Amado(a) Irmão(a),

Desde que nascemos, aprendemos a andar nos conceitos do mundo, deste plano natural de vida; mas quando nascemos de novo, temos que aprender a andar nos caminhos de Deus, e esse andar é bem estreito. Assim sendo, vamos examinar o que diz Gênesis 12:1-3 – “Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” 

Graças a Deus pela obediência de Abrão, e ele é um exemplo para cristão. Deus disse a ele que deixasse o país, a parentela e a casa do pai. Abrão perguntou como saberia onde seria o lugar que deveria ir, e Deus disse você saberá quando chegar lá. Deus disse que ia fazer toda provisão e mostrar o lugar. Sabemos que nessa caminhada Abrão passou por várias circunstâncias, e uma delas foi a fome.

Vamos fazer uma correlação conosco que nascemos de novo do por que Abrão teve que deixar a casa de seu pai.

Nós deixamos a primeira casa que é a de Adão, isto é, a natureza do pecado que passou a todas as gerações, e isso quer dizer que tivemos que deixar a casa do nosso primeiro pai Adão, para nascermos de novo. Adão foi o pai e Eva a mãe de todo ser vivente e a natureza do pecado foi passada a todos nós. Não é possível estar em Adão e em Cristo ao mesmo tempo. Só tem dois tipos de pessoas na terra; nós que estamos em Cristo Jesus, por termos sido ressuscitados da morte para a vida nova, e os mortos espiritualmente.

Quem está no mundo pensa que está tudo bem com a vida, mas Jesus disse que quando ele vier será como nos dias de Noé que estavam todos vivendo em festa e bebendo, cuidando de suas vidas; e daquele mundo todo, só foram salvas oito pessoas. Para que isso não aconteça conosco, nós tivemos que deixar a casa de nosso primeiro pai e entrar na casa de Cristo.

Quanto a Abrão, ele não só teve que deixar a casa do pai como a nação e a parentela toda, ele teve que deixar tudo para trás. Para nós, deixar tudo, significa se santificar do mundo. Deus disse a Abrão que depois que tivesse deixado tudo é que Ele iria mostrar a terra. Para nós, deixar a terra tem a ver como nosso chamado e o que temos que fazer aqui na terra, com a santidade.

Pelas escavações dos arqueólogos, a casa de Abrão era de uma família rica, talvez ele fosse um governador, ou um advogado, e quando Deus o chamou, Ele disse para deixar “tudo”, deixar tudo o que o mundo oferecia a ele.

Então, Deus não deu todas as instruções logo que obedeceu e saiu de onde morava. Simplesmente, Deus disse, sai de onde você mora e vai para onde eu te mandar.

Nós ouvimos Deus nos chamar para servirmos, mas não temos os detalhes e instruções logo no começo. Não adianta perguntar o passo seguinte se não estamos obedecendo o primeiro passo. Quando nascemos de novo não sabemos qual é nosso chamado, temos que confiar em Deus que Ele vai nos conduzir, nos proteger e fazer toda provisão. Como Abrão fez, ele confiou em Deus e entrou pela fé em uma nova vida, assim nós temos que fazer também.

Veja o que diz Hebreus 11:6 – “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” Deus é maior que o diabo, mais esperto e mais forte do que nós. Vamos precisar da fé para andarmos com Deus e obedecermos suas instruções.

Abrão foi obediente deixando tudo para trás, e Deus o abençoou; muito embora, a graça de Deus seja maior que a obediência.

Assim, entendemos que nós, os crentes, temos que deixar a casa de nosso primeiro pai – Adão.

Veja Colossenses 3:1-3 – “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus.” Deus diz para pensarmos como o céu, porque nascemos de novo. Se alguém vem e nos dá um tapa na cara, logo queremos reagir dando-lhe outro. Mas lá no céu não tem esse tipo de pensamento de revidar. Esse que nos agrediu não é salvo, precisa de resgate. Nós temos que ter misericórdia com ele, assim como Deus teve conosco, porque Deus tem cuidado de nós. Veja como precisamos de santificação para servirmos a Deus.

Observe o que diz I Pe.2:11 – “Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma.”  Infelizmente, o que vemos acontecer no corpo de Cristo é a pessoa fazendo o que se sente bem, ou seja, o pecado; mas a instrução que lemos acima é nos abstermos das paixões carnais.

Veja agora Filipenses 3:18 – “Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo.” Todas essas passagens que estamos vendo tem a ver com “sair da sua terra”. O mundo em que vivemos está pervertido e Deus não vai salva-lo. Tudo o que pertence ao primeiro Adão vai perecer, as estrelas, o universo, etc.; tudo o que Deus preparou para o primeiro Adão vai ser destruído, mas nós fomos salvos dessa destruição. Então, veja v.19 – “o destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas.” De quem Deus está falando aqui? Daqueles que querem as coisas terrenas, cuja vida tem a ver com sucesso, fama, dinheiro, prazer, como está escrito, seu deus é o ventre, isso porque a mente está ligada nas coisas terrenas.

Através das Escrituras, podemos verificar que se ainda andamos no pecado, somos filhos de Adão, pelo modo que vivemos, mas fomos resgatados dessa vã maneira de viver, quando nascemos de novo, assim devemos andar na novidade de vida que nos foi dada. E a Bíblia diz que somos cidadãos do céu e que estamos acima do diabo, do pecado e da doença, e que andamos na luz dentro de um mundo em trevas. Por isso é impossível vivermos de duas maneiras, luz e trevas, ou se anda na luz, ou nas trevas.

Veja o v.21 – “o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo de sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas.” Parece ser impossível viver dentro do que a Palavra diz, mas temos a nova natureza em nós que nos capacita a largarmos a vida velha e andarmos na novidade da vida em Cristo Jesus. Quando oramos muito em línguas, o Espírito Santo nos revela o que somos agora, e nos capacita com força para largarmos o mundo com seu pecado e não cedermos aos enganos do diabo que quer nos destruir. Se eu sei quem o diabo é e o que ele faz contra a minha vida, eu não vou aceitar andar na condição dele, porque já deixei a casa do meu primeiro pai – Adão, o pecado.

Veja o que Jesus diz em Mateus 10:33-37 – “Mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus. Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. Assim, os inimigos do homem serão os da sua própria casa. Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim.” Jesus é o Príncipe da Paz, e Ele diz que não veio trazer paz. Ele quer dizer que se alguém da sua casa negar Jesus, por exemplo, um filho que se casa com uma moça muçulmana, ou uma budista, vai largar Jesus para seguir a crença do cônjuge, já perdeu a salvação; isso é trazer divisão dentro de casa, divisão de crença. Jesus deixa bem claro que nossa vida é ser Luz num mundo de trevas. Um vai ser salvo e outro não na mesma família, essa é a divisão que Jesus fala que haverá dentro das famílias.

Veja I Cor.15:33 – “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.” Entenda que Deus jamais vai levar você aos lugares antigos que você frequentava, no seu passado. As companhias antigas vão corromper seu modo de viver. Quando ele diz para não pecar mais, temos que ter todo o cuidado em saber com quem estamos andando, porque não somos mais do mundo.

Veja II Cor.6:14-18 – “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.” No contexto, Deus se refere a tudo da vida, inclusive ao casamento. Veja com quem se casa, até isso vai influenciar na salvação. Quem já está salvo, porque nasceu de novo, tenha todo o cuidado em não se casar com quem não é salvo. Mistura de crenças afeta na fé e salvação.

Para finalizar, veja Lucas 17:26-27 – “Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do Homem: comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e destruiu a todos.” Jesus está dizendo que todos pensavam que estava tudo certo com a vida deles, eles tinham cultos, mas com falsos deuses, e foram enganados com a aparência.

Por isso é preciso ter um relacionamento com Deus, o Pai, todos os dias através da Palavra, oração em línguas, adoração e louvor para se fortalecer no espírito e deixar todas as obras da carne e não andar nos enganos que o diabo traz através dos pensamentos dizendo que não tem problema pecar, tirando o conceito do que é pecar.

Aconselho você a buscar Deus, passar mais tempo com Ele, fazer jejum periodicamente para poder enxergar os perigos do pecado. O diabo é sutil e enganador desde o princípio.

Graça e Paz! Ana Maria.

Print Friendly, PDF & Email