um dos três ataques vier, não deixe que a raiz da amargura se aflore, mas siga a paz para não ser contaminado por essa raiz maligna. Não recuse a PAZ nesta hora. Veja, você pode andar em paz com as pessoas mesmo não tendo um bom relacionamento por causa do que elas estão fazendo com você. Nossa resposta para essas pessoas tem que ser igual a que Deus nos dá quando erramos: Ele está lá para nos ajudar e não para nos excluir. Não se comprometa com as ofensas, mas comprometa-se com Jesus.

Relacione-se com a Palavra de Deus, ore muito em línguas e passe um bom tempo adorando ao Senhor em seu dia a dia. Só isso pode nos fortalecer e trazer progresso para nossas vidas.

Que tal se você começasse hoje mesmo a passar um tempo com Deus em oração, fortalecendo o seu coração para se proteger de todo o mal?  É somente em Jesus que você encontrará segurança e paz para a sua vida.

 

Graça e Paz,

Ana Maria Dias

Print Friendly